Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Você pode investir de um jeito melhor, e nós podemos provar.

Baixe o app!

Big Techs: potências capazes de transformar patrimônios

Dias atrás eu estava aguardando em uma fila e de repente fiquei sem bateria no celular. Não deu para checar as redes sociais ou e-mails, nem para saber quanto tempo já tinha se passado, e sequer para jogar um joguinho. 

Então, só fiquei lá, parada, esperando. Vez ou outra alguém falava amenidades comigo.  Depois, no hotel, perguntei: Alexa, que horas são?”. Não tinha Alexa lá. Tive que parar o que estava fazendo para ver as horas.

Para o bem ou para o mal, as Big Techs trouxeram inovações que influenciam os padrões de comportamento de nós, os consumidores. 

Acredito que não te chocaria saber que Apple, Google, Facebook, Microsoft e Amazon estão entre as Big Techs mais conhecidas do mundo. Cada uma delas atua em uma frente distinta e foca principalmente em trazer inovações capazes de influenciar os hábitos de pessoas como você e eu. 

Gigantes e líderes no segmento que representam, as Big Techs têm um ponto em comum: alcançaram a população a nível global. Mas, você pode estar se perguntando qual a conexão entre isso, e a capacidade de transformar patrimônios, certo? Bom, vamos lá…

As Big Techs nos investimentos

Se Apple, Alphabet, Amazon, Facebook, Microsoft, Netflix, Spotify e Twitter, fossem um país, estariam entre as maiores economias globais. Mesmo com a pressão inflacionária no mundo e a tributação de grandes empresas de tecnologias na norte americana.

Não é de hoje que as FAAMG (Facebook, Amazon, Apple, Microsoft e Google) tem se mostrado as queridinhas dos investidores. Seus ganhos têm sido expressivos nos últimos anos,  considerando a Netflix, o valor de mercado das FAAMNGs corresponde a mais de US$ 8 trilhões. 

Para se ter uma noção do quanto esse volume é representativo, o PIB brasileiro em 2020 foi de US$ 1,4 trilhão – e elas têm superado de longe o desempenho do S&P500 nos últimos anos.

Abaixo, podemos ver o retorno acumulado das FANG+ (Big Techs) nos últimos 5 anos versus S&P500:

Claro, os dois índices passaram por “altos” e “baixos” durante estes anos, enfrentando crises de escalas profundas. Apesar disso, o investidor com visão de longo prazo, como é o meu caso e pode ser o seu, é bem recompensado. 

Nenhuma das potências tech nasceram já grandes, todas tiveram uma ascensão gradual, e aqui na Magnetis, capturamos todo o crescimento das Big Techs pelas carteiras de investimentos que construímos para os nossos clientes. 

Se você é uma pessoa que aproveita uma boa oportunidade quando vê: baixe o app da Magnetis agora e comece uma carteira de investimentos pensada para você. 

Fica claro que o índice das Big Techs rendeu no acumulado desde 2016, 992,02%, e o S&P500, 257,89 %. O S&P500, que é composto pelas 500 maiores empresas dos EUA medidas por capitalização de mercados, tem sua maior representatividade pelas 10 maiores empresas que o compõem. Juntas, as 10 primeiras, representam mais de 20% do valor total do índice. 

Com isso, é possível entender como o comportamento das ações das Big Techs podem impactar os retornos do mercado de ações em geral. Vamos aprofundar um pouco mais o conhecimento das Big Techs? 

Facebook (FBOK34) à frente das mídias sociais

O Facebook é amplamente conhecido, a empresa foi fundada em 2004 por Mark Zuckerberg, Eduardo Saverin, Dustin Moskovitz e Chris Hughes. A rede social era inicialmente uma ferramenta de interação virtual dos estudantes de Harvard — onde os fundadores estudavam.

Sua abertura de capital (IPO – oferta pública inicial ) ocorreu em 2012, oito anos depois da sua fundação. Em três meses, levantaram o montante de 16 bilhões de dólares, correspondente a terceira maior captação da história dos Estados Unidos.


Atualmente, é a maior plataforma de mídia social do mundo. A empresa cresceu por meio de grandes aquisições, como o Instagram e WhatsApp

O foco principal da empresa é de ganho de caixa no mercado de anúncios publicitários, e, recentemente, anunciou sua entrada no metaverso. 

O Facebook define o metaverso como uma combinação das experiências sociais online atuais, que pode se expandir em três dimensões ou se projetar para o mundo físico. 

A próxima Big Tech é a Amazon, criadora da já mencionada aqui, Alexa! 

Amazon (AMZN34) maior varejista online

A companhia, fundada por Jeff Bezos, foi a segunda a atingir o valor de US$ 1 trilhão de valor de mercado. A empresa  que iniciou suas atividades vendendo livros online no ano de 1995, expandiu suas atividades para diversos setores e atualmente é a maior varejista online do mundo. 

A Amazon é líder em soluções de computação em nuvem (Amazon Web Services – AWS), varejo eletrônico, e-books, estúdio de cinema e televisão e serviços de streaming.

Agora, vamos àquela que dispensa apresentações, dica: começa com A e termina com pple

Apple (APPL34) sempre com novos patamares

Fundada em 1976, por Steve Wozniak, Steve Jobs e Ronald Wayne. A Apple é a mais velha da sigla FAAMNG e vale hoje mais de US$ 2 trilhões.

A Apple ainda fabrica computadores, mas agora também ganha quase metade da sua receita com a venda de smartphones. E, assim como as outras empresas da sigla mencionada, diversifica suas ações até na saúde, que, segundo Tim Cook, CEO atual, será a maior contribuição da empresa no longo prazo.

Falando em computadores, grandes contribuições são dela: Microsoft. 

Microsoft  (MSFT34)

A empresa foi fundada em 1975 por Bill Gates e Paul G. Allen, tais converteram uma linguagem de programação chamada BASIC para ser usada em computadores pessoais. 

Os produtos da empresa incluem sistemas operacionais, aplicativos para servidores e soluções para negócios. Também oferece ferramentas de desenvolvimento de software, treinamento e certificação para desenvolvedores de sistemas. 

Ainda fabrica computadores pessoais (PCs), e, claro, tablets, consoles de jogos, celulares e outros dispositivos inteligentes.

A próxima Big Tech é aquela que entende quando a frase: I just wanna lay in my bed. Netflix!

Netflix (NFLX34)

Seu crescimento veloz em número de assinantes e a revolução no mercado de mídia a tornaram uma das empresas mais influentes de Wall Street

A Netflix fez seu IPO em 2002, seu serviço antigamente era: assinatura de aluguel de DVDs pelo correio. Depois, fizeram uma transição para streaming de filmes e então introduziram os conteúdos originais. 

A seguir, você vai conhecer mais sobre a empresa que mudou tanto o comportamento da pesquisa que até fez surgir o verbo “google it“.

Google (GOGL34)

O Google é o instrumento de pesquisa e busca mais popular do mundo. Agora também é fabricante de smartphones e possui uma ampla gama de investimentos em diversos setores que vão desde tecnologia de carros autônomos a cidades inteligentes e biotecnologia.

A empresa possui o YouTube, uma das plataformas de mídia mais famosas e que mais crescem no mundo, principalmente com o surgimento de influenciadores. 

Chegamos ao fim da lista, e aqui vão as instruções de como investir nas Big Techs

Como investir nas Big Techs?

As empresas que compõem a FAAMNG+ estão listadas nas maiores bolsas dos Estados Unidos e, portanto, é possível investir por meio dos BDRs – ativos da Bolsa brasileira que replicam o movimento de ações listadas nos EUA.

Aqui, na Magnetis, investimos no setor pelo ETF USTK11. Mas, vou te ter que te dizer, se você está conhecendo a Magnetis hoje, essa não é a única vantagem de ser nosso cliente, para saber mais basta clicar aqui.

E para quem já é nosso cliente, fique tranquilo! Continuaremos analisando o mercado para capturar todas as oportunidades possíveis para te entregar os melhores investimentos!

Andressa Siqueira, CFP®
Andressa Siqueira, CFP®

Formada em Economia pela PUC-SP, é analista de conteúdo, especialista em investimentos na Magnetis desde 2019. Possui as certificações CEA pela ANBIMA e de planejadora financeira CFP®, trabalha no mercado financeiro há mais de 8 anos.

leia mais desse autor