CDB prefixado: entenda como funciona e quando vale a pena investir

por Mariana Congo | 27/03/2019

cdb prefixado

Se você pesquisa sobre investimentos de renda fixa, já deve ter notado alguma oferta de CDB prefixado. Achou interessante? A partir de agora, você vai saber mais detalhes sobre esse tipo de investimento e se ele é o mais adequado para você.

O CDB prefixado é um tipo de aplicação que permite a previsão exata de rentabilidade no momento do resgate.

Ele também é um investimento coberto pelo FGC, o que garante a segurança do investimento. Em caso de inadimplência ou falência do banco que vende o título, quem investiu pode ser ressarcido em até R$ 250 mil por conglomerado.

Como são comercializados por diversas instituições bancárias, um investimento em CDB é fácil de ser adquirido. Por isso, estão entre os ativos de renda fixa mais populares no Brasil.

Ainda assim, pode haver bastante diferença de rentabilidade na comparação entre um título e outro.

Por exemplo, bancos médios tendem a oferecer retornos maiores do que as grandes instituições.

A seguir, você vai ver as principais informações sobre o CDB prefixado e saber como escolher o melhor investimento para você.

Você também pode conferir aqui uma comparação entre CDB e poupança que fizemos no canal da Magnetis no YouTube.

O que é um CDB prefixado?

O CDB prefixado é um título de renda fixa emitido por um banco. Sua principal diferença em relação ao CDB pós-fixado é que é possível saber a rentabilidade do investimento no momento da contratação.

Tal aplicação, assim como outros títulos bancários, é uma forma de a instituição captar dinheiro junto ao público e, assim, ter recursos para oferecer crédito para clientes.

Dessa forma, quem tem uma quantia disponível pode emprestar tal valor para o banco por meio de uma aplicação financeira. Em troca, a instituição oferece uma taxa de juros sobre o capital investido.

O CDB prefixado pode ser comprado tanto diretamente no banco emissor, quanto em uma corretora de valores, que funciona como uma espécie de “loja de investimentos”. Não é raro encontrar CDBs emitidos pelo mesmo banco que prometem retornos diferentes. Isso pode acontecer por alguns motivos, tais como:

  • prazo da aplicação: geralmente, investimentos de prazo mais curto costumam pagar menos juros do que os de prazo maior;
  • liquidez: apesar do prazo de vencimento, alguns CDBs oferecem a possibilidade de resgatar o dinheiro a qualquer momento. É o chamado CDB de liquidez diária, que costuma oferecer rendimento um pouco menor do que aqueles que só podem ser resgatados no vencimento;
  • instituição que revende o título: corretoras sempre cobram um valor para vender investimentos de bancos ou gestoras de fundos.

Esse valor é conhecido como spread. Ainda que a taxa seja zero para quem aplica, a corretora pode descontar esse custo da rentabilidade do investimento e, assim, oferecer uma aplicação que rende ligeiramente menos.

Quais as diferenças entre um CDB prefixado e um pós-fixado?

O CDB prefixado tem como principal característica o fato de ter a taxa de rentabilidade definida desde o ato de contratação pelo comprador. Assim, quem aplica dinheiro nesse título sabe exatamente quanto receberá na hora do resgate.

Por exemplo, se alguém aplica R$ 1 mil por um ano em um CDB prefixado com taxa de 7% ao ano, no vencimento do título terá um saldo bruto de R$ 1.070. 

Já o rendimento do CDB pós-fixado fica vinculado ao resultado de um indexador, em geral o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), a taxa Selic ou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Se você ainda não sabe o que representam todos esses indexadores, não se preocupe, pois vamos explicar.

Quais indicadores afetam o rendimento do CDB?

O CDI é a média da taxa utilizada nos empréstimos entre os próprios bancos. Ele segue de perto a taxa Selic, que é a taxa de juros usada pelo Banco Central nas operações com títulos públicos.

A Selic também é chamada de taxa básica de juros por ser a menor alíquota do mercado. Além disso, ela serve de referência para as alíquotas cobradas nas ofertas de crédito pelos bancos. O IPCA, por sua vez, é a medida oficial da inflação no país. Tal índice é divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Embora esses três indexadores possam servir de base para o rendimento do CDB pós-fixado, o mais comum mesmo é encontrar títulos que dependem da variação do CDI. Assim, é mais provável que você veja ofertas de CDBs que rendem uma porcentagem do CDI.

Geralmente, bancos pequenos e médios tendem a oferecer retornos maiores, por exemplo, acima de 97% do CDI.

Isso ocorre, em parte, devido à dificuldade que essas instituições têm de captar dinheiro junto ao público, uma vez que possuem menos agências do que os grandes bancos. Por isso, elas têm que oferecer uma taxa mais competitiva.

Qual é a liquidez do CDB prefixado?

A liquidez (capacidade de transformar um ativo em dinheiro) do CDB prefixado é no vencimento do título. Afinal, só nessa data o indivíduo tem a garantia de receber a rentabilidade prometida.

Alguns CDBs pós-fixados têm liquidez diária, logo, a pessoa pode resgatar o valor do título a qualquer momento, sem perder o retorno acumulado.

Ainda assim, CDBs pós-fixados com prazos maiores, como três anos, tendem a oferecer maior rendimento.

Quando o CDB prefixado é uma boa opção de investimento?

Ao investir em um CDB prefixado, você deve ter a consciência de que vai travar a rentabilidade, ou seja, estabelecer um limite para ela.

Assim, tal tipo de certificado é vantajoso quando há uma expectativa de queda da taxa Selic (juros básicos definidos pelo Banco Central).

Como destacamos antes, a Selic serve de base para as demais taxas do mercado financeiro. Então, se ela cair, é provável que as outras taxas também desçam.

Ao analisar os cenários da economia, você pode considerar essa queda e, com isso, garantir uma rentabilidade acima da Selic.

Note que, além desse fator, é importante avaliar as perspectivas para a inflação no período. Afinal, para ter retorno real, um ativo precisa render acima do IPCA.

Como você pôde perceber, o CDB prefixado é uma aplicação de baixo risco, embora seja mais vantajosa em contextos econômicos específicos.

Por isso, antes de investir, é importante avaliar as expectativas para a taxa Selic e a inflação, de modo a conciliá-las com a sua necessidade de resgate do dinheiro.

Agora que você entende melhor como funciona o CDB Prefixado, que tal conhecer outras aplicações financeiras? Baixe grátis o nosso Guia Completo sobre Tipos de Investimentos e conheça mais alternativas!

CDB prefixado: entenda como funciona e quando vale a pena investir
5 (100%) 1 vote[s]