X
Magnetis Week

a black friday da

Magnetis Logo
Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

8 benefícios da previdência privada que você precisa conhecer

Se você está pensando em guardar dinheiro para a aposentadoria, é preciso conhecer as alternativas ao INSS. E uma que tem ficado cada vez mais conhecida é a previdência privada. Essa modalidade de investimento é excelente para diversificar sua carteira, especialmente a longo prazo, e ampliar os rendimentos voltados para o seu futuro.

E para te ajudar a entender porque você deveria considerar esse investimento, separamos oito benefícios da previdência privada para te mostrar. Não deixe de ler antes de investir no seu futuro!

1. Facilidade na contratação

Contratar um plano de previdência privada é um procedimento simples. Basta procurar uma instituição financeira (bancos, seguradoras ou fintechs) para ajudá-lo a escolher o plano ideal focado nos seus objetivos. Você assina um contrato, faz aportes mensais e pode resgatar o dinheiro após um determinado período.

Muitas dessas instituições financeiras, principalmente as fintechs, já fazem esse processo 100% digital. Ou seja, você pode proteger o seu futuro com apenas alguns cliques.

2. Ausência de idade mínima

Não ter uma idade mínima é um dos maiores benefícios da previdência privada. A única exigência é um número de CPF. Por essa razão, esse é um investimento que muitos pais fazem para seus filhos assim que eles nascem. Desta forma, eles podem regastá-lo para pagar uma universidade, comprar um apartamento ou até empreender quando chegarem à idade adulta.

Na previdência privada, quanto mais cedo você começar a aplicar o dinheiro, maior será a rentabilidade no futuro.

3. Flexibilidade nos aportes

Para começar a investir em planos de previdência privada, é preciso contribuir com um aporte inicial. O valor mínimo desse aporte depende do plano e da instituição escolhida e podem variar de R$ 100 até a R$ 100 mil.

Mas mesmo que esse aporte inicial seja elevado, existe a possibilidade de variar a quantia depositada mensalmente. Por exemplo: você pode aplicar R$ 25 em janeiro e, no mês seguinte, aplicar R$ 150. 

A flexibilidade nos aportes é uma grande vantagem da previdência privada. Não há um valor fixo estipulado previamente: tudo depende da sua disponibilidade financeira e dos seus objetivos.

4. Liberdade de escolher as formas de resgate

Na previdência social, você só pode fazer o resgate em casos de aposentadoria ou invalidez. Porém, com a previdência privada, a liberdade é maior: você escolhe o momento mais adequado de resgatar o dinheiro

Existem três tipos de resgate disponíveis, cada um com um objetivo diferente: renda mensal temporáriarenda de longo prazo e saque do valor total.

– Renda mensal temporária

Ao contratar o plano de previdência privada, existe a opção de escolher o início ou fim do benefício. Quem deseja obter rendimentos extras durante certo tempo pode optar por essa categoria de resgate.

No entanto, em caso de falecimento, o benefício é encerrado mesmo que ainda haja saldo. E o valor total é passado para os herdeiros ou beneficiários escolhidos no momento de contratação do plano.

– Renda mensal a longo prazo

Quer assegurar sua aposentadoria? Então, essa é a opção mais indicada. Nesse tipo de resgate, você determina uma data de início e recebe o investimento pelo resto da vida. Em caso de morte, ele também pode ser repassado a outros beneficiários. 

– Saque do valor total

Na previdência privada também é possível sacar o valor total do seu benefício de uma vez. Porém, resgatar o valor em pouco tempo não é recomendado, já que você pagará mais impostos.

Essa opção é interessante para quem deseja comprar um imóvel ou adquirir outro tipo de bem. 

Antes de escolher uma ou outra opção, estude as alíquotas que serão cobradas no Imposto de Renda para garantir que ela realmente é a mais vantajosa.

5. Benefícios fiscais

Entre os benefícios da previdência privada, o regime de tributação é um dos mais atrativos. Existem dois tipos de plano: o PGBL e o VGBL

Quem faz a declaração completa do Imposto de Renda obtém mais vantagens com o PGBL, já que pode deduzir até 12% da renda anual tributável. Em contrapartida, no VGBL a incidência de impostos ocorre somente sobre os rendimentos, e não sobre o valor total investido.

A escolha dependerá dos seus objetivos.

Planos de previdência privada também não utilizam o sistema de come-cotas, comuns em fundos de renda fixa fiscalizados pelo Banco Central. No come-cotas o IR é descontado a cada semestre no formato de cotas, mesmo que você não tenha resgatado o seu dinheiro. 

A ausência de come-cotas é uma vantagem, já que o dinheiro continua rendendo sem a interferência de tributos. Logo, o investimento apresenta uma rentabilidade real.

6. Incentivo à disciplina financeira

Aplicar em previdência privada pode ainda ser um incentivo à disciplina financeira. Isso acontece porque ele possibilita o depósito mensal de quantias flexíveis e recompensa quem faz isso há mais tempo e com mais disciplina.

A maioria dos investimentos em previdência prevê, inclusive, a possibilidade de débito automático da conta do contribuinte. Desta forma, você nem precisa se lembrar de poupar para a sua aposentadoria.

7. Permite a sucessão patrimonial

A sucessão patrimonial pode ser garantida pelo plano de previdência privada. Ao contrário do INSS, no momento de assinar o contrato é criada uma cota individual para cada pessoa. Como cada segurado estabelece o próprio patrimônio, este poderá ser passado adiante para futuros herdeiros ou pessoas indicadas pelo proprietário do plano.

Em caso de falecimento, o patrimônio é transferido rapidamente, sem necessidade de inventário ou de pagamento de impostos. 

8. Portabilidade

Caso você assine um plano de previdência privada e não fique contente com o resultado, existe sempre a opção de fazer a portabilidade. Isso significa que é possível migrar de planos na mesma instituição ou transferi-los para outro banco ou seguradora sem custos adicionais. 

Ao fazer a portabilidade do seu plano, não são cobrados tributos e não é necessário resgatar o dinheiro aplicado. Assim, você sempre pode buscar alternativas mais interessantes para seus objetivos.

A portabilidade, inclusive, é cada vez mais comum entre as pessoas que investem. Dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) mostraram um aumento de 82% dos pedidos de portabilidade entre 2014 e 2018. Contudo, vale ressaltar que só é possível realizar a portabilidade entre planos da mesma categoria (PGBL e VGBL). Você também pode fazer a portabilidade de um plano com tabela progressiva para um de tabela regressiva, mas não o inverso.

Agora que você já conhece os benefícios da previdência privada, faça um planejamento focado nos seus objetivos de longo prazo. Coloque na ponta do lápis todas as suas opções, elenque as vantagens e desvantagens e combine-as com as possíveis rentabilidades. Aproveite também para compartilhar este artigo nas redes sociais! Mande para seus amigos e ajude-os a solucionar dúvidas sobre esse tema.

Julia Ayres

Julia é jornalista por formação, mas apaixonada por marketing digital, performance e educação financeira. Atualmente, lidera as estratégias de marketing para a área de empresas da Magnetis

leia mais desse autor