Como viver de renda nos EUA? Entenda aqui!

por Malena Oliveira | 29/03/2019

Como viver de renda nos EUA? Veja o passo a passo
consultoria de investimento
curso de investimento

Morar nos Estados Unidos é um desejo de muitas pessoas. Só os brasileiros nos EUA já somam 1,4 milhão, segundo o Itamaraty. Mas já pensou no que você precisa para viver de renda nos EUA?

Independentemente da situação, vamos mostrar que é possível viver de renda nos EUA! Neste post você verá o custo de vida do país, algumas alternativas para viver de renda e por que é importante investir para conquistar seus objetivos. Confira!

Como é o custo de vida nos Estados Unidos?

Se você está pensando em ir morar nos Estados Unidos, uma das primeiras coisas que deve levar em consideração é o custo de vida americano.

Como é uma realidade bastante diferente da que encontramos no Brasil, esse quesito precisa entrar no seu orçamento e no seu planejamento financeiro. Listamos o gasto médio de algumas cidades americanas. Confira!

Nova York

A cidade mais populosa dos EUA tem uma média salarial de U$4550. O valor parece alto, mas é importante comparar aos custos.

Somente com moradia é preciso investir entre U$900 e U$2100 para um quarto mobiliado, em um apartamento de três dormitórios em Manhattan.

Caso queira um apartamento inteiro e mobiliado, a média é de U$3100. Se for no Brooklyn, o valor é por volta de U$1000 a menos. Considerando outras despesas, como contas gerais, transporte, alimentação e seguros, o total gasto é de, pelo menos, U$2860.

Los Angeles

A remuneração salarial média é de U$3750. A vantagem é o aluguel baixo, se comparado a outras grandes cidades.

Estúdios e apartamentos semi-mobiliados, de um quarto, custam por volta de U$1200. Às vezes, nesse valor já estão incluídas outras despesas, como taxa de lixo e internet.

Apesar disso, há outros gastos maiores, especialmente com entretenimento. Os extras chegam a somar cerca de U$560 ao mês. Por isso, o total, somando os valores mais baixos, fica em média U$2620 ao mês.

Chicago

A média salarial em Chicago é de U$3925. O aluguel é baixo. Um estúdio fica por volta de U$1100, enquanto um apartamento de um quarto fica em U$1580.

A alimentação fica mais cara, porque há taxas agregadas. Mas, de maneira geral, é uma das cidades mais baratas para morar, com uma média de U$2400.

Houston

A cidade do Texas, onde está localizada a base da Nasa, oferece um rendimento salarial médio de U$3500. Um aluguel de quarto compartilhado custa aproximadamente U$750, enquanto um estúdio mobiliado custa por volta de U$950.

O transporte e gastos extras também tendem a ser mais baratos, por isso é possível morar em Houston com cerca de U$1900.

Filadélfia

A média salarial é de U$3400. Para dividir uma casa com outras três pessoas, são por volta de U$540 de aluguel. Em um estúdio, são aproximadamente U$900.

A alimentação fora de casa também é barata, custando por volta de U$12 por dia. No total, você gasta em torno de U$2 mil em um mês.

Como se organizar para viver de renda nos EUA?

Para viver de renda, é necessário que você tenha rendimentos gerados a partir de um patrimônio. É uma quantia que você recebe regularmente, sem precisar trabalhar.

Dado o custo de vida dos Estados Unidos, um planejamento financeiro bem estruturado é necessário para que seja possível viver de renda. Para chegar lá, é preciso colocar em prática algumas etapas. Veja quais são elas:

Organize seu orçamento

A construção de uma renda passiva começa pela organização. Planeje seus gastos mensais, listando todas as suas despesas fixas e variáveis.

Verifique o que pode ser eliminado ou reduzido. Você também pode controlar suas despesas por meio de uma ferramenta de controle financeiro.

Faça um planejamento financeiro

Um planejamento vai te ajudar a criar metas para atingir seus objetivos. Isso porque, programando para situações futuras, é possível adaptar comportamentos, orçamentos e a sua vida financeira de uma maneira geral.

consultoria de investimento

Existem várias formas de colocar esses planos em prática, como aplicativos de controle financeiro, planilhas e, claro, uma organização muito bem feita.

Monte uma reserva de emergência

A reserva de emergência é uma boa alternativa para não ficar em apuros. Ela representa uma quantia que só poderá ser usada em eventualidades não programadas, ou para oportunidades que podem não voltar mais, como uma promoção de algo que você já estava se planejando para comprar.

Para compor uma reserva, o ideal é juntar de 3 a 9 meses da sua renda mensal, mas o valor exato vai depender do seu perfil e de suas necessidades.

Mais: Reserva de emergência – o guia prático de como montar a sua!

Comece a investir

Como já falamos acima, a capacidade de viver de renda depende da sua renda passiva, aquela gerada sem precisar trabalhar. Nesse aspecto, as aplicações financeiras são capazes de te ajudar, gerando uma renda além do seu salário.

Quanto antes você começar a aplicar seu dinheiro, mais cedo é possível se estruturar para viver do rendimento dos seus investimentos. Vamos te explicar mais sobre isso a seguir:

A importância de investir para viver de renda

Viver de renda, principalmente nos Estados Unidos, vai muito além do que juntar dinheiro. Isso porque, devido ao efeito da inflação, o poder de compra do dinheiro parado diminui. Nesse sentido, investir seu dinheiro é de extrema importância, porque além de protegê-lo, você faz ele render.

Entretanto, até você chegar ao ponto de viver apenas da renda das suas aplicações financeiras, existe um caminho. Não necessariamente longo, mas um caminho que precisa ser bem estruturado.

Depois de organizar seu orçamento, fazer um planejamento e montar uma reserva de emergência, é necessário saber qual o seu perfil investidor. Se você já investe, também é importante rever essa etapa de tempos em tempos, porque seu perfil pode mudar.

O perfil investidor vai traçar sua tolerância a risco, isto é, o quanto você está disposto a arriscar para alcançar seu objetivos financeiros. É bom lembrar que, em um curto período de tempo, retornos consideráveis virão com investimentos mais arriscados. Mas, se você tem mais tempo para se planejar e investir, não tenha dúvidas que um investimento menos arriscado também trará bons resultados.

É por esses detalhes que para cada perfil existe uma recomendação de investimento mais adequada. Dessa forma, é possível evitar estresses devidos a prejuízos ou retornos abaixo do esperado.

Quer saber quais investimentos combinam mais com o seu perfil? Veja a seguir:

Perfil conservador

Em um perfil conservador, a tolerância a riscos é pequena. Neste caso, um investimento em renda fixa é a opção mais recomendada. Isso porque esse tipo de investimento costuma sofrer uma variação pequena.

O Tesouro Direto, por exemplo, é um tipo de investimento em renda fixa, que tem um rendimento parecido ao da Selic, a taxa básica de juros. Além disso, as possibilidades de perda de capital são muito pequenas, já que o pagamento é garantido pelo governo.

Perfil arrojado

As pessoas de perfil arrojado aceitam correr um risco moderado. Isso significa que as aplicações podem misturar várias categorias de investimento, como fundos, títulos públicos e também a renda fixa.

É comum do perfil arrojado enquadrar pessoas que ainda estão longe de se aposentar e não têm muitos gastos no presente.

Perfil agressivo

O perfil agressivo é o que está mais passível a riscos, priorizando a rentabilidade ao máximo. Os tipos de investimento mais compatíveis com esse perfil são investimentos como ações na bolsa de valores, debêntures e commodities. Ainda assim, a renda fixa também pode estar presente, representando uma quantidade menor na carteira.

As pessoas de perfil agressivo normalmente já têm estabilidade financeira e uma boa reserva de emergência como segurança. Isso porque, em alguns casos, a instabilidade de uma carteira agressiva pode trazer prejuízos.

Algumas alternativas para complementar a renda nos EUA

O que você acha de acumular 1 milhão de dólares? Há alguns anos, essa quantia era enorme. Hoje, mais de 9 milhões de pessoas nos Estados Unidos já têm esse montante acumulado.

Nesse sentido, mesmo com uma renda passiva e boas aplicações, é sempre interessante saber possíveis rendas alternativas.

O que fazer quando você está fora do Brasil? Existem algumas alternativas simples e que reforçam o orçamento. As principais são:

  • trabalhar como freelancer: esse profissional trabalha no formato home office. Algumas opções são: produção de conteúdo, revisão e tradução de textos, criação de sites etc.;
  • vender doces: o ato de fazer, decorar e comercializar bolos e cupcakes temáticos são boas alternativas para complementar a renda. Se quiser levar a empreitada mais a sério, crie um site e uma fanpage em rede social com fotos;
  • passear com cachorros: o dog walker caminha nas ruas com os animais. Para anunciar seus serviços, basta imprimir flyers, fazer perfis nas redes sociais ou utilizar plataformas específicas;
  • trabalhar formalmente: as opções são variadas. Alguns exemplos são garçom, babá, professor de português, operador de caixa e mais.

Seguindo os passos certos, descobrimos que sim, é possível viver de renda nos EUA! Mas é preciso se planejar para que tudo dê certo no final. Se você quer saber mais sobre esse assunto, confira 4 passos para viver de renda e comece a se programar hoje!

Como viver de renda nos EUA? Entenda aqui!
4.5 (90%) 2 vote[s]
curso de investimento