Quer viajar? 7 dicas sobre como juntar dinheiro para fazer intercâmbio

por Malena Oliveira | 08/10/2019

como juntar dinheiro para intercâmbio

Fazer um intercâmbio é uma das experiências mais enriquecedoras que se pode ter. Morar no exterior, aprender um idioma, conhecer uma cultura diferente e fazer novos amigos. Mas como juntar dinheiro para um intercâmbio?

Neste post, vamos te mostrar que é perfeitamente possível se planejar e conseguir economizar para realizar esse sonho. Acompanhe as nossas 7 dicas de como juntar dinheiro para fazer um intercâmbio:

1. Descubra o custo total do intercâmbio

O valor de que você vai precisar depende de várias coisas: o país para onde você vai, quanto tempo vai ficar, se vai ficar em casa de família ou não, se vai trabalhar ou não, se vai ter que pagar os estudos etc.

Tudo isso precisa entrar na conta, além do valor da passagem e do dinheiro para viver lá. Com essa conta em mãos, vamos começar a ver como juntar dinheiro para chegar lá.

Para fins didáticos, vamos imaginar que você precise de 10 mil euros para ficar 1 ano no país escolhido. Com o euro a R$ 4,5, dá cerca de R$ 45.000.

2. Levante todos os seus gastos e faça um orçamento mensal

Agora é hora de saber a verdade sobre o suas finanças pessoais. Liste todos os seus gastos. Todos mesmo, com a maior sinceridade.

Não vale deixar de fora o cafezinho depois do almoço, o chocolate da tarde, o barzinho com os amigos, os gastos com produtos de beleza: liste tudo, para que você tenha um panorama completo de quanto você gasta e quanto pode economizar.

Lembre-se: pequenos gastos, quando somados, acabam fazendo uma grande diferença no orçamento final.

3. Classifique seus gastos e corte o que for possível

Sabendo no que você gasta, agora é preciso fazer um controle de gastos e classificar suas despesas entre essenciais e não essenciais.

As essenciais são aquelas que não podem ser cortadas, como aluguel, luz, condomínio, prestação da faculdade etc.

Já as não essenciais são aqueles pequenos luxos que nos damos, o que definem o nosso estilo de vida: TV por assinatura, serviços de streaming, academia, comer em restaurantes etc.

Pode não parecer, mas os gastos não essenciais acabam comendo boa parte do nosso orçamento. Vamos ver um exemplo:

Se a TV por assinatura for R$ 180 por mês, os serviços de streaming somarem R$ 50 mensais, a mensalidade da academia custar R$ 120 e você gastar R$ 500 por mês comendo fora, somados já totalizam R$ 850 por mês.

Entretanto, é importante ressaltar que esses gastos podem variar, uma vez que cada é um caso.

Isto é, para uma pessoa pode fazer toda a diferença ir à academia, uma vez que ela não conseguiria abrir mão, porque é muito importante para ela. Nesse caso, a mensalidade da academia faria parte dos gastos essenciais.

De qualquer forma, você precisa olhar para essa planilha e cortar tudo o que for possível. Lembre-se de que você está fazendo isso por um objetivo maior, que vai trazer mais ganhos e mais satisfação para você!

4. Pense em dividir a moradia

Se você mora sozinho(a), pagando aluguel, pense seriamente em arrumar alguém para dividir o imóvel com você.

Imagine que seu aluguel seja R$ 1.600 e que você pague mais R$ 500 de condomínio. Só nesse caso já seriam R$ 1.050 a menos por mês, caso pudesse dividir a casa com outra pessoa.

Fora que vocês dividem outras despesas também, como a conta de luz e os gastos com limpeza. É uma bela economia!

5. Arrume uma renda extra

O mundo é um lugar cheio de possibilidades, existem inúmeras formas de você encontrar algo para ter uma renda extra.

Você pode trabalhar passeando cachorros, cuidando de crianças, fazendo pequenos serviços domésticos, fazendo freelas, dando aulas, fazendo comida para vender, dirigindo para aplicativos de transporte.

Faça uma autoavaliação e pense no que você sabe fazer!

6. Aprenda a dizer não

Essa dica é mais fácil para as pessoas que não saem tanto. Para quem tem muitos amigos e gosta de passar o tempo com eles nos bares e baladas, é um exercício de disciplina.

Mas, calma, isso não significará abrir mão da sua vida social, mas sim reduzi-la para caber no seu orçamento. Se você sai toda sexta, sábado e domingo, que tal restringir a um dia por semana? Ou ainda trocar programas caros por outros mais baratos, como passar o dia em um parque?

Você vai precisar de uma certa firmeza para falar não, porque seus amigos estão acostumados a ter você sempre por perto e vão estranhar quando começar a negar. Mas, de novo, lembre-se do seu propósito ao reduzir os gastos com diversão.

Se ajudar, cole uma foto do país para o qual você quer ir em um lugar visível da sua casa. Assim, quando pensar nos sacrifícios que está fazendo, vai se lembrar que a razão compensa!

7. Use os investimentos para ajudar na missão

Vamos voltar àqueles R$ 45.000 do começo do nosso artigo. Imagine que você cortou todos os gastos não essenciais, arrumou alguém para dividir a casa com você, reduziu as saídas e arrumou um trabalho extra que renda R$ 1.000 a mais por mês.

Com tudo isso, você conseguiria economizar R$ 2.000 por mês. Seriam necessários 22,5 meses para juntar os tais R$ 45.000.

No entanto, se você aplicar R$ 2.000 em um investimento que renda 0,4% ao mês, vai chegar a esse montante um mês antes, segundo a calculadora do Banco Central.

Pode não parecer tanto, mas pense o que é um mês da sua vida. Pode chegar lá antes e começar a viver o seu sonho.

Ou pode fazer um esforço adicional e trabalhar esse um mês a mais e chegar lá com um dinheiro extra para dar uma viajada com os amigos ou simplesmente para ter uma folga para poder sair à noite e curtir a vida local.

Entretanto, para começar a investir, é importante definir em quanto tempo você quer fazer seu intercâmbio. Isso vai te ajudar a decidir qual é o melhor investimento para o tempo que você tem disponível para isso.

Pensando em investimentos de curto prazo e baixo risco, você pode optar por:

  • Tesouro Selic;
  • CDBs de liquidez diária;
  • Fundos de renda fixa com liquidez diária (e taxa de administração de até 0,5%).

Se você se planejar com antecedência e tiver mais tempo para deixar seu dinheiro render, é possível escolher opções de risco baixo ou moderado.

Pensando em investimentos de médio prazo e baixo risco, algumas opções são:

Se você quiser arriscar um pouco mais no médio prazo, os investimentos de risco moderado indicados são:

  • CDB prefixado;
  • Fundo de renda fixa de crédito privado (com taxa de administração abaixo de 1% ao ano);
  • Carteira diversificada.

Agora, se você está se planejando com bastante antecedência, pode arriscar investir em investimentos de risco alto, indicados para o longo prazo:

  • Fundos multimercado
  • Fundos cambiais
  • Carteira diversificada.

Lembre-se que nem todos os investimentos são indicados para todos os perfis de pessoas. Antes de começar a investir, é preciso saber mais sobre o seu perfil de investidor!

Agora que você já sabe como juntar dinheiro para fazer seu intercâmbio, conheça mais sobre o serviço que pode adiantar sua viagem! Baixe nosso e-book Consultoria de investimento: guia completo sobre esse serviço!

Avaliar o post