Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Como sair das dívidas em 8 passos

Não existe milagre que possa saldar nossos débitos. Você enfrenta dificuldades financeiras e não tem ideia de como sair das dívidas? Pois saiba que mais de 65% dos brasileiros estão endividados. Isso, é claro, deve-se em parte às constantes instabilidades econômicas no país, mas também à falta de educação financeira no Brasil.

Primeiro, temos de ressaltar que, para sair de situações do tipo, é imprescindível ter disciplina e muita dedicação. Sacrifícios e mudanças radicais nos hábitos de consumo e nas práticas pessoais financeiras são necessários. Mas saiba que os esforços valem a pena e aumentam muito suas chances de prosperar economicamente. Veja as nossas dicas a seguir!

1. Corte quaisquer gastos que sejam desnecessários

Podemos começar a falar sobre como sair das dívidas abordando uma das atitudes mais urgentes e práticas para isso. Trata-se de eliminar todos aqueles gastos e despesas que não são necessários e que não acrescentam muito. Isso inclui desde produtos dispensáveis, luxos sem os quais vivemos bem, até despesas que não farão muita diferença a longo prazo.

Cozinhe mais vezes, por exemplo, em vez de sair para comer todos os dias. Opte por meios de transporte sustentáveis, como o transporte coletivo, e deixe de ter tantos gastos com o carro. Consuma sem desperdiçar sempre que puder.

2. Planeje-se e anote sempre os seus gastos e saldos

Organizar as finanças é algo que vai muito além de um hábito esporádico. Planejamentos financeiros devem ser feitos constantemente. Qualquer decisão ligada ao dinheiro precisa ser acompanhada dos dados e avaliações desse planejamento.

Além de outros benefícios, essa prática permitirá que você enxergue de modo estratégico diversas questões cruciais de sua rotina. Quer um exemplo? Coloque no papel todos os seus gastos fixos: aluguéis, contas de luz, água, mensalidades escolares, supermercado, entre outros. Tenha como meta que a soma disso não pode passar de 50% de sua renda.

desafio 52 semanas

3. Faça uma lista de suas dívidas e procure negociar

Dentro de seu planejamento para sair das dívidas, liste todas elas. Parcelas, cartão de crédito, contas, cheques especiais ou quaisquer outras. Em cada uma delas, insira a quantia a ser paga por mês, as taxas dos juros e o total devido. Organização e clareza são essenciais para podermos nos livrar do que devemos.

Renegociar dívidas é outra atitude que poderá ajudar. Coragem! Procure cada pessoa ou instituição para a qual você deve, fale com elas e busque as renegociações. Faça de tudo para saldar o quanto antes as quantias, com os menores juros que conseguir!

4. Veja como sair das dívidas vendendo itens sem uso

Existem pessoas que não ganham bem, mas são capazes de pagar suas despesas em dia, conquistando o que almejam. O importante não é apenas o quanto ganhamos mensalmente. Até porque, com salários maiores, os limites de crédito aumentam e, por consequência, as chances de endividamento também.

Essa dica de como sair das dívidas vale para todos: faça uma limpa em casa, separe tudo que está encostado, sem utilidade. Venda esses itens! Outra boa alternativa é procurar renda extra com a ajuda de alguma nova atividade ou mesmo por meio de investimentos seguros. Sabia que é possível começar a investir no tesouro direto com R$ 30?

5. Evite ao máximo parcelar suas compras

Procure sempre adquirir produtos ou serviços pagando à vista. É difícil, em muitos casos, mas os benefícios que virão com essa atitude farão a diferença! Dividir os pagamentos em longo prazo sem que haja real necessidade pode te trazer grandes dores de cabeça, piorando o quadro de suas dívidas.

Ao parcelar diversas compras, a “bola de neve” se agrava. Funciona mais ou menos como no cartão de crédito: você não sabe de fato se poderá contar com o valor para fazer o pagamento nos próximos meses, concorda? Esses equívocos levam muitos de nós ao abuso do cartão de crédito e cheque especial, que abordaremos adiante.

6. Diminua as suas dívidas e evite o cheque especial

Se você está endividado com cartões de crédito e cheques especiais, acalme-se, pois há como sair das dívidas. Para começar, o cheque especial deve ser evitado ao máximo, assim como o limite de crédito. Porém, caso já esteja dependendo de algum deles, certas providências podem ser tomadas. Uma das principais é tentar negociar a quantia em débito.

Converse com seu gerente para negociar empréstimos consignados ou pessoais, diminuindo os juros. É uma forma de “trocar” dívidas onerosas por outras mais brandas. Nos créditos consignados, as parcelas são descontadas mês a mês em seu holerite. Assim, a situação é um pouco amenizada, até que a dívida seja saldada.

7. Utilize os cartões de crédito apenas se necessário

Os cartões de crédito têm de funcionar como seus auxiliares, e não como criadores de problemas! Mas o descontrole no uso desses recursos é um dos grandes males financeiros que os brasileiros enfrentam. Reflita sempre se é imprescindível ter vários cartões de crédito e pondere bem sua utilização. O uso imprudente pode gerar várias complicações.

8. Poupe mais e crie a sua reserva para emergências

Tenha metas. Quanto será preciso economizar, por mês, para cobrir as parcelas ou saldar as dívidas? Definir isso facilitará a sua contabilidade. Você terá maior controle sobre as datas de vencimentos e os prazos que estabeleceu para si. Sua meta pode ser qualquer uma, como sair das dívidas ou até mesmo alcançar seu primeiro milhão.

Lembre-se também de que emergências podem ocorrer a qualquer momento. Portanto, tenha sempre uma reserva de dinheiro, investindo nela mensalmente para evitar futuras dívidas. Garanta ao menos uma quantia emergencial que se equipare à soma de 3 salários. Não se esqueça disto: quanto mais se dedicar a esse tipo de economia, menos chances terá de se endividar.

Com essas práticas, com certeza será possível enxergar como sair das dívidas. Lembre-se de que a reeducação financeira deve ser praticada no dia a dia. Inclusive, assista a alguns filmes sobre dinheiro em seu tempo livre para se divertir e ainda buscar inspiração. Esperamos ter ajudado você a assumir hábitos conscientes em relação ao uso do dinheiro e às suas dívidas. Agora, aproveite e confira também o nosso conteúdo sobre renda passiva.

Malena Oliveira

Especialista em Finanças Pessoais e membro do Grupo Consultivo de Educação Financeira da Anbima.

leia mais desse autor