Commodities: o que é esse tipo de investimento? Será que vale a pena? Saiba aqui!

por Malena Oliveira | 24/06/2019

commodities: o que são? Vale a pena investir?
consultoria de investimento

As commodities são um tipo de investimento de renda variável que têm bastante destaque no noticiário. Afinal, quem nunca ouviu falar sobre o preço do petróleo hoje? Mas, como veremos mais adiante, a mecânica dessas aplicações é um pouco diferente dos investimentos tradicionais.

Primeiro, vamos definir o que o termo significa. Do inglês, o termo commodity significa mercadoria. Em economia, ele é usado para definir as matérias-primas usadas na fabricação de outros itens.

Alguns exemplos são as commodities agrícolas (carne, soja, milho, café, trigo) e as commodities minerais (ferro, ouro, petróleo).

No mercado financeiro, é possível ganhar dinheiro com commodities sem ter comprar e vender sacas de café, milho ou soja. A partir de agora, você vai entender como.

Como funciona o investimento em commodities?

Como mencionamos, o investimento em commodities não é feito diretamente nos produtos. Na verdade, tratam-se de contratos que dão direito a ter os produtos na data combinada.

Esses contratos, também chamados de derivativos, foram criados inicialmente para proteger os produtores dessas commodities contra quedas de preço.

Essa, aliás, é uma estratégia de proteção conhecida no mercado financeiro como hedge.

Como esses contratos são negociados na bolsa de valores, a instituição consegue atuar como contraparte e permitir a liquidação financeira desses contratos.

Na prática, isso significa que você não precisa comprar ou vender milho e soja para investir em contratos desses produtos para investir neles. Todo o processo de compra e venda é feito envolvendo apenas o dinheiro.

O preço das commodities é definido pelo mercado de acordo com a oferta e demanda pelos contratos. Ou seja, não é a organização produtora que define o preço, mas a própria negociação na bolsa de valores.

Por que investir em commodities?

Os investimentos em commodities têm várias vantagens sobre ações e títulos. Essa é a razão pela qual se tornaram uma classe de ativos bem estabelecida nos últimos anos.

O que mais atrai os investidores é a transparência, a alta liquidez, o gerenciamento de risco, a proteção contra inflação, a baixa margem de negociação e os vários benefícios para os agricultores do país. Em resumo, há muitas vantagens em investir nas commodities. Saiba mais a seguir.

Maior diversificação de investimentos

As commodities podem diversificar um portfólio de investimentos. Normalmente, reagem de maneira distinta de outros ativos, dependendo de eventos econômicos e geopolíticos.

Por exemplo, os preços de ações são duramente afetados durante uma crise financeira. Por outro lado, o preço do ouro sobe conforme a demanda por um bem seguro aumenta. Uma carteira diversificada com baixa correlação entre seus ativos tende a ter retornos menos voláteis.

Assim, investir em commodities garante a diversificação e melhora os retornos ajustados ao risco.

Mercado com alta liquidez

Diferentemente do investimento em outros ativos — como o imobiliário — o mercado de commodities tem alta liquidez. É fácil comprar e vender commodities.

consultoria de investimento

Retornos elevados

O mercado de commodities é volátil e está sensível a mudanças globais na oferta e demanda, bem como a desastres naturais (que podem afetar as colheitas e os rebanhos) ou a demanda sazonal. Por isso, elas podem experimentar grandes oscilações nos preços.

Por exemplo, a guerra em um grande país produtor de petróleo, como o Iraque, pode fazer com que os preços do petróleo disparem.

Investidores inteligentes podem aproveitar essas oscilações de preço para obter ganhos. Investimentos bem planejados de commodities podem proporcionar retornos mais altos do que em outros ativos.

Quais as principais commodities brasileiras?

O mercado de commodities no Brasil movimenta bilhões de reais, tornando o país um dos maiores exportadores de matéria-prima do mundo, sendo que os principais produtos são: 

  • café;
  • soja;
  • suco de laranja;
  • minério de ferro;
  • petróleo;
  • alumínio.

Apesar disso, por mais que as commodities tenham forte influência na economia do país, tudo varia de acordo com as demandas e valores de tais produtos no mercado externo.

Conheça, abaixo, as principais commodities brasileiras e o quanto renderam para o Brasil, em 2018, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior.

  • soja mesmo triturada: rendeu US$ 33,06 bilhões em exportação, tendo a China como principal consumidor;
  • óleos brutos do petróleo: o petróleo é um dos principais produtos exportados pelo Brasil, com US$ 25,25 bilhões, e também teve o mercado chinês como principal consumidor;
  • minérios de ferro e seus concentrados: rendeu US$ 20,22 bilhões de dólares, com a China, mais uma vez, como principal consumidor.

Para se ter uma ideia, a exportação de commodities no ano de 2018 foi responsável por trazer US$ 239,26 bilhões ao Brasil, um avanço de 9,9% em relação ao ano anterior.

Quais são os tipos de commodities?

O comércio de commodities é tão antigo quanto os mercados financeiros. O primeiro exemplo de uma troca organizada por negociação desses ativos remonta a Amsterdã em 1530.

Existe uma variedade de produtos que podem ser negociados, incluindo commodities agrícolas, como milho, soja e trigo. No entanto, são os mercados de energia, na forma de comércio de petróleo e gás, e os de metais (como ouro e prata), que tendem a ser mais populares entre os traders nos dias de hoje.

Atualmente, o mercado trabalha com quatro tipos de commodities:

  • agrícolas: fazem parte produtos cultivados por meio do agronegócio, como milho, café, açúcar, algodão, borracha, suco de laranja congelado, soja e trigo;
  • minerais: incluem diversos tipos de minerais produzidos ou extraídos, como petróleo, minério de ferro, etanol, níquel, prata, ouro e gás natural;
  • ambientais: produtos relacionados com o meio ambiente e essenciais para o setor industrial e agrícola, como água, madeira e geração de energia;
  • financeiras: aqui é levado em consideração as moedas negociadas em vários mercados e, também, títulos do governo, como o dólar, euro, real e títulos públicos do governo federal.

Qual é o preço das commodities?

Da mesma forma que outras classes de ativos, como ações, as commodities podem ser negociadas em mercados abertos e flutuar de acordo com a oferta e a demanda.

Esse mercado estabelece padrões de negociação e unidades de medida para commodities, facilitando o comércio. O preço é negociado na Bolsa de Valores, com cotação mínima e máxima, tarifas e regras específicas de negociação.

As principais commodities brasileiras que são negociadas na bolsa de valores são:

  • Boi gordo;
  • Etanol Anidro;
  • Etanol Hidratado;
  • Açúcar cristal;
  • Café arábica 4/5;
  • Café arábica 6/7;
  • Milho;
  • Ouro;
  • Soja; 
  • Petróleo.

Mudanças nos preços das commodities podem afetar segmentos inteiros de uma economia. Por sua vez, essas mudanças estimulam a ação política — na forma de subsídios ou mudanças tributárias, por exemplo — ou a ação social, com a substituição, inovação ou outras atividades de oferta e demanda.

No entanto, a liquidez e a estabilidade das bolsas de commodities ajudam produtores, fabricantes, outras empresas e até mesmo economias inteiras a operar com mais eficiência e competitividade.

Gostou deste guia sobre commodities? Que tal entender um pouco mais sobre como escolher os melhores investimentos para você? Baixe grátis o nosso Guia Completo sobre Consultoria de Investimentos e tire suas dúvidas!

Avaliar o post