Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Conheça 3 ações que pagam dividendos mensais

Com a taxa básica de juros no menor patamar histórico, a procura por aplicações mais rentáveis do que a renda fixa tem aumentado. Uma dessas aplicações combina renda variável com renda recorrente. Os dividendos são a distribuição de parte dos lucros de uma companhia com ações negociadas na bolsa de valores.

A seguir, veremos em mais detalhes o que são os dividendos e como eles são importantes para quem quer viver de renda passiva. Também daremos alguns exemplos de ações que pagam dividendos mensalmente. Por fim, daremos algumas dicas para você começar a investir nesses papéis. Vamos lá?

O que são dividendos?

Comprar uma ação é obter parte de uma empresa negociada na bolsa. Se esse negócio crescer, cada ação valerá mais. Ou seja, você poderá lucrar mais com a venda do seu papel futuramente.

Existe mais uma forma de ganhar dinheiro junto com a valorização de uma empresa aberta: receber proventos, ou seja, dividendos e juros sobre capital próprio (JCP). A diferença entre eles está na cobrança de imposto. Enquanto os dividendos são isentos, os juros sobre capital próprio sofrem uma diminuição de 15% por conta do Imposto de Renda.

Companhias negociadas na bolsa de valores que terminam o ano com lucro distribuem parte desses ganhos aos acionistas. Como sócio da empresa, você tem direito a uma fatia dos resultados. Por lei, companhias listadas são obrigadas a distribuir ao menos 25% do lucro. Quanto à parte dos lucros não distribuída, pode ser reinvestida. 

A porcentagem do lucro que irá para dividendos e a porcentagem que será reinvestida variam de uma companhia para outra. A proporção se define pela política de dividendos, desenhada por meio de conselhos de administração e assembleias periódicas. Os pagamentos são feitos anualmente, semestralmente, trimestralmente ou mensalmente.

Se a empresa está em fase de crescimento, não distribuir dividendos agora pode ser fundamental para garantir distribuições futuras de lucros. Afinal, colocar dinheiro em novos produtos e serviços pode ser a chave para garantir ganhos em longo prazo.

Por outro lado, empresas maduras, com participação de mercado consolidada, costumam distribuir uma parte maior dos seus lucros para atrair mais acionistas.

Para que servem os dividendos?

Receber parte dos lucros de diversas companhias com frequência significa obter renda sem precisar passar horas trabalhando. Os dividendos são uma alternativa para quem busca viver de aplicações passivas ou apenas complementar sua renda ativa.

Porém, lembre que os dividendos são apenas uma parte do lucro das companhias. Seu impacto é mais percebido pelos que possuem grandes quantias aplicadas em ações. Note também que, como dividendos dependem do lucro das empresas, uma diminuição desses ganhos também impacta seus recebimentos.

As agendas de dividendos são previsões e podem ser refeitas em assembleias. Por isso, fique de olho nessas eventuais mudanças por meio da página de relações com investidores, presente nos sites de qualquer companhia aberta.

Enquanto você ainda não consegue viver de dividendos, uma opção é usar essa parte dos lucros para automaticamente comprar mais ações. Isso aumenta a quantidade de dinheiro que será recebido em longo prazo, por meio de mais dividendos. Inclusive, algumas companhias têm um Programa de Reinvestimento de Dividendos (PRD) automático.

Que ações pagam dividendos mensais?

Se você quer viver de dividendos ou aproveitar parcialmente esses ganhos recorrentes, é importante saber quais empresas pagam o maior volume e com qual frequência. A Ambev, por exemplo, paga dividendos trimestralmente. Já a Cyrela pagou dividendos semestralmente nos últimos dois anos.

Os bancos costumam pagar dividendos mensalmente, por terem de prestar contas ao Banco Central. A seguir, veja alguns exemplos de companhias que pagam dividendos todos os meses.

1. Banestes

O Banco do Estado do Espírito Santo S.A. é uma instituição financeira controlada pelo governo do Espírito Santo. Também conhecido como Banestes, o banco múltiplo foi criado em 1937. 

O Banestes distribui proventos mensalmente, por meio de JCP. Já os dividendos são repassados semestralmente. O valor é o mesmo para ações ordinárias ou preferenciais.

2. Bradesco

O Banco Bradesco S.A. é um banco privado criado em 1943. Ele repassa proventos mensalmente aos acionistas, por meio de JCP, e também realiza pagamentos extraordinários de dividendos. Os valores mudam de acordo com a escolha de ações ordinárias ou preferenciais.

3. Itaú

O Itaú Unibanco S.A. também é um banco privado, criado em 2008 pela fusão entre o Banco Itaú, criado em 1943, e o Unibanco. O Itaú Unibanco S.A. fornece pagamentos mensais aos seus acionistas desde julho de 1980. Usa tanto juros sobre capital próprio quanto dividendos, pagando o mesmo valor por ações ordinárias ou preferenciais.

Como escolher entre as ações que pagam dividendos?

Para fazer uma escolha acertada, o ideal é seguir os critérios seguintes.

Considere o dividend yield

O primeiro passo para você montar uma carteira com ações que rendem dividendos mensais é ficar de olho no dividend yield. Essa é a porcentagem que a companhia paga de dividendos sobre o preço das suas ações. 

Procure ações que tenham um alto dividend yield. A maioria dos papéis deve ter uma porcentagem entre 5% a 7%. Uma minoria pode ter uma porcentagem de cerca de 2%, caso sejam empresas com potencial de crescimento e valorização no futuro. Procure um dividend yield que ofereça um retorno pelo menos acima da taxa básica de juros.

Porém, não basta só escolher a companhia que dá mais dividendos em relação ao preço das suas ações. Afinal, o dividend yield não verifica a sustentabilidade desses pagamentos. Essa métrica pode estar alta porque o preço da ação caiu muito ou por conta de um evento não recorrente. Por isso, sempre olhe o maior histórico possível de pagamentos de dividendos.

Leve em conta o payout

Outro indicador importante é o payout, que indica a porcentagem do lucro líquido que a companhia transformou em dividendos. Se ele estiver em 50%, por exemplo, significa que metade dos ganhos foram distribuídos aos acionistas. Mas tome cuidado com payouts muito altos, porque eles indicam que a companhia não planeja altas taxas de expansão no futuro próximo.

Uma consideração mais aprofundada tanto do dividend yield quanto do payout refletem uma análise fundamentalista das ações. Em resumo, sempre procure companhias em que você realmente acredita quanto à gestão e ao potencial de crescimento. A ideia é que você fique com os papéis por décadas, aproveitando seus dividendos mensalmente.

Diversifique seus investimentos

Outro princípio básico é a diversificação de investimentos. Se você quer viver de dividendos mensais, não pode colocar todos os seus ovos em uma mesma cesta. Construa uma carteira com ações de diversas companhias. Assim, caso uma pague menos dividendos em certo mês, outra poderá compensar a perda.

O recomendado é ter entre 8 e 15 empresas no portfólio. Você pode misturar companhias com diversos prazos de pagamento de dividendos. Sempre que precisar, conte com especialistas para montar a melhor carteira para seu objetivo e sua tolerância a riscos.

Os dividendos mensais podem ser uma boa opção para quem busca uma renda passiva total ou complementar. Mas é preciso analisar a fundo essas empresas que distribuem parte do lucro antes de comprar suas ações. Agora que você já sabe tudo sobre dividendos mensais, leia mais sobre como escolher entre ações e fundos imobiliários (FIIs).

análise de investimentos