X
Magnetis Week

a black friday da

Magnetis Logo
Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

O que considerar antes de comprar ações da Oi?

Na Bolsa de Valores é possível encontrar algumas empresas listadas no setor de Telecomunicações. Entre elas, podemos dizer que as ações da Oi costumam figurar entre os assuntos mais comentados no mercado de capitais. 

Afinal, a trajetória desses papéis na Bolsa é algo quase que singular. Basta considerarmos que as ações da Oi já custaram mais de R$ 80,00 e por outro lado já bateram a casa dos R$0,50. 

No entanto, mesmo com essa desvalorização do preço, não há um consenso que aponte para o fato de não valer a pena investir nesses ativos. Assim, há quem aponte para a grande oportunidade de comprar ações da Oi em um preço baixo e há quem aponte para o alto risco, ou seja, da empresa não valorizar. 

Como no mercado financeiro não há como prever o que vai acontecer. Ao longo desse post você encontra alguns critérios para analisar para que você consiga decidir se vale a pena investir nas ações da Oi. 

O que é a Oi?

A Oi S.A. é uma empresa brasileira que atua no ramo das telecomunicações. É considerada uma das maiores empresas brasileiras do setor, tanto em telefonia fixa, quanto em telefonia móvel. Além disso, também está entre as 5 maiores companhia de telecomunicações da América do Sul. 

A Oi foi fundada em 1998, ainda com o nome de Telemar. Na época, o Ministério das Comunicações realizou a divisão da Telebrás (Telecomunicações Brasileiras S/A) com o objetivo de operacionar o serviço de telefonia por setores e regiões. Assim, a Telemar surgiu para atuar, inicialmente, no sudeste, nordeste e norte do Brasil. 

Em 2002, a Telemar lançou a Oi, para ser o braço de telefonia móvel da companhia. Já no ano de lançamento, a operadora atingiu 1,4 milhão de clientes. 

Assim, em 2007, a Telemar transformou a Oi em marca única da companhia, passando a aparecer em todos os produtos, seja de telefonia móvel, fixa ou mesmo nos serviços de internet. 

Atualmente, calcula-se que a empresa tenha cerca de 57 milhões clientes, atendendo 5 mil municípios em todo país. Com isso, a companhia possui aproximadamente 130 mil colaboradores diretos e outros 440 mil colaboradores indiretos.

Nos últimos anos, sobretudo depois do ano de 2010, a Oi passou por consecutivas crises e situações controversas. Em 2015, a empresa entrou em processo de recuperação judicial, aprovado em 2017, nesse ano, a dívida da Oi girava em torno de R$ 65 bilhões. 

análise de investimentos

Quais são as ações da Oi?

As ações da Oi são negociadas na Bolsa de Valores do Brasil desde 2012. Na B3 é possível encontrar esses ativos por meio de dois códigos:

  • OIBR3: esse é o ticker utilizado para identificar as ações ordinárias da Oi. Esse tipo de ação permite que acionistas participarem de assembleias e tenham poder de voto em decisões da empresa. 
  • OIBR4: esse é o código utilizado para negociação das ações preferenciais da Oi. Esse tipo de ação proporciona prioridade em momento de recebimento de proventos, como dividendos e juros sobre capital próprio. 

Como falamos sobre a participação em decisões da empresa. É sempre bom falar que quem, de fato, toma essas decisões são os investidores e grupos que possuem o controle acionário da companhia. 

Atualmente, grupos de investimentos como Goldentree, York Global Fund, Brookfield e Solus são os controladores da maior parte da Oi. 

Além da negociação na Bolsa de Valores do Brasil, as ações da Oi também estão em outros dois mercados. Na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) é possível negociar ativos da empresa utilizando o ticker OIBR e o ticker OIBR.C. Já na Bolsa de Valores do México (BMV) o código utilizado é OIBRN. 

Quais são os motivos para investir na ação da Oi?

Agora que você já conhece todos os detalhes sobre a empresa, vamos falar os principais motivos que tornam suas ações atrativas para os investidores:

Interesse de novos compradores

O começo de 2020 foi marcado por muita especulação em relação à Oi. Para começar, acompanhamos a venda de 25% da Unitel, empresa angolana de telecomunicações que pertence à Oi. Fato que deixou investidores animados com a entrada de mais capital para a empresa. 

Além disso, recentemente a própria companhia divulgou nota informando que recebeu manifestações de terceiros interessados no negócio móvel da companhia. 

Esses eventos, geralmente, causam boa movimentação no mercado e geram boas oportunidades. Para você ter uma ideia, na data de divulgação dessa nota, as ações dispararam 15%. 

Preço atrativo 

Um dos principais motivos que estão levando os investidores a colocarem ações da Oi em suas carteiras é a oportunidade com o preço baixo. Muitos acreditam que a empresa chegou em um ponto que é o momento da virada, ou seja, agora os ativos vão apresentar tendência de alta.

O que colabora com essa premissa é o poder da Oi e as ações para reduzir dívidas. Mesmo diante de um mercado complicado, a empresa ainda continua competindo entre as grandes operadoras do mercado e mantendo seus clientes.   

Quais são os motivos para não investir na ação da Oi?

Já que apresentamos alguns motivos que fazem essas ações serem escolhidas por investidores, vamos falar também o que faz muita gente correr das ações da Oi. 

Dividendos

Se o seu objetivo na Bolsa é investir em empresas boas pagadoras de dividendos, a Oi não é uma escolha. Como a empresa está em recuperação judicial, desde 2013 não há pagamentos de proventos para os acionistas. 

Resultados preocupantes

Mesmo com essas ações, os resultados da empresa ainda preocupam investidores. Uma boa prova é a receita líquida da empresa, que, no último trimestre de 2019, foi 8,6% menor do que o mesmo período de 2018. 

Vale destacar que um dos serviços que mais apresentaram resultados, o serviço de telecomunicação residencial, ultimamente tem apresentado uma transformação. Dessa forma, há uma tendência para a migração para a tecnologia móvel. 

Assim, muitos investidores acreditam que é um ativo de alto risco. 

Esse são alguns pontos que você analisar antes de investir nas ações da Oi. É sempre necessário lembrar que qualquer investimento deve estar de acordo com o seu planejamento e perfil. Portanto, a dica é contar com uma consultoria de investimentos para te ajudar a fazer as melhores escolhas.  

Letícia Nonato

Letícia Nonato é analista de SEO na Magnetis. Publicitária, investidora e apaixonada pelo mercado financeiro.

leia mais desse autor