Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Use seu 13º salário de forma inteligente em 6 passos

O dinheiro do 13º salário mal pingou na sua conta-corrente e você sente até coceira nas mãos para gastá-lo com uma viagem de férias ou presentes de Natal?

Pense de novo. A bonificação de final de ano é uma grande oportunidade para investir e atingir objetivos financeiros maiores, como uma boa renda na aposentadoria.

Infelizmente, grande parte dos brasileiros não sabe lidar com suas finanças. É comum vermos pessoas que usam o dinheiro extra, recebido no final do ano, de forma irresponsável ou sem um objetivo definido.

Mas não é difícil quebrar esse ciclo! O segredo é sacrificar alguns prazeres imediatos e pensar no conforto em longo prazo.

Veja agora como usar o 13º salário de forma mais inteligente e começar o novo ano com o pé direito quando se trata das finanças pessoais!

1. Entenda qual é o objetivo do 13º salário

O 13º salário é pago a empregados formais em até duas parcelas. A primeira deve ser recebida até o final de novembro, enquanto a segunda é paga até o dia 20 de dezembro de cada ano.

O benefício é concedido com um papel preventivo, como forma de auxiliar o trabalhador a encarar despesas extras do começo do ano.

Mas, geralmente, esse intuito acaba sendo distorcido em um papel corretivo. Gasta-se todo o valor e, já no início do ano, o orçamento fica apertado por gastos adicionais.

Novamente, o fôlego virá apenas depois de 12 meses, e o que era para ser uma tranquilidade, torna-se um ciclo sem fim. Só que é possível mudar essa mentalidade!

2. Reflita sobre os gastos do fim e início do ano

Você tem dívidas e não se preparou para fazer frente aos gastos do início do ano, como despesas escolares, IPVA e IPTU? Então, antes de fazer qualquer coisa com o dinheiro, é necessário priorizar a quitação desses débitos.

O primeiro passo deve ser o pagamento de eventuais dívidas, especialmente aquelas mais caras, como cheque especial ou cartão de crédito.

Com mais dinheiro na mão, é possível renegociá-las. Isso pode ser feito amortizando parte do valor ou quitando a dívida por inteiro, com a renda extra do final do ano.

Não à toa muitos bancos e empresas costumam realizar feirões de renegociação de dívidas nessa época. Eles concedem descontos que podem chegar a mais de 90% do valor do débito.

Caso não haja dívidas que devam ser pagas, é necessário guardar parte ou o valor total do dinheiro para cobrir despesas de início do ano.

Isso se você já não se planejou para pagá-las, guardando um pouco de dinheiro a cada mês ao longo do ano, claro!

Essa estratégia vale mais a pena se pensarmos que é possível obter descontos nos tributos caso o pagamento seja feito à vista.

Aliás, não é aconselhável usar o montante da reserva de emergência para pagar as despesas extras de janeiro, combinado?

Como o próprio nome diz, esse valor deve ser dedicado a gastos imprevistos, como doenças ou desemprego. Contas de início do ano são previsíveis, portanto, o ideal é aplicar o dinheiro para quitá-las sem gerar problemas financeiros.

Agora, se não tiver dívidas e já se programou para arcar com gastos do início do ano, o objetivo deve ser investir sua bonificação de fim de ano.

3. Trabalhe com o pensamento no longo prazo

Um trabalhador formal tem maiores proteções que autônomos ou Pessoas Jurídicas, como seguro-desemprego e outros benefícios. Entretanto, isso não é desculpa para torrar o 13º salário.

Afinal, não trabalhamos anualmente para ter apenas uma proteção contra queda de renda, mas também para atingir diversos objetivos financeiros.

Pode ser a compra de uma casa, formar uma poupança para a aposentadoria, fazer um intercâmbio ou investir na carreira.

Não importa o objetivo, é necessário, em qualquer caso, ter enquanto foco o pensamento no longo prazo.

Vale a pena sacrificar alguns confortos de final do ano se o intuito é ter um planejamento financeiro familiar, por exemplo.

4. Use o 13º salário no planejamento de ano novo

Está com a saúde financeira em ordem, mas ainda não tem uma carteira de aplicações financeiras? Então, o13º é um grande incentivo para aprender a investir.

Nesse caso, saiba qual é seu perfil de investidor. Depois, analise seu objetivo financeiro e escolha as aplicações financeiras mais adequadas ao montante e prazo necessários para atingi-lo.

Se o intuito é começar uma reserva de emergência, dê preferência a investimentos com alta liquidez, como o Tesouro Selic, vendido pelo programa Tesouro Direto.

Mais uma alternativa é um CDB com liquidez diária que pague ao menos 100% do CDI.

Aplicações mais líquidas e seguras são indicadas a objetivos de curto prazo, enquanto no médio e longo prazos é possível arriscar mais.

Especialmente em tempos de Selic na mínima histórica, ter uma carteira diversificada é essencial se você deseja obter um rendimento melhor.

Portanto, quem já investe pode optar por adicionar um pouco mais de risco e rentabilidade na carteira agora, conforme seu perfil e necessidades.

5. Pesquise opções de investimentos dentro do valor recebido

É necessário pesquisar as opções de investimentos adequadas conforme o valor recebido no 13º salário. Isso porque cada investimento tem um valor mínimo que permite realizar a aplicação.

Mas mesmo que sobre um pequeno percentual da bonificação de final de ano para investir, isso não é desculpa para não aplicar o dinheiro.

Alguns bancos dão acesso a fundos exigindo uma aplicação mínima a partir de R$ 1. Mas é possível encontrar fundos que permitem aplicar a partir de R$ 500.

Quem deseja aplicar em títulos do Tesouro Direto pode realizar investimentos a partir de R$ 30. Já cotas de fundos imobiliários são vendidas por cerca de R$ 100 na bolsa.

6. Conte com a ajuda de uma empresa especializada

Pode ser que você sinta alguma insegurança ao escolher o melhor investimento, sobretudo em um cenário de crise que ainda causa tanta incerteza, como o atual.

Nessa hora, é importante contar com uma empresa especializada em investimentos, como a Magnetis. Oferecemos uma carteira de investimento adequada aos objetivos de cada cliente.

A seleção é feita com base em um questionário e por meio de algoritmos. Basta acessar o site e responder algumas perguntas, como objetivo do investimento e em quanto tempo espera atingi-lo.

Agora que você já sabe que existem usos mais inteligentes para o 13º salário do que comprar presentes de Natal, já pode se preparar melhor para o próximo ano. Então, aproveite e aprenda mais sobre como conseguir ter sucesso financeiro!

Caroline Dubard
Caroline Dubard

formada em marketing e apaixonada por conteúdo. Tem experiência em marketing digital, performance e branding. Atualmente, lidera as estratégias de marketing de conteúdo da Magnetis.

leia mais desse autor