Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Você pode investir de um jeito melhor, e nós podemos provar.

Baixe o app!

Conflitos de interesse: conte com a Magnetis para fugir disso

O termo conflitos de interesses pode deixar inseguro até mesmo o investidor mais experiente. Afinal, a mera possibilidade de comprometer o retorno de alocações em razão de informações ocultas precisa ser eliminada. Por isso, mais importante do que saber em quais ativos investir é descobrir como investir.


Há muitas informações acerca do termo e, recentemente, o assunto rendeu até mesmo algumas polêmicas. Podemos citar a ocasião em que um grande banco questionou uma corretora de investimentos sobre o seu modelo de remuneração de assessores, alegando vantagens ao agente, e não necessariamente ao investidor – ainda que, na prática, um banco também privilegie uma das partes.

Nesse sentido, é necessário entender como os conflitos de interesse costumam acontecer na prática, pois muitas vezes vêm disfarçados de benefício para os clientes. 

Entenda como bancos e corretoras costumam sair ganhando por meio de sistemas de remuneração e descubra por que a Magnetis é uma opção promissora para os seus investimentos

Conflitos de interesse no mercado financeiro

Os conflitos de interesse ocorrem quando uma das partes recebe um benefício por algo que a outra parte fez, sem que esta tenha clareza disso. Esse conflito pode acontecer em diversos tipos de relações. Por exemplo, um médico pode ganhar dinheiro para recomendar um determinado medicamento mais caro, ao invés de recomendar um medicamento igualmente eficiente, porém mais barato.

Nesse cenário, também existe o conflito quando o profissional não informa ao paciente que está sendo remunerado pela recomendação que fez – e que há outra opção mais barata.

No mercado de investimentos, o que costuma ocorrer é a falta de transparência em relação às remunerações escondidas nas taxas, o que também influencia na escolha dos produtos financeiros que serão indicados ao investidor. 

Em bancos e corretoras, é comum que os clientes recebam indicações de investimentos que não contribuem para resultados positivos na sua carteira, mas isso não é tudo. Há casos mais sutis, que merecem ainda mais atenção. Os conflitos ocorrem por conta do modelo de negócio das instituições, que estimulam os gerentes ou assessores a recomendarem produtos para baterem as suas metas.

O problema desse modelo é que, havendo dois tipos de investimentos que se adequam ao cliente, em que um comissiona 0,5% e o outro, 1%, o investidor receberá a indicação do ativo de maior comissão ao agente, deixando de otimizar o seu patrimônio – afinal, ele perde recursos ao pagar taxas mais caras. 

Os conflitos de interesse afastam o investidor da possibilidade de potencializar o retorno financeiro com as suas aplicações, principalmente após longos anos de investimentos, em busca da construção de um patrimônio. Portanto, é importante entender as problemáticas em torno desse modelo desfavorável e se livrar dele o quanto antes, traçando uma estratégia clara e com relações transparentes.

Como os conflitos de interesse ocorrem na prática? 

A cultura brasileira em relação aos investimentos ainda é rodeada de mitos, conservadorismo e desinformação. Felizmente, o tema vem ganhando cada vez mais relevância, e empresas preocupadas em entregar um bom resultado têm a oportunidade de promover melhorias significativas ao investidor e ajudá-lo a alcançar os seus objetivos, como é o caso da Magnetis

Porém, como a maioria das empresas tradicionais não está preocupada com isso, algumas situações se passam por vantagens quando, na verdade, também configuram conflitos de interesse

Para exemplificar, basta falarmos dos sistemas baseados em comissões. Ao investir junto às corretoras, muitos acreditam que a assessoria oferecida não terá custo algum e ainda resultará em benefícios para a sua carteira de investimentos. 

No entanto, esse modelo está longe de ser benéfico para os seus investimentos, pelos seguintes motivos:

  • as taxas e custos em torno dos aportes são muito altas;
  • falta de transparência e confiança entre o investidor e a instituição;
  • falta de diversificação da carteira, já que os ativos são escolhidos de acordo com o que funciona melhor para a corretora;
  • as aplicações geram ganhos para a corretora independentemente do seu desempenho, ou seja, não há uma preocupação genuína com o aumento e a preservação do seu capital. 

O problema do modelo commission-based

No sistema commission-based, os ativos financeiros são recomendados aos investidores com base em comissões embutidas nesses produtos. Nessa modalidade, a taxa de rebate é a responsável pela remuneração da corretora. Junto a isso, vende-se a ideia de que esses ativos são a melhor opção para a sua carteira.

Porém, o conflito ocorre porque nem sempre o que é melhor para a instituição será o mais indicado para o seu perfil e objetivos financeiros

É muito mais fácil indicar um produto sabendo que ele trará maior retorno à instituição, independentemente das suas movimentações. A questão é que essas recomendações podem prejudicar o retorno do investidor, enquanto ele pensa estar tomando uma boa decisão. 

A Magnetis trabalha com total transparência 

A principal saída para o conflito de interesses é a transparência, desde o momento em que o investidor decide alocar seus aportes junto a uma instituição. É por isso que investir com a Magnetis, a gestora de investimentos completamente alinhada aos seus objetivos, é uma maneira de evitar essa frustração.

Além de adotar o modelo fee-based, que você conhecerá a seguir, oferecemos uma experiência completamente pautada no método GBI, para que você possa alcançar suas metas com mais clareza e segurança. 

Como fugir dos conflitos de interesse? 

O sistema de remuneração fee-based é uma das principais respostas a como investir sem conflitos de interesse. Nele, não há taxas de administração ou performance, que confundem o investidor e contribuem para um mau desempenho nos investimentos. 

Aqui, na Magnetis, a taxa única de 0,6% ao ano incide sobre o valor investido na carteira e refere-se à gestão do portfólio como um todo. Dessa forma, como guia de investimentos, reforçamos o nosso compromisso com as suas metas, sem qualquer comissão envolvida. 

A melhor estratégia para os seus investimentos está aqui 

Conflitos de interesse são sinônimo de quebra de confiança, algo inadmissível para a Magnetis. O investidor, seja por falta de tempo ou conhecimento sobre o mercado, precisa confiar em quem está escolhendo e realizando a distribuição de ativos em sua carteira. 

Quando se trata de investimentos, os sonhos e projetos têm relação com a rentabilidade de longo prazo. Portanto, escolher a melhor estratégia para alcançá-los não deve ser algo complicado.

A Magnetis acredita no seu futuro tanto quanto você. Por isso, nosso único critério para atribuir um determinado ativo ao seu portfólio é que esse investimento traga o melhor resultado para você.

Além disso, a startup mais promissora de investimentos se destaca por uma série de vantagens exclusivas. Confira!

  • Devolução de 100% dos rebates: a comissão, que em outros lugares seria destinada a quem vendeu o investimento para você, é direcionada à sua carteira em sua totalidade como investimento.
  • Análise de ativos em larga escala para escolher as melhores opções para a sua carteira, entre mais de 145 mil combinações possíveis.
  • Especialistas em investimentos para acompanhar a sua jornada.
  • Investimentos baseados em metas, pela metodologia GBI.
  • Diversificação com uma estratégia que reúne investimentos brasileiros, internacionais, criptoativos e mecanismos de proteção, os quais são alocados com um olhar isento e pensado em você.

Com a Magnetis, você conta com a união de especialistas em investimentos e tecnologia para alcançar os melhores resultados para seus investimentos. Comece hoje mesmo a construir seu caminho em busca de seus objetivos, sem quaisquer conflitos de interesse.

Aplicativo Magnetis
Andressa Siqueira, CEA
Andressa Siqueira, CEA

Formada em Economia pela PUC-SP, é analista de conteúdo, especialista em investimentos na Magnetis desde 2019, possui certificação CEA pela ANBIMA e trabalha no mercado financeiro há mais de 8 anos.

leia mais desse autor