X
Magnetis Week

a black friday da

Magnetis Logo
Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Balanço Patrimonial Pessoal: aprenda a fazer o seu!

Se fosse para responder bem rápido, saberia dizer qual é o tamanho da sua riqueza ou se você teve algum prejuízo no ano? Se você faz parte do grupo de pessoas que gostam de manter as finanças pessoais em dia e bem controladas, precisa começar a fazer o chamado Balanço Patrimonial Pessoal.

Você conhece ou já ouviu falar desse termo? Neste artigo, explicamos com detalhes o que é, como funciona, para que serve e como ele pode ser feito. Continue conosco para entender!

O que é e para que serve o Balanço Patrimonial Pessoal?

O Balanço Patrimonial Pessoal é uma ferramenta utilizada para mostrar, de forma bem visual e prática, qual é a sua situação financeira.

No contexto empresarial, ele é muito usado pela área contábil a fim de fornecer um entendimento sobre a posição financeira do negócio, principalmente no que diz respeito ao patrimônio líquido da organização — o que se tem disponível em caixa, efetivamente.

No âmbito pessoal, a ideia é a mesma. Ou seja, fazer um levantamento de todos os seus bens e dinheiro disponível em conta, bem como as dívidas que precisam ser quitadas no período.

Logo, ele inclui algumas questões como:

  • os imóveis em seu nome;
  • automóveis e outros bens do tipo;
  • dinheiro aplicado em investimentos;
  • dívidas no geral — como o financiamento de um carro, por exemplo.

Como esse balanço funciona?

Ao fazer o levantamento de todos os seus bens e passivos (as contas que precisam ser pagas), é possível visualizar quanto você tem e também o quanto deve. O resultado disso vai mostrar se o seu balanço está positivo ou negativo.

No primeiro caso, significa que a sua soma de dinheiro (mesmo o que está imobilizado, como um imóvel) é maior que todos os compromissos financeiros que precisam ser honrados. Isso é um bom sinal, já que indica que você tem controle sobre tudo que possui e compra.

Um resultado negativo, por sua vez, quer dizer que os passivos superaram os ativos, e as contas a pagar ficaram maiores que o seu patrimônio disponível. Esse é um indicativo forte de que as contas podem não estar bem organizadas e que a sua saúde financeira está em risco.

Em resumo, o Balanço Patrimonial Pessoal permite ver o seu fechamento financeiro. Quando é feito regularmente (geralmente uma vez por ano), ajuda a avaliar o seu grau de enriquecimento ao longo do tempo.

Dessa forma, fica bem mais fácil saber se você tem tomado decisões sábias a respeito do dinheiro ou se algumas mudanças precisam ser tomadas para não perder patrimônio.

Como fazer um Balanço Patrimonial Pessoal?

Se você tem algum conhecimento em Excel, ele é a melhor ferramenta para acompanhar o seu balanço. Caso não saiba usá-lo e prefira um controle mais manual, pode fazer as anotações e os cálculos em um caderno.

O primeiro passo consiste em listar todos os seus ativos e o valor de cada um deles. Por exemplo:

  • casa: R$ 200 mil;
  • carro: R$ 40 mil;
  • investimentos: R$ 15 mil.

Nesse caso, a soma dos seus ativos seria de R$ 255 mil. Esse é o seu patrimônio bruto.

Porém, também temos que considerar os passivos. Ou seja, o que você ainda não tem quitado e gera uma conta a ser paga. Eles podem incluir, por exemplo:

  • casa: R$ 40 mil;
  • carro: R$ 5 mil.

Então, se os seus bens ainda estão financiados, o valor restante deve entrar como um passivo, mesmo que você faça os pagamentos em dia. No exemplo, a soma é de R$ 45 mil.

Agora, para saber qual é o seu patrimônio líquido, basta subtrair o valor dos ativos pelo dos passivos. Nesse exemplo, o resultado é R$ 210 mil.

Você pode fazer o seu Balanço Patrimonial Pessoal mais detalhado

Caso goste de acompanhar tudo com mais detalhes, você poderá fazer esse controle mensalmente, em vez de apenas uma vez por ano.

Desse modo, a cada mês os valores dos patrimônios vão sendo alterados, dando uma ótima ideia do seu crescimento pessoal.

Além disso, o nível de detalhamento pode ser ainda maior se houver uma separação entre ativos de alta liquidez e baixa liquidez. Nesses casos:

  • os de alta liquidez são aqueles que podem ser transformados em dinheiro vivo de forma rápida. É o caso de um investimento financeiro que permite a retirada dos valores de imediato, por exemplo;
  • já os de baixa liquidez são aqueles que não podem ser vendidos ou trocados com agilidade no caso de uma emergência financeira. Sua casa é um bom exemplo.

É importante fazer uma análise do balanço

Depois que você chegar ao resultado do seu balanço, terá uma clareza financeira bem maior a respeito da sua situação atual. No exemplo que citamos aqui nos cálculos, ela é muito satisfatória, visto que o patrimônio líquido é alto e bem superior aos passivos.

Vale lembrar que a sua lista pode ter apenas dois itens, ou mais de dez. Independentemente da quantidade de bens que você tem, esse é um tipo de acompanhamento que vale a pena ser feito. Inclusive, pode ser muito bem aproveitado até mesmo por quem não é rico.

A criação de um planejamento financeiro

A partir do seu balanço, você saberá se precisa — ou não — fazer algumas mudanças na forma como tem gerido o seu dinheiro. Assim, fica mais fácil dar o primeiro passo para criar um bom planejamento financeiro, contemplando os objetivos e as ações que serão tomadas para que eles sejam alcançados.

É nessa fase também que você pode aprender a investir, ampliando o seu patrimônio ainda mais. Isso sem contar a importância de fazer uma reserva de emergência, que permite solucionar imprevistos com mais tranquilidade.

Como você pôde ver, trata-se de uma excelente ferramenta para avaliar o seu crescimento e dar suporte para seu sucesso financeiro. Com ele, é possível ter um conhecimento bem maior sobre como você tem gerido seus bens e as dívidas correntes.

Gostou do conteúdo sobre Balanço Patrimonial Pessoal e quer aproveitar para saber um pouco mais sobre como investir? Confira nosso curso grátis de investimento, que aborda questões como a renda fixa e a reserva de emergência!

Luiza Caricati

Luíza Caricati é produtora de conteúdo da Magnetis. Jornalista, tem experiência na área de investimentos, educação e negócios, e lidera nossa estratégia multimídia, traduzindo conteúdos complexos em comunicações didáticas para diversos formatos.

leia mais desse autor