O que a solicitação de adiantamento de salário diz sobre a sua empresa?

por Juliana Volpe | 25/10/2018

adiantamento de funcionários

Pedidos de adiantamento de funcionários e solicitações de empréstimo consignado são alguns dos sinais de que o colaborador pode estar com problemas financeiros. E por mais que esse seja um problema pessoal, isso reflete no desempenho da empresa.

Saber identificar esses e outros sinais é importante para auxiliar seus colaboradores a lidarem com seus problemas financeiros. Assim, pode-se conservar a produtividade dos colaboradores, reduzir o turnover e manter um ambiente de trabalho saudável. Neste post, você vai entender melhor como essas solicitações de empréstimo e adiantamentos podem representar problemas mais profundos para a organização. Confira!

Empréstimo consignado e adiantamento são sinais de problema?

É papel do setor de recursos humanos (RH) da empresa estar sempre atento ao comportamento dos colaboradores. E isso inclui avaliar como eles se relacionam com as próprias finanças para entender em que medida esses problemas financeiros podem afetar o bem-estar do seu colaborador e da sua empresa. Nesse contexto, o empréstimo consignado e os pedidos de adiantamento salariais são situações que podem ligar o sinal de alerta.

Saber controlar o empréstimo consignado não é fácil, já que ele é um benefício que oferecido pela empresa ao trabalhador. Entretanto, esse tipo de solicitação pode ser prejudicial no ambiente de trabalho e levar ao estresse financeiro. Os pedidos de adiantamento de funcionários vão além: podem mostrar uma dificuldade de gerir as finanças pessoais.

Entretanto, há diferentes casos. O importante é entender que essa situação não deve ser encarada como normal, especialmente quando é frequente. O RH tem poucos mecanismos para controlar esse quadro. Por isso, é indispensável manter-se atento a esses indicadores, que podem representar situações de instabilidade dos colaboradores.

Como a saúde financeira do funcionário afeta a empresa?

O estresse financeiro acontece quando dificuldades com as próprias finanças causam situações de grande ansiedade, apreensão, falta de foco e, principalmente, baixa produtividade. Um colaborador com problemas pessoais e financeiros vai deixar de oferecer o máximo que se espera dele em termos de desempenho.

O impacto desses problemas é real e pode ser identificado no cotidiano. Ele aparece em forma de baixa produtividade, dificuldades de relacionamento no ambiente de trabalho, desvio da estratégia do negócio, faltas, atrasos constantes e outros sinais.

A empresa, nesse cenário, é afetada quando os colaboradores têm problemas financeiros. Isso porque esses aspectos ocupam cada vez mais tempo e dedicação dele, o que faz que as obrigações no trabalho fiquem em segundo plano. A interferência é direta, então é importante que as empresas saibam agir para mudar essa situação.

É possível educar o colaborador sobre sua saúde financeira?

Além de saber controlar os empréstimos consignados e os pedidos de adiantamento de funcionários, é fundamental ajudá-los a ter uma relação mais positiva com o próprio dinheiro. Para as empresas, é difícil saber quem passa por esses problemas e, por isso, é necessária uma abordagem mais genérica da situação.

Em uma pesquisa do Bank of America, 53% dos participantes confirmaram que suas dificuldades financeiras atrapalham seu rendimento no trabalho. O problema é, de fato, real e prejudicial para as empresas — e isso demanda esforços para minimizar os prejuízos que esse quadro possa causar.

A educação financeira é a melhor forma de as companhias ajudarem seus funcionários a lidarem com essas dificuldades. Por mais que seja algo pessoal, essa falta de disciplina pode representar obstáculos para os objetivos da empresa no longo prazo, já que colaboradores com problemas não rendem o esperado.

Palestras e workshops

Um modo simples e prático de tratar o problema é compreendê-lo de forma ampla. Para uma empresa, é inviável abordar um funcionário e questioná-lo sobre seus hábitos financeiros, já que isso é constrangedor e invasivo. Entretanto, quando o assunto é tratado amplamente, é possível falar sobre educação financeira, seus benefícios e os prejuízos que sua falta pode causar.

As palestras e os workshops são ferramentas que oferecem esse tipo mais amplo de direcionamento e tratam dessa dificuldade de modo mais preciso. Assim, a empresa pode contratar profissionais que falem sobre o assunto para mostrar como a falta de disciplina pode ser prejudicial e que eles podem sair dessa situação de forma mais simples do que eles imaginam.

Empresas especializadas

Outra possibilidade é a contratação de empresas que fazem diagnósticos e trabalham diretamente com os colaboradores para prestar serviços de orientação financeira. As palestras se tornam parte do plano de conscientização e orientação, e ajudam esses colaboradores com a educação financeira.

No Brasil, a Magnetis é uma empresa de referência na oferta desse serviço. Com custo acessível, esse trabalho possibilita vantagens interessantes para as organizações.

Quais as vantagens de ter um funcionário financeiramente estável?

Um funcionário financeiramente estável é mais capacitado para conduzir as pretensões da companhia, pois ajuda a manter o ambiente de trabalho agradável, rende mais e se mostra motivado a se desenvolver. Os aspectos positivos são observados claramente no ambiente de trabalho, em uma relação em que todos ganham. Veja, a seguir, alguns fatores que mostram de forma concreta como é importante para as empresas ter funcionários que sabem administrar suas finanças.

Redução de turnover

Altas taxas de turnover são um pesadelo para o RH. Afinal, entradas e saídas frequentes produzem custos, períodos de adaptação, demandas de contratação e dispensa e assim por diante. Colaboradores que lidam bem com o dinheiro, por sua vez, tendem a estar mais satisfeitos com seus vencimentos.

Isso reduz pedidos de desligamento por insatisfação com o salário (que, muitas vezes, é motivada pela má gestão financeira). Essas demissões ainda podem acontecer: em casos extremos, quando o colaborador deixa totalmente de cumprir suas obrigações e cai de produção vertiginosamente.

Adequação à gestão estratégica

A gestão estratégica é praticamente obrigatória para que as empresas tenham bom desempenho e busquem atingir seus objetivos de forma inteligente e bem planejada. Entretanto, não é simples fazer um colaborador se adaptar a essa estratégia e, quanto maior o turnover, pior.

Se os colaboradores da empresa estão satisfeitos e sabem lidar com o dinheiro, naturalmente a taxa de desligamento diminui. Com isso, dispensa-se a contratação e a adaptação de novos talentos à estratégia praticada na organização.

Ambiente empresarial saudável

Colaboradores com problemas pessoais tendem a se mostrar mais irritados, impacientes e intolerantes — e isso afeta diretamente o ambiente de trabalho. Esse cenário é comum quando há casos de estresse financeiro e atrapalha o trabalho em equipe e o bom relacionamento no ambiente corporativo.

Se todos lidam de forma organizada com suas responsabilidades pessoais, as chances de apresentarem esse tipo de comportamento é menor. Nem sempre, porém, é possível saber como controlar o empréstimo consignado e o adiantamento de funcionários, mas a empresa pode certamente ajudar os colaboradores a terem disciplina financeira.

A Magnetis para Empresas oferece uma solução completa que trata de ponta a ponta os desafios financeiros de milhares de funcionários! Quer saber mais como funciona? Entre em contato conosco e conheça o primeiro benefício de bem-estar financeiro do Brasil.

Juliana Volpe é Gerente de Negócios na Magnetis.

Avaliar o post