Como parar de enrolar e começar a investir seu dinheiro em 2017

por Silvio Crespo

Começar a investir estava na sua lista de resoluções de ano novo para 2016? Não?

E na lista para 2017?

Resoluções de ano novo

-Organizar viagem de férias
-Pular de paraquedas
-Trocar de carro (ou comprar uma bicicleta?)
-Fazer aquele curso

Ok, começar a investir talvez nunca apareça na sua lista de ano novo.

Mas existe um fato que sempre une a maior a parte dos itens da sua lista: todos envolvem dinheiro.

Por isso, quando a gente para de enrolar e começa a cuidar melhor do dinheiro, fica mais fácil realizar a maior parte dos planos.

Como fazer isso?

Neste post vou mostrar um caminho para você sair da inércia e começar a investir em 2017. Incluímos sugestões de alguns exercícios que podem te auxiliar a sair do universo das "intenções" e ir para o das "realizações".

Passo 1: Descubra a verdadeira razão de você querer investir​

Melhores investimentos para 2017: como começar a investir

Por que as pessoas não têm disciplina com dinheiro?

Muitas não têm um objetivo bem definido.

Outras evitam pensar no quanto vão ganhar ou deixar de ganhar no futuro por conta de decisões que estão sendo tomadas hoje.

Por causa desses problemas, o primeiro passo para sair da inércia é você fazer um exercício para ter clareza dos benefícios que terá se investir direito – ou das dificuldades que pode vir a ter se continuar evitar esse assunto.

É hora de começar a tratar as suas economias de forma ativa, e não mais passiva. Você vai mudar uma chavinha na sua cabeça e passar a ter o controle da situação.

Seu eu do futuro vai agradecer seu eu do passado.

E em vez de se arrepender por ter gastado tanto dinheiro com comida fora de casa sem necessidade, ou por não ter parado para pensar se o seu dinheiro poderia estar rendendo melhor fora da poupança... Em vez disso tudo, você vai comemorar por ter agido de outra forma, com a segurança de ter tomado decisões que vão te ajudar a atingir seus objetivos financeiros.

Então vamos lá!

Exercício: por que você quer investir?

Faça a você mesmo a seguinte pergunta: “Qual é a verdadeira razão de eu querer investir?”. Comprar um carro? Comprar um imóvel? Ter uma aposentadoria tranquila? Viajar? Pagar o intercâmbio do meu filho?

Todos esses são bons motivos para investir, mas vamos um pouco mais fundo. De fato, por que você quer um apartamento, digamos, de dois quartos, e não um quarto-e-sala? Como vai ser a sua vida num apartamento de dois quartos? Sua filha vai ter um quarto só para ela? Tente pensar na sua rotina, na sua vida prática, caso você consiga atingir o seu objetivo.

Exercício: o custo de não investir

Agora pense o contrário: como vai ser a sua vida se você não conseguir dar entrada no apartamento que você quer?

Você vai morar em um bairro mais longe? Vai escolher um imóvel menor? Vai dar uma entrada pequena e depois pagar prestações maiores?

Pense nas alternativas que você vai ter e como será a sua rotina para cada uma delas. Se optar por um imóvel com localização ruim para você, quanto tempo acha que vai gastar para ir ao trabalho e voltar? Quantas horas mais cedo você vai precisar acordar? Que horas vai chegar em casa depois do trabalho? Quanto tempo você vai ter para ficar com a sua família? Será que os seus amigos vão conseguir te visitar com facilidade?

Para atingir seus objetivos financeiros, é preciso saber do que você está abrindo mão. Só investe quem conhece claramente o custo de não investir.

Então, coloque no papel (ou no computador, celular, como preferir...) todos os problemas ou inconvenientes que você pode ter se não juntar dinheiro suficiente para comprar o que você deseja ou realizar o seu projeto.

​Passo 2: Tenha certeza de que o seu objetivo é viável

Ninguém pode prever o futuro, mas podemos saber se é possível ou não atingir o seu objetivo, mantido o cenário mais provável em relação ao seu emprego e à economia do país.

A incerteza é um ponto que leva muita gente a não investir e, consequentemente, não conseguir realizar seus planos. Afinal, por que eu vou deixar de ir ao restaurante hoje, se não tenho certeza de que isso me ajudará no futuro?

Para ter certeza de que o seu plano é viável, recomendamos o exercício abaixo.

Exercício: descobrir quanto juntar por mês

Esta tabela pode te ajudar a descobrir quanto dinheiro você precisa juntar por mês.

O que você está tentando fazer

Exemplo de resposta

1. Decidir em quanto tempo você quer realizar seu plano

Gostaria de dar entrada num apartamento daqui a 4 anos

2. Estimar quanto custa o que você quer comprar

A entrada no apartamento que eu quero está em R$ 150 mil hoje. Acredito que em quatro anos estará em R$ 200 mil

3. Entender o quanto você está disposto a correr risco

Eu me sentiria horrível se perdesse dinheiro. Tenho um perfil conservador

4. Verificar quanto dinheiro você já tem hoje

Já tenho R$ 70 mil que podem ser reservados para o apartamento

5. Calcular quanto precisa aplicar por mês, considerando todos os fatores acima

Investindo R$ 1.750 por mês, tenho 96% de chance de conseguir dar entrada no apartamento daqui a quatro anos

Olhando a tabela, pode parecer impossível seguir esses passos, especialmente o 3 e o 5. Mas não se preocupe, a Magnetis tem uma ferramenta gratuita de simulação de planos de investimento. Você só preenche os seus dados, e todos os cálculos são feitos automaticamente.

Passo 3: Liste suas ideias para aliviar a tensão

E então, quanto você vai precisar aplicar por mês para realizar o seu plano no prazo desejado?

Está dentro do que você esperava?

Caso esteja acima, é possível que você esteja um pouco tenso ou ansioso agora. Mas não se preocupe, essa tensão é normal e acontece com muita gente - para não dizer todo mundo.

Claro, você sabe as coisas boas que podem acontecer quando atingir o seu objetivo financeiro, e também das coisas ruins caso você não atinja. E agora descobriu que vai precisar se esforçar mais para realizar o plano. Existe um “gap” entre a sua situação atual e o cenário desejado, e talvez você tenha visto que esse “gap” é maior do que o previsto.

Exercício: listar as ideias que vierem à cabeça

Se você está sentindo essa tensão ou ansiedade, devem estar surgindo várias ideias na sua cabeça sobre o que fazer para atingir o objetivo. Por exemplo:

-Preciso de um aumento
-Preciso ser promovido / preciso vender mais
-Como vou fazer para ser promovido?
-Em quanto tempo será que consigo essa promoção?
-Será que não é mais fácil então eu cortar algum gasto supérfluo?
-Quanto custa meu plano de TV por assinatura?
-Quanto eu gasto com meu carro?

Provavelmente essas ideias estão surgindo de forma desordenada. É muito importante que você faça igual ao exemplo acima: liste todas estas ideias, ainda sem se preocupar em tomar decisões. Apenas coloque no papel tudo o que vier à cabeça.

Passo 4: Organize as ideias que você listou

Como você pode ter listado muita coisa, existe o risco de ficar paralisado, começar a evitar o assunto e enrolar... E não querer mais pensar nisso, porque, de fato, dói. Cortar gastos dói. Qualquer um sofre com isso.

Se nos passos 1 e 2 deste post você viu o custo de não investir, agora deve estar ficando claro o custo de investir. Até que ponto você está disposto a abrir mão do conforto que tem hoje, para concretizar um plano no futuro?

O que a gente pode comprovar é que isso é, sim, possível. Aliás, a gente não. Um dos clientes da Magnetis é um exemplo. O Fábio Rodrigues, trocou o carro novo por um usado para investir mais na aposentadoria. Ele tomou essa decisão depois que já estava investindo com a Magnetis e enxergava os resultados. Foi a troca do prazer do consumismo pelo prazer de ver seu dinheiro trabalhando para você.

Para te ajudar a mudar o seu comportamento e realizar o seu plano, siga o exercício abaixo.

Exercício: escolha as prioridades e comece devagar

Da lista que você fez no exercício anterior, escolha três prioridades. Apenas três, por enquanto. Novos hábitos começam aos poucos. Evite exagerar e cortar todos os gastos de uma vez.

Pense no que você está deixando de ter hoje. Respire, e tenha certeza de que você ainda vai se sentir confortável após esses cortes. Se acha que não vai, comece mais devagar. Mas sempre se lembre do que você vai ter no futuro.

Dessa forma, você vai conseguir ajustar o seu objetivo financeiro à sua realidade. Juntar dinheiro todo mês deixará de ser um martírio e passará a ser uma atividade gratificante, porque você ainda está confortável e já sabe claramente o que vai ganhar no futuro.

Para fechar este exercício, defina qual será a sua primeira tarefa concreta. Por exemplo: cancelar a TV a cabo; pesquisar planos mais baratos de celular; somar quanto gastou em restaurantes no mês passado etc. E, finalmente, parta para a ação: execute esta primeira tarefa.

Um passo de cada vez.

Passo 5: Comece a investir!

Você já tem todas as condições para melhorar o seu comportamento financeiro, começar a investir e ficar cada vez mais próximo do seu objetivo. Chegou a hora de escolher onde vai pôr o dinheiro. Em ações? Fundos de renda fixa? Títulos do Tesouro Direto? LCI, LCA, títulos privados?

"Isso é muito complicado" - você pensa.

Bom, mais uma vez, temos muita informação para organizar, mas, se você chegou até aqui, saiba que está muito perto de começar a investir. Talvez mais perto do que imagina, pois a Magnetis organiza essas informações para você.

O robô da Magnetis pesquisa e escolhe os melhores investimentos para você automaticamente. A partir de constantes estudos feitos pela equipe de especialistas em investimentos, o algoritmo da Magnetis busca, entre milhares de aplicações no mercado, aquelas mais adequadas para o seu caso. Basta você responder esse questionário que o resto o robô faz para você!

Agora é mão na massa, só depende de você!

Comece a planejar agora para que em 2017 você conquiste todos os resultados financeiros que deseja.

Silvio Crespo SGC Conteúdo

Sílvio Crespo é jornalista especializado em finanças e fundador da agência SGC Conteúdo