A disciplina financeira me deu liberdade, diz Karine Drumond

por Magnetis

A disciplina financeira me deu liberdade, diz Karine Drumond
Avaliar o post

Anotar despesas e receitas, uma a uma, pode parecer chato para muitas pessoas. Há quem diga que essa prática torna as pessoas reféns do dinheiro. Engana-se quem pensa assim, garante Karine Drumond, uma das fundadoras do Negócio de Mulher.

“Para a vida financeira, a questão da disciplina é fundamental. Não é preciso muito dinheiro. O importante é criar o hábito da organização. Eu ouvia muito que tomar conta das finanças, anotar tudo, nos tornava reféns. No entanto, aprendi na prática que é exatamente o oposto: isso dá mais liberdade.”

Essa lição Karine passa adiante principalmente para as mulheres. Por quê?

“A questão da organização financeira é um dos principais problemas que bloqueiam as mulheres de empreender. Há insegurança em relação ao dinheiro. Quanto mais aprendem sobre organização financeira e gestão do dinheiro, mais as mulheres ganham segurança para arriscar”, afirma.

Veja a entrevista completa que Karine concedeu ao nosso blog:

 

Vida financeira e investimentos

Blog do Magnetis: Que estratégia você segue na vida financeira?

Karine Drumond: Tenho um antes e depois em finanças. Quando comecei a empreender, tive uma importante experiência de aprendizado nessa área. Eu não era organizada, não sabia quais eram os meus gastos nem com o que gastava. Ao empreender, a necessidade de me organizar falou mais alto. Passei a anotar minhas despesas diariamente num aplicativo. Assim, comecei a entender meu orçamento e o que podia cortar dele. Desenvolvi maior disciplina e isso foi se tornando um hábito. Também li alguns livros. A partir desse maior controle, pude ver onde economizar para ter uma poupança e um investimento em previdência privada.

Que dica para as finanças a teoria não ensinou, mas você descobriu na prática?

A questão da disciplina. Não é preciso muito dinheiro. Dá para fazer mesmo com pouco. O importante é criar o hábito da organização. Eu ouvia muito que tomar conta das finanças, anotar tudo, nos tornava reféns. No entanto, aprendi na prática que é exatamente o oposto: isso dá mais liberdade.

Dizem que a bolsa de uma mulher revela muito sobre ela. E sua carteira, o que conta sobre você? O que carrega nela?

Minha carteira é extremamente enxuta. Mudei meus hábitos ao empreender. Antes, comprava roupas mesmo sem precisar. Agora, questiono se preciso. Carrego um cartão de crédito e um de débito e não uso cheque. Evito me colocar na tentação de gastar. Tento não passar em bairros com muitas lojas.

Que livro mais lhe ensinou sobre finanças?

O Seu Primeiro Milhão – Como Fazer Seu Dinheiro Crescer”, com dicas muito práticas de organização e investimento, e “Os Segredos da Mente Milionária – Aprenda a Enriquecer Mudando Seus Conceitos Sobre o Dinheiro”, que fala sobre as crenças que herdamos e nos limitam de crescer financeiramente. Se você acredita que o dinheiro é ruim, isso cria uma trava. Estou tentando trabalhar minha mente para não encarar a ambição como algo ruim.

Que lição sobre a vida financeira recebeu de seus pais?

Aprendi a não gastar mais do que o necessário. Meus pais só compram à vista, não fazem dívidas.

Que leitura faz de como as leitoras do blog lidam com as finanças?

A questão da organização financeira é um dos principais problemas que bloqueiam as mulheres de empreender. Há insegurança em relação ao dinheiro. Muitas têm salário fixo e sentem medo de arriscar ficar sem. Mas empreender envolve risco! É preciso haver uma preparação para ter liberdade financeira, algo que permita o sustento por seis meses a um ano. A lição que fica é: quanto mais aprendem sobre organização financeira e gestão do dinheiro, mais as mulheres ganham segurança para arriscar. Vemos casos de pessoas que criam um negócio do zero, com pouco dinheiro, e de pessoas que têm segurança financeira mas não conseguem construir tanto.

De que forma você investe?

Meus investimentos são bem conservadores ainda. Minha primeira meta financeira era ter uma poupança mais gorda. Até aqui, investi em poupança, CDB (Certificado de Depósito Bancário) e previdência privada. A maior concentração está nos dois primeiros. Agora quero diversificar mais. Vou estudar sobre outros investimentos para ir além.

Como começou a investir?

Comecei com a ajuda dos meus pais. Quando eu tinha 18 anos, eles criaram uma poupança para mim. Depois que comecei a me organizar, quando iniciei minha primeira empresa, perto dos 25 anos, passei a economizar para colocar dinheiro na poupança. Hoje, consigo investir entre 10% e 15% da minha renda.

Com que objetivo investe?

Principalmente para fazer viagens. Tento viajar duas vezes ao ano. Já no caso da previdência privada, penso em um prazo mais longo, para daqui a 30 ou 40 anos.

Vida profissional

Como surgiu a ideia de criar o Negócio de Mulher?

Belo Horizonte tem se tornado um polo de startups e eu já estava muito em contato com esse universo. Eu e minhas duas sócias (uma das quais não faz mais parte da sociedade) nos encontramos em um evento de empreendedorismo e tivemos a sensação comum de havia poucas mulheres lá. Isso nos aproximou e começamos a conversar. Aí veio a ideia de um blog para incentivar outras mulheres a empreender, com cases e histórias. Começamos assim. Em paralelo, tocávamos outros projetos também. Com o tempo, várias mulheres começaram a mandar e-mails pedindo mais do que oferecíamos. Elas queriam saber sobre como iniciar um negócio, marketing, organização financeira etc. Decidimos então abandonar os outros projetos e focar no Negócio de Mulher como um negócio efetivamente. Já lançamos oficinas, e-books, newsletter e cursos. Vemos que realmente há uma oportunidade a explorar.

Quais foram as grandes conquistas desde a implementação do projeto?

Fazer algo com que as mulheres se identificam rapidamente e em que enxergam valor. Esse reconhecimento é muito gratificante. Consegui criar um negócio ao redor daquilo em que acredito e que gera valor.

Quais os planos para o futuro do Negócio de Mulher?

Começamos a criação de info produtos (e-books, cursos online) e ainda há muito por vir. Nossa meta é transformar tudo o que sabemos em produto: livros, material didático etc., principalmente via internet. Estamos também lançando um curso de criação de sites.

Foto: divulgação

E você? Que tal aprender como poupar e garantir seu futuro? Descubra tudo que você precisa saber sobre o assunto em Como Economizar Dinheiro: o Guia Definitivo.