CDB pré ou pós-fixado: onde vale a pena investir?

por Débora Duarte

O CDB é um investimento de renda fixa muito fácil de ser encontrado e possui características que atendem diversos perfis de investidor, mesmo com objetivos diferentes. Mas existem diferentes tipos de CDBs no mercado e nem sempre é simples escolher qual é o melhor para você.

Uma das dúvidas mais comuns é: "vale a pena investir em um CDB prefixado ou pós-fixado?".

Essa análise é menos complexa do que parece! É por isso que nós, do Yubb, seu buscador de investimentos online e gratuito, estamos aqui. Chegou o momento de você entender melhor qual é o CDB mais adequado para você!

O que é um CDB?

CDB significa Certificado de Depósito Bancário. É um título que faz parte do grupo dos investimentos em renda fixa e que é emitido exclusivamente por bancos. Ou seja, são os bancos que "fabricam" os CDBs.

Você pode encontrá-los diretamente nas plataformas online dos bancos ou também por meio das corretoras (que não "fabricam", mas apenas “vendem” os CDBs que já existem).

Um investimento em renda fixa é um empréstimo. Você está emprestando o seu dinheiro para o banco por um tempo e, quando for recebê-lo de volta, você ganha a remuneração. Em palavras mais técnicas, você investe o valor e, no prazo de vencimento, resgata o seu dinheiro acrescido de juros, que é o rendimento da sua aplicação.

O CDB, em especial, é um investimento que não tem lastro. Na prática, isso significa que o banco pode emitir quantos CDBs quiser e quando quiser.

E, enquanto o seu dinheiro está aplicado em um CDB, a instituição financeira pode usar aquele valor para qualquer operação: desde aumento de caixa até operações de crédito.

É por isso que, para os bancos, o CDB é um título muito proveitoso, já que é a maneira mais fácil (e uma das mais baratas para o banco) de captar recursos.

Para quem aplica seu dinheiro nesse tipo de investimento, o CDB oferece segurança e, em alguns casos, liquidez diária (o investimento pode ser resgatado a qualquer momento). Ele também é uma alternativa segura para quem deseja sair da poupança, mas não sabe por onde começar.

Vale lembrar que quanto maior for o percentual (%) prometido, maior tende a ser o rendimento da aplicação. Vamos ver mais detalhes sobre isso nos próximos tópicos.

CDB pré ou pós vale a pena

Características do CDB

Os CDBs possuem diferentes características dependendo do banco emissor. As principais são:

  • Garantia do FGC: todos CDBs são cobertos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Esse fundo garante a devolução do dinheiro das pessoas em caso de falência do banco emissor. Há um limite de até R$ 250 mil por instituição financeira e de R$ 1 milhão por CPF;

  • Valor mínimo atrativo: existem CDBs no mercado com aplicação mínima a partir de R$ 1! (sim, você leu certo). Geralmente, são bancos médios que oferecem as melhores condições de investimento;

  • Liquidez: a liquidez dos CDBs pode ser diária (resgate do dinheiro a qualquer momento) ou no vencimento (resgate somente no prazo combinado). Basta escolher o que mais se encaixa nos seus objetivos;

  • Tributação: todos os CDBs são tributados pelo Imposto de Renda (IR) seguindo a tabela regressiva dos investimentos em renda fixa. Isso quer dizer que as alíquotas variam entre 22,5% e 15%, no período entre seis meses e dois anos. Vale lembrar que a cobrança do IR é sempre sobre o rendimento e não sobre todo o valor investido.

  • Prefixados ou pós-fixados: os CDBs podem ser prefixados ou pós-fixados. Vamos entender a seguir o que significam esses termos.

O que é CDB prefixado?

O CDB prefixado oferece a possibilidade de saber, no momento da aplicação, qual será o rendimento que você obterá no resgate do investimento. Como a rentabilidade é mostrada em % ao ano (% a.a.), basta fazer as contas para saber qual será o seu rendimento no prazo de vencimento.

Isso significa que, faça chuva ou faça sol, a sua rentabilidade sempre será a mesma. Como o nome já diz, ela está fixada previamente e nenhum fator externo afetará isso.

O que é CDB pós-fixado?

O CDB pós-fixado tem a sua rentabilidade baseada em algum indicador do mercado. Esse indicador pode ser a taxa básica de juros do país (expressa pela Selic ou pelo CDI) ou a inflação oficial (medida pelo IPCA), por exemplo.

Essa característica faz com que a aplicação obedeça ao seu indicador de referência. Ou seja, o resultado final será maior se a taxa de juros aumentar e menor se essa taxa diminuir.

Aqui vai um exemplo: se um CDB com liquidez diária rende 105% do CDI, isso significa que a sua rentabilidade vai acompanhar o CDI. Assim, o rendimento líquido pode aumentar caso a taxa de juros suba, ou pode ser um pouco menor caso ela caia.

Quem investe em um CDB pós-fixado não consegue saber exatamente quanto vai receber ao final do prazo da aplicação. É possível ter apenas uma ideia baseada nas projeções do mercado. Isso acontece porque as condições da economia podem mudar e afetar essas taxas.

CDBs mistos ou híbridos

Existem ainda os CDBs chamados de títulos mistos, que combinam os dois mecanismos descritos acima.

Dessa forma, o rendimento dessas aplicações é formado por uma taxa prefixada, mais um indicador complementar. Alguns exemplos são: como 4% + CDI, 5% + IPCA, e assim por diante.

Qual é o melhor CDB para investir?

No mundo dos investimentos, é muito difícil definir qual é a melhor opção de aplicação financeira. Tudo vai depender dos seus objetivos financeiros e do seu perfil de investidor.

Ao contrário do que muita gente pensa, o CDB prefixado é um pouco mais arriscado do que o pós-fixado. Por mais que você saiba quanto ele vai render até o resgate, aquele investimento não está acompanhando as condições da economia e isso pode ser um problema.

A taxa de juros pode subir mais do que o esperado, por exemplo, fazendo com que outros investimentos sejam mais vantajosos.

Já no CDB pós-fixado, esse rendimento sempre acompanha o índice de referência. O risco, nesse caso, é o de esse indicador ficar abaixo do esperado e fazer com que o dinheiro renda um pouco menos.

No entanto, isso não significa que a pessoa que aplicou vai perder dinheiro. Quer dizer apenas que o resultado da aplicação financeira será menor.

Resumindo: para escolher entre um CDB pré ou pós-fixado, a melhor alternativa é colocar em primeiro lugar os seus objetivos financeiros e o seu perfil de investidor.

Antes de aplicar, analise se você prefere saber exatamente o quanto você vai ganhar ao final da sua aplicação ou se acha melhor que ela se adapte às condições da economia.

Se precisar de ajuda para comparar investimentos, o Yubb é uma ferramenta gratuita que traz diversas opções de aplicações financeiras para você!

Agora é a sua vez de responder: qual é o melhor CDB, na sua opinião? Conte para nós a sua experiência aqui nos comentários!  =)

Débora Duarte, do Yubb

Débora Duarte é produtora de conteúdo do buscador de investimentos Yubb. É formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

CDB pré ou pós-fixado: onde vale a pena investir?
Avaliar o post