Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Agente autônomo de investimento e consultor de investimentos: quais são as diferenças?

Você sabe qual a diferença entre um agente autônomo de investimento e um consultor de investimentos? Neste artigo, você vai entender melhor o que faz cada um, além de compreender como o mercado financeiro se relaciona com eles.

Se você se interessa por investimentos e gostaria de contratar um profissional da área para auxiliar em suas estratégias, este conteúdo vai te ajudar a entender como esses profissionais atuam e qual deles melhor se adapta às suas necessidades.

Continue a leitura e aprofunde o seu conhecimento a respeito do assunto!

O que faz um agente autônomo de investimento

O agente autônomo de investimento é o profissional que atua aproximando a corretora e o cliente final. De acordo com a Instrução 497 de 3 de junho de 2011 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o agente autônomo de investimentos pode fazer as seguintes atividades:

  • prospecção e captação de clientes;
  • recepção e registro de ordens e transmissão dessas ordens para os sistemas de negociação ou de registro cabíveis, na forma da regulamentação em vigor;
  • prestação de informações sobre os produtos oferecidos e sobre os serviços prestados pela instituição integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários pela qual tenha sido contratado.

Isso significa que o agente autônomo de investimentos atua como um vendedor, que oferece e explica as características dos investimentos para o investidor.

Essa atuação como vendedor pode gerar um conflito de interesses. Por ganharem comissões e metas, os agentes não necessariamente vão indicar os produtos mais adequados para o investidor, mas sim os que geram maior comissão sobre a venda.

A renda do agente autônomo de investimentos é baseada na comissão oriunda da intermediação dos investimentos. Dessa forma, a remuneração desse profissional depende da quantidade de clientes atendidos, dos valores investidos, das relações comerciais mantidas e das condições negociadas em termos de comissão a ser paga por transação.

Veja mais: você sabe como estão os seus investimentos? Faça uma análise completa e imparcial do seu portfolio de aplicações

Muitos profissionais que ingressam nessas áreas possuem formação em administração, economia e contabilidade, entretanto não há nenhum tipo de obrigatoriedade quanto à formação acadêmica dos AAI — eles devem ter ensino médio completo, por exigência em lei, e um bom conhecimento técnico sobre o mercado de investimentos.

Além disso, para se tornar um AAI é imprescindível a realização de habilitados para o exercício da função através de uma certificação realizada pela Associação do Mercado de Capitais (ANCORD).

O que faz um consultor de investimentos

A consultoria de investimentos é um serviço personalizado que se caracteriza pela indicação de investimentos de acordo com o perfil, objetivo e necessidades do investidor.

O consultor é um profissional altamente capacitado com especialização no ramo de finanças. Antes de recomendar os produtos financeiros, o consultor de investimentos faz uma análise completa do perfil, objetivos do cliente e seu portfólio de investimentos, caso haja.

Dessa forma, o consultor tem condições de oferecer soluções mais personalizadas, desenhadas especificamente de acordo com o perfil do cliente.

Um ótimo exemplo do trabalho de um consultor de investimentos é o que acontece na Magnetis.

Como a Magnetis é uma gestora de investimentos, os consultores trabalham em conjunto com o algoritmo que desenvolvemos, montando uma carteira de investimentos personalizada para você.

Agente autônomo x consultor de investimentos

Muito embora essas funções pareçam muito semelhantes sob uma primeira análise, uma avaliação mais apurada demonstra que há várias diferenças práticas no trabalho desenvolvido pelo agente de investimento e pelo consultor de investimentos.

Enquanto o AAI é uma pessoa que exerce a função de “vendedor” no sistema de distribuição de valores mobiliários, o CI presta consultoria individual na avaliação de investimentos em mercados de capitais, elaborando gráficos, recomendações e relatórios, além de fornecer subsídios para auxiliar no processo de tomada de decisões em aplicações em valores mobiliários.

Como mencionado, os agentes autônomos ganham comissão ou trabalham com sistema de metas embasados na recomendação de produtos específicos e, por isso, podem indicar produtos que não sejam, necessariamente, a melhor opção para o cliente.

Por outro lado, o consultor de investimentos não possui esse tipo de vínculo — o que acaba representando a indicação de produtos focados exclusivamente no perfil e objetivos dos seus clientes.

Como você pode ver, a contratação de um consultor de investimentos permite um atendimento mais personalizado em relação ao agente autônomo, já que no primeiro não há risco de que ocorram conflitos de interesses.

Agora que você já sabe o que faz um agente autônomo de investimento e um consultor de investimentos, pode conhecer melhor como funciona uma consultoria de investimentos!

Caroline Dubard
Caroline Dubard

formada em marketing e apaixonada por conteúdo. Tem experiência em marketing digital, performance e branding. Atualmente, lidera as estratégias de marketing de conteúdo da Magnetis.

leia mais desse autor