Como consultar seu saldo no FGTS? Confira o passo a passo completo!

por Mariana Congo | 24/07/2019

Consulta FGTS: Como consultar seu saldo no FGTS

Se você trabalha com carteira assinada, provavelmente tem algum saldo no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, o famoso FGTS. Neste post, você vai ver como fazer a consulta ao FGTS, como sacar o dinheiro e quais tipos de investimento são melhores.

Veja mais: Quer saber como investir melhor o seu saldo do FGTS? Clique e receba uma recomendação!

O governo anunciou que vai abrir uma nova exceção para o saque do FGTS, tal como foi feito em 2017. Os recursos do PIS/PASEP também estarão disponíveis para saque.

Dessa vez, a novidade é que o saldo das contas ativas também poderá ser sacado. Ou seja, se você quiser, poderá retirar o dinheiro depositado pela sua empresa atual.

Por enquanto, ainda não há muitas informações sobre o calendário de saque do FGTS, mas novas notícias devem chegar nos próximos dias.

O que sabemos até agora?

  • será possível sacar dinheiro das contas ativas e inativas do fundo;
  • haverá um limite de saque de até R$ 500 por conta. Ou seja, se você trabalhou em duas empresas com carteira assinada, poderá sacar R$ 1 mil, e assim por diante;
  • a retirada poderá ser feita a partir de setembro de 2019;
  • também será possível optar por sacar o FGTS na data de aniversário do trabalhador;
  • o governo alterou o rendimento do FGTS e, a partir de 2019, vai distribuir 100% do lucro do fundo para os trabalhadores.

Agora, vamos recapitular o que é FGTS, qual é a sua finalidade e quando vale a pena sacar o dinheiro depositado lá. Depois, vamos mostrar como consultar o saldo do seu FGTS. Vamos começar?

O que é FGTS?

Como mencionamos, FGTS é a sigla para Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

Conforme a lei nº 5.107/66, que integra o regime de contração CLT, todo trabalhador com carteira assinada sob esse regime tem pelo menos uma conta no FGTS. Cada emprego corresponde a uma conta diferente.

O dinheiro depositado no FGTS é responsabilidade das empresas. Pela lei, elas devem depositar 8% do salário de cada funcionário todo mês em sua respectiva conta de FGTS.

Esse valor fica guardado e pode ser sacado somente em alguns casos, que veremos mais adiante.

O FGTS, que é conhecido informalmente como poupança forçada do trabalhador, pois serve como proteção em caso de perda do emprego.

Além disso, o governo usa os recursos do fundo em projetos de infraestutura e nos financiamentos imobiliários feitos pela Caixa Econômica Federal.

Quanto rende o FGTS?

O dinheiro depositado nas contas do FGTS rende 3% ao ano, mais a Taxa Referencial (TR), que hoje está zerada. Esse rendimento é incorporado às contas no dia 10 de cada mês, de forma proporcional à taxa anual.

Como você pode perceber, ele é ainda menor que o rendimento da poupança, que hoje está em 4,20% ao ano.

No entanto, entre 2015 e 2018, uma nova regra fez o FGTS render um pouco mais: a distribuição de 50% do lucro do fundo para os trabalhadores.

Segundo o governo, a rentabilidade do FGTS foi de 5,6% em 2018, um pouco maior do que a poupança.

Agora, o governo alterou essa regra e vai passar a distribuir 100% do lucro do FGTS em 2019.

Isso fará com que a rentabilidade anual do fundo fique perto dos 7%, superando até mesmo o Tesouro Selic e os CDBs que rendem abaixo de 110% do CDI. 

Quem pode sacar o FGTS?

Trabalhadores cujas empresas contribuíram com o FGTS devem se encaixar em algumas das regras abaixo para sacar seu dinheiro. Assim, é possível sacar o FGTS:

  • ao se aposentar;
  • ao ser demitido sem justa causa;
  • ao comprar a casa própria;
  • em caso de doenças graves, como AIDS ou câncer;
  • em caso de não haver depósito na conta por mais de três ano seguidos;
  • ao ser declarada falência na empresa ou caso o patrão faleça;
  • em caso de morte do trabalhador.

Quais são as exceções?

Em 2017, o governo liberou o saque do FGTS das contas inativas, ou seja, contas cujo vínculo entre trabalhador e empresa já havia sido encerrado.

Na época, a Caixa Econômica Federal era responsável por distribuir os recursos. O banco fixou um calendário de saque com base no mês de aniversário dos contribuintes, que ficou assim:

Calendário saque FGTS 2017

Pela medida, foram consideradas contas inativas aquelas paradas desde 31 de dezembro de 2015 sem receber novos depósitos.

No entanto, o prazo para o saque do seu FGTS terminou em 31 de julho. Você deve estar se perguntando: “Se eu não consegui retirar, o que aconteceu com o meu dinheiro?”.

Não é preciso preocupação, pois ele fica retido na conta da Caixa Econômica Federal para que você possa retirá-lo de acordo com as regras estabelecidas.

De maneira geral, é possível conferir no próprio site da Caixa Econômica Federal quais são todas as regras para sacar seu FGTS, bem como os documentos necessários.

Agora, em 2019, o governo anunciou uma nova liberação desses recursos para o saque. Ainda não há muitos detalhes sobre isso, mas novas informações devem ser divulgadas nos próximos dias.

Consulta FGTS: como saber seu saldo

É muito simples descobrir quanto você tem de saldo pela consulta do FGTS. Não é preciso enfrentar fila, pois você pode consultar o seu saldo pela internet. Basta acessar o site do FGTS ou baixar o aplicativo para smartphone:

Para o seu primeiro acesso, você deve informar os seguintes dados:

  • Número do NIS (PIS/PASEP);
  • Título de eleitor;
  • CPF,
  • RG.

Como consultar o número do PIS?

O número do NIS (PIS/PASEP) fica na sua carteira de trabalho ou no Cartão Cidadão, que é emitido pela Caixa Econômica Federal.

É possível consultar o número do seu PIS no site Meu INSS. Basta fazer um cadastro e confirmar seus dados.

Com o número em mãos, acesse o site da Caixa Econômica Federal para consultar seu saldo no FGTS.

Se é a primeira vez que você acessa, vai precisar criar uma senha: digite seu número do NIS (PIS/PASEP) e depois aperte em Cadastrar Senha. Depois de aceitar os termos de uso, é só seguir o passo a passo.

Nessa página da Caixa você vai conseguir ver seu extrato consolidado do FGTS ou o extrato de cada empregador, atual e antigo (contas inativas).

Mas, outro jeito de verificar FGTS é pelo celular, visto que existem aplicativos específicos para a consulta.

Saque do FGTS: como encontrar melhores investimentos?

Em 2017, quando o governo liberou o primeiro saque do FGTS das contas inativas, 86% dessas contas tinham menos de um salário mínimo (R$ 937 na época).

Ainda que não fosse alto, o saque do FGTS era mais vantajoso do que deixá-lo na conta da Caixa. Isso porque, como vimos aqui, o FGTS rendia até menos do que a poupança.

Hoje, o FGTS continua rendendo 3% + TR. No entanto, com a distribuição de 100% do lucro do fundo, essa rentabilidade praticamente dobra.

Vamos ver como fica a diferença ao longo do tempo? Simulamos um valor de R$ 1 mil investido em diferentes aplicações ao longo de 20 anos. Veja no gráfico a seguir:

Rendimento do FGTS: entenda se vale a pena sacar

Como você pode perceber, o FGTS rende até mais do que a poupança e o Tesouro Selic em um período de 20 anos.

No entanto, uma Carteira Diversificada composta por 66% de ativos de renda fixa (CDB, LCI, LCA e fundos DI), 14% de fundos multimercado e 20% de ações.

É claro, nem todos os objetivos são atendidos por uma carteira diversificada. Vale considerar quando ela será útil para o que você deseja alcançar.

Agora que você sabe como fazer a consulta ao FGTS, que tal conhecer as opções que o mercado oferece para o seu dinheiro render mais? Baixe grátis o nosso Guia Completo sobre os Tipos de Investimento e conheça as alternativas! Tem alguma dúvida? Deixe nos comentários!

(Post originalmente publicado em fevereiro de 2017)

Como consultar seu saldo no FGTS? Confira o passo a passo completo!
5 (100%) 3 vote[s]