Saiba como conquistar a independência financeira!

por Mariana Congo

Como conquistar a independência financeira? Vamos começar com uma historinha.

Ele é um jovem que redirecionou o valor do financiamento estudantil para investir em ações na Bolsa de Valores. Debruçado durante dias e noites sobre gráficos de análise técnica e informações contábeis das empresas, aos poucos ele começou a acumular lucros no mercado financeiro. Bem antes dos 40 anos de idade, ele já alcançou sua independência financeira. Parece fantasia? Mas não é. Estamos falando da história (real) do britânico Elijah Oyefeso.

É claro que a história de ​Elijah Oyefeso é ponto fora da curva.

São isolados os casos de pessoas - como o norte-americano Warren Buffett -  que ficam literalmente ricas por causa de investimentos.

Mas não se engane, atingir a tão sonhada independência financeira plena e construir um patrimônio é possível para qualquer pessoa.

Se você está começando neste caminho agora, vai sim precisar mudar hábitos. Mas a recompensa será ver o dinheiro trabalhando ao seu favor.

Hoje vamos te mostrar como emplacar a independência financeira a partir destas 5 dicas!

1. Aborte dívidas e compras a prazo

Tente buscar no Google entrevistas com as pessoas mais bem-sucedidas do país.

Vai ser difícil encontrar alguém que esteja endividado ou tenha o hábito fazer compras a prazo.

As razões são óbvias (deveriam ser para todos): quem compra parcelado ou tem muitas dívidas aceita que seu dinheiro seja corroído por juros, além de perder poder de barganha para negociar o valor final a ser pago. Pode ter certeza que se fossem somados todos os juros que você já pagou até hoje no cartão de crédito, no crediário, etc, daria para comprar ao menos um carro zero. Ou mais.

A velha cultura do brasileiro é a de “aproveitar hoje e ver amanhã como pagar”. Isso é fruto da precária educação financeira no país e suas consequências são amargas... mas doces para os bancos e financeiras, que têm lucros exorbitantes. Temos agora em 2017 nada menos do que 60 milhões de brasileiros inadimplentes. Ou seja, mais de 39% da população adulta tem contas a pagar atrasadas.

Para piorar, a última pesquisa feita pelo SPC sobre o tema, em 2015, mostrou que 79% dos brasileiros não vivem sem uma compra a prazo.

Dica 1 

Se você quer saber como conquistar a independência financeira, comece abortando os parcelamentos e as dívidas de sua vida! E isso inclui cheque especial, rotativo do cartão de crédito, crediários e outras armadilhas do mercado. Com isso você vai conseguir controlar melhor seus gastos e parar de desperdiçar dinheiro com juros.

2. Faça da reserva financeira uma obrigação mensal

O seu nível de consumo deve estar vinculado às suas limitações de orçamento. Se você já entendeu e está aplicando isso, já avançou bastante na missão de chegar à independência financeira!

O segundo passo desse caminho é fazer sobrar dinheiro todo mês. 

Só se vence uma guerra com armas. E a sua, na busca da construção de patrimônio, atende pelo nome de “reserva financeira”.

Ter uma reserva financeira vai fazer com que você consiga se libertar do ciclo salarial. Ou seja, parar de ficar dependente do salário mensal para conseguir cumprir todas as suas atividades. Ou de chegar ao fim do mês sem nenhum dinheiro. 

Dica 2 

Estabeleça uma meta percentual fixa de salário que será guardado para futuros investimentos e para proteção financeira. No mínimo 10%, mas o ideal seria que você conseguisse salvar mensalmente ao menos 30%.

Meta estabelecida, faça dela uma verdadeira “despesa”. Ou seja, da mesma maneira que você sabe que não pode deixar de pagar uma conta, você não poderá, em hipótese alguma, descumprir com as metas que você mesmo se propôs a atingir. Disciplina é a ponte para a independência financeira.

3. Esquematize seu orçamento

Especialistas dizem que apenas o fato de transferir seu orçamento da sua mente para uma planilha já é suficiente, na maioria das vezes, para enxugar ao menos 15% das despesas mensais. Isso porque gerenciamos melhor o que enxergamos.

Dica 3 

Utilize uma planilha ou um aplicativo de controle financeiro para “dissecar” todos os seus custos e receitas. Hierarquize suas despesas, posicionando-as entre essenciais, úteis e dispensáveis. É partir daqui que você conseguirá reajustar valores e cortar gastos supérfluos.

4. Estude o mercado financeiro

Ok, até agora nos concentramos em cuidar das dívidas e fazer sobrar dinheiro de seu orçamento. Mas o que adianta sobrar recursos, se você não sabe como fazer um bom investimento? 

No Brasil os juros estão caindo, mas ainda são uns dos maiores do mundo e há muitas oportunidades para investir em renda fixa. Mas como separar as boas oportunidades de investimento daquelas que são uma furada?

O melhor investimento é aquele que, primeiramente, está alinhado com seu perfil de investidor. Por exemplo: qual o sentido de um investidor de meia idade, conservador e que aplica pensando na aposentadoria, compor 50% de sua carteira de investimentos com os chamados “micos” da Bolsa (ações de altíssimo risco, geralmente, de empresas falidas ou em recuperação judicial)?

Da mesma forma, você veria lógica em um jovem investidor que aplica pensando em juntar dinheiro para comprar um carro no curto prazo aplicar seu dinheiro em um fundo de previdência privada? 

Dica 4 

Diagnosticar seus objetivos e perfil como investidor é o primeiro passo. Em seguida, é preciso estudar as características, vantagens e desvantagens dos produtos financeiros e buscar compreender sua relação entre os fatores macroeconômicos (variação das taxas de juros, câmbio, inflação). O caminho do conhecimento é uma avenida larga e sem final. E, claro, se você não quiser virar um especialista em investimentos, existem empresas - como a Magnetis - que são especializadas em prestar uma consultoria personalizada para fazer você investir certinho.

5. Faça o dinheiro trabalhar para você

Quer conquistar sua independência financeira definitivamente? Então nem pense em deixar todo o seu dinheiro na poupança. Afinal, quantas pessoas você conhece que ficaram milionárias investindo em poupança? 😛

Dica 5 

Para qualquer perfil de investidor existem investimentos de qualidade.

Perfis mais conservadores podem aproveitar de CDBs que pagam acima do CDI. Já quem é mais arrojado deve buscar ações, ETFs e fundos multimercados. É assim que você pode fazer o dinheiro trabalhar para você por meio dos juros compostos.

Existem ferramentas - como esta - que podem te ajudar a fazer uma simulação de investimentos gratuita e ver como ficariam seus investimentos na prática.​

Agora que você já sabe para onde mirar para conquistar a independência financeira, continue conosco nas redes sociais! Estamos no Facebook, Twitter e LinkedIn!

Assine a Newsletter Magnetis e saiba tudo sobre finanças pessoais

Mariana Congo é Gerente de Conteúdo da Magnetis e jornalista especializada em finanças pessoais.