Vale mais a pena comprar ou investir na Black Friday? Descubra aqui!

por Malena Oliveira

Black Friday ou “sexta-feira negra” é o nome dado a uma famosa ação comercial realizada originalmente nos Estados Unidos, logo após a quinta-feira do Dia de Ação de Graças. Assim, a Black Friday ocorre na quarta sexta-feira do mês de novembro de cada ano.

Veja mais: Na Black Friday da Magnetis, você investe até R$ 25 mil com TAXA ZERO de consultoria! Simule aqui

Tal iniciativa envolve grandes redes de lojas, que oferecem descontos para os clientes — que chegam a madrugar na porta dos estabelecimentos — com o intuito de serem os primeiros a aproveitar as ofertas.

Com tempo, a Black Friday se espalhou por outros países, inclusive o Brasil, principalmente por meio do e-commerce. Mais recentemente, com o crescimento das vendas, tal ação também passou a ser realizada por lojas dos mais variados portes e setores. Já existe até a Black Friday dos investimentos.

É claro, é preciso prestar atenção às ofertas para saber o que é vantagem real e o que é pegadinha na hora de tomar a sua decisão. Assim, para ajudar você, preparamos um post sobre o que considerar para fazer o uso eficiente do seu dinheiro!

Quando é vantajoso comprar na Black Friday?

Muitas vezes a Black Friday é o pontapé inicial da temporada de compras de fim de ano. Por isso, é comum muita gente economizar uma quantia durante o ano para aproveitar essa ação comercial e adquirir objetos de desejo, como eletrodomésticos, móveis, smartphones etc.

Diante de tantas “ofertas imperdíveis”, como saber se a compra é vantajosa mesmo? O ideal é analisar o preço de cada mercadoria em comparação a seu preço em outras épocas do ano.

Vamos a um exemplo: imagine um produto cujo preço habitual seja R$ 1,2 mil. Na Black Friday, você encontra uma promoção que oferece 10% de desconto e ainda permite a compra parcelada. Nesse caso, o produto sairia por R$ 1.080.

Porém, acompanhando o preço desse item ao longo do ano, você percebe que o desconto é igual ao visto em outras épocas. Logo, se você não tiver pressa, vale a pena esperar um pouco mais e juntar dinheiro para barganhar um abatimento ainda maior no pagamento à vista, por exemplo.

Melhor ainda: imagine investir dinheiro para comprar o que você deseja. É possível utilizar o poder dos juros compostos e deixar o valor rendendo enquanto você espera o melhor momento para fazer a compra.

Assim, de modo geral, comprar na Black Friday é vantajoso quando você consegue um desconto maior do que pode obter em outros momentos.

Em outros casos, é mais vantajoso planejar a sua compra com mais antecedência, considerando investir dinheiro para adquirir o que você deseja.

Como não ser enganado na Black Friday?

O raciocínio anterior é um bom norte para tomar uma decisão quando o consumidor sabe qual é o preço habitual da mercadoria em questão. O problema ocorre quando as ofertas são distorcidas, de modo a enaltecer um falso desconto.

De tantos relatos de preços “mascarados” na Black Friday, os próprios consumidores criaram a teoria de “tudo pela metade do dobro”. Tal máxima serve justamente para retratar a prática que algumas lojas de aumentar o preço dos produtos antes da ação comercial para em seguida diminuí-los, como se tivessem feito uma promoção.

Infelizmente, isso também pode acontecer no caso dos investimentos, quando grandes bancos oferecem como "promoção" condições que podem ser encontradas durante todo o ano em corretoras independentes.

É possível se proteger desses truques acompanhando periodicamente os valores dos itens que você deseja e também utilizando ferramentas que comparam preços. Comparar investimentos, aliás, também é uma prática bastante recomendada nesses casos.

Quando vale a pena investir em vez de comprar?

Se os descontos forem inferiores aos retornos proporcionados pelas aplicações financeiras e se a condição especial for apenas o parcelamento da compra, é provável que valha mais a pena investir para comprar depois.

Aplicar seu dinheiro é vantajoso quando o retorno da aplicação for maior do que o desconto obtido na Black Friday. Assim, se o produto custa R$ 1 mil e o abatimento é de 5%, você pagaria R$ 950. Entretanto, se o dinheiro ficar aplicado a uma taxa líquida de 7% ao ano, o ganho será de R$ 70, logo, superior à economia de R$ 50 da compra com desconto.

Como aproveitar a Black Friday sem prejudicar o orçamento?

Uma forma de aproveitar os preços realmente vantajosos da Black Friday é se planejar com bastante antecedência. Isso permite economizar dinheiro para que as compras não pesem no orçamento.

De preferência, o ideal é ter uma quantia aplicada e usar apenas os juros desses ativos para adquirir as mercadorias que você deseja. Ao fazer isso, você usa somente os frutos do seu capital, sem comprometê-lo por inteiro.

Ao comprar mercadorias com essa renda passiva, a pessoa não precisa diminuir o próprio patrimônio, que passa a ser uma fonte contínua de novos recursos.

magnetis invista no que importa simule gratis

Como você pôde perceber, vale a pena comprar na Black Friday quando os preços estão realmente mais baixos em relação ao habitual.

Além disso, também é vantajoso fazer aquisições quando os descontos superam as taxas de retorno dos investimentos. Seja qual for a sua decisão, o ideal é poupar com antecedência para adquirir o que você quer sem comprometer o seu orçamento e a construção do seu patrimônio.

Gostou das dicas para aproveitar melhor a Black Friday? Quer receber mais conteúdos como este? Então assine a nossa newsletter e receba novidades sobre o mundo dos investimentos diretamente em seu e-mail!

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

Vale mais a pena comprar ou investir na Black Friday? Descubra aqui!
5 (100%) 1 vote