Como aprender a investir e conquistar seus objetivos financeiros

por Mariana Congo

Entender o que é investimento, conhecer as opções que existem no mercado e aprender a investir são atitudes nem sempre fáceis de colocar em prática.

É normal ter dúvidas no meio do caminho, pois o mercado oferece milhares de tipos de investimento. Além disso, há quem se aproveite de momentos de incerteza para aplicar golpes financeiros em quem deseja ganhar dinheiro rápido.

Mas não se preocupe! Investir bem não é um bicho de sete cabeças. Basta entender um pouco sobre como funcionam os investimentos e você terá condições de fazer escolhas melhores.

Para ajudar você, listamos aqui o que você precisa para aprender a investir. Você vai ver que não precisa ser especialistas para cuidar bem do seu dinheiro. Continue a leitura!

O que é investimento?

Investimento é tudo o que você faz hoje para ter um resultado no futuro. Pode ser aplicar o seu dinheiro, mas também pode se tratar de qualquer esforço que você faz para alcançar um determinado propósito.

Assim, quem estuda está investindo em conhecimento. Quem faz exercício físico e busca se alimentar adequadamente está investindo em sua saúde. Quem reserva momentos na agenda para se dedicar ao convívio com outras pessoas está investindo em seus relacionamentos.

Com as aplicações financeiras, o mecanismo é bastante parecido. Você separa uma quantia do dinheiro que você tem hoje para gastar no futuro.

Nesse meio tempo, existem ferramentas que permitem que seu dinheiro se multiplique e se transforme em uma quantia maior. Essas ferramentas são os tipos de investimentos, que veremos a seguir.

Quais são os principais tipos de investimentos?

Depois de entender o conceito de investimento, o próximo passo é conhecer os tipos de investimentos à sua disposição. A partir disso, você poderá escolher o que se encaixa melhor no seu perfil.

Para facilitar essa tarefa, preparamos um breve resumo sobre os principais tipos de investimento.

Renda fixa x renda variável

Existem diversos tipos de investimentos mas, de forma geral, eles podem ser classificados em duas grandes famílias: renda fixa ou renda variável.

O que diferencia esses investimentos são dois fatores:

  • prazo de vencimento da aplicação: os investimentos de renda fixa têm data certa para serem resgatados. Já os de renda variável não têm essa característica;

  • previsão de rentabilidade: investimentos de renda fixa têm sua rentabilidade baseada em uma taxa, que pode ser prefixada ou atrelada a algum indicador da economia. No caso da renda variável, a rentabilidade se dá pela diferença entre o preço de compra e o preço de venda das aplicações.

Investimentos em renda fixa

Os investimentos de renda fixa são voltados para quem deseja ter mais controle sobre o resultado de seus investimentos. Isso porque, como mencionamos, é possível ter uma ideia de como será o rendimento dessas aplicações. Veja alguns exemplos:

  • Tesouro Direto;

  • Certificado de Depósito Bancário (CDB);

  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI);

  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA);

  • debêntures;

  • poupança;

  • fundos de investimento que aplicam nesses ativos.

Investimentos em renda variável

Os investimentos em renda variável têm rentabilidade imprevisível. Porém, no longo prazo, essas aplicações podem render mais do que os investimentos de renda fixa, dependendo das condições do mercado e da qualidade desses ativos. São exemplos:

  • ações;

  • fundos de ações;

  • fundos multimercados;

  • fundos imobiliários;

  • Certificado de Operações Estruturadas (COE);

  • derivativos.

Como aprender a investir o seu dinheiro?

Passo 1: Entenda seu perfil e seus objetivos

Diante de tantas opções, é normal se sentir em dúvida na hora de escolher os melhores investimentos.

Mas antes de olhar para a rentabilidade, você precisa levar em consideração aspectos bastante particulares. Isso porque o melhor ativo para uma pessoa não é necessariamente o melhor para outra.

Assim, para escolher um bom investimento, avalie o seu perfil: você prefere um retorno mais previsível ou aceita algo indefinido, sabendo que pode alcançar um resultado maior?

É claro, isso também depende dos seus objetivos. Se você quer comprar um imóvel nos próximos seis meses, por exemplo, não é ideal aplicar seu dinheiro em renda variável.

Porém, você pode dividir seus objetivos em diferentes prazos e, a partir daí, escolher as melhores aplicações para esses propósitos.

Esses são os dois fatores fundamentais para conquistar bons rendimentos e executar bem o seu planejamento financeiro.

Portanto, o melhor investimento não é o mesmo para todos. Cada pessoa, de acordo com suas necessidades, deve encontrar a opção mais adequada para si.

Passo 2: Pesquise sobre instituições confiáveis para investir

Confiança é algo fundamental para fazer bons investimentos. Afinal, seu patrimônio só será multiplicado e protegido se você contar com a ajuda de instituições sólidas.

No entanto, não são só os grandes bancos que contam com essa credibilidade. Bancos médios, corretoras e fintechs, por exemplo, oferecem investimentos até mais atraentes.

O segredo é entender o papel de cada uma dessas instituições. Confira a seguir:

Bancos

São instituições que executam os serviços financeiros mais básicos, como abertura e movimentação de conta bancária, conta-salário, poupança, cartão de crédito e débito, cheque especial, seguros e assim por diante.

Como as grandes instituições não são especializadas em investimentos, acabam oferecendo aplicações com menos vantagens para seus clientes. São fiscalizados pelo Banco Central do Brasil.

Corretora de valores

A corretora de valores é uma empresa que faz o intermédio da compra e da venda de títulos, especialmente na Bolsa de Valores. Para atuar, as corretoras devem receber autorização do Banco Central e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Consultoria de investimentos

A consultoria de investimentos é um serviço ofertado por uma pessoa ou empresa devidamente registrada e autorizada pela CVM. Sua função é possibilitar que qualquer pessoa consiga ter bons resultados, já que ela orienta e indica os melhores ativos.

Vale lembrar que a consultoria não cobra comissões ou recebe bônus em razão das aplicações indicadas. Na verdade, sua remuneração é feita por meio da taxa de consultoria, que é proporcional ao valor investido.

Gestora de investimentos

A gestora de investimentos realiza um serviço conhecido como asset management, ou gestão de ativos. Ela não apenas faz a indicação de bons investimentos como monitora a carteira e estuda novas maneiras de investir esses recursos.

Passo 3: Comece devagar

É importante tomar uma atitude e não deixar o seu dinheiro parado. Mas também é importante tomar decisões adequadas com os seus propósitos.

Assim, comece investindo aos poucos. Tire uma pequena parcela das suas economias e escolha um investimento para testar. É claro, o ideal é começar pelos mais simples e ir evoluindo para as aplicações mais sofisticadas.

Essa é uma forma de você perder o medo de investir o seu dinheiro e passar a entender melhor como as aplicações financeiras funcionam.

E se você precisar de ajuda, não tenha receio de buscar especialistas, sejam profissionais ou empresas dedicadas a esse tema. Assim, aprender a investir será um processo mais tranquilo e vantajoso para você.

Agora, que tal entender um pouco mais sobre as aplicações financeiras que estão à sua disposição? Baixe gratuitamente o nosso Guia Completo sobre os Tipos de Investimento e tire suas dúvidas!

Mariana Congo, da Magnetis

Mariana Congo é Gerente de Comunicação da Magnetis e jornalista especializada em finanças pessoais.

Como aprender a investir e conquistar seus objetivos financeiros
5 (100%) 4 votes