7 perguntas e respostas sobre o consultor de investimentos

por Malena Oliveira | 16/11/2018

consultor de investimentos

Quem faz investimentos precisa lidar com muitas informações para conseguir gerir sua carteira de forma eficiente. Mas essa gestão demanda tempo e conhecimento sobre o mercado, o que nem sempre é algo que está ao alcance de todos. Por isso, contar com um consultor de investimentos faz toda a diferença.

A falta de tempo e a insegurança para lidar com as diversas possibilidades que as aplicações financeiras oferecem podem confundir as pessoas. Diante disso, uma das alternativas é contar com um especialista para tomar as melhores decisões.

Os serviços de um consultor de investimentos ajudam na busca das aplicações mais adequadas para o seu perfil e, ao contrário do que o senso comum prega, não estão reservados apenas a pessoas com muito dinheiro para investir.

Além disso, existem aspectos que os diferenciam dos assessores e agentes autônomos ligados a corretoras e bancos.

Para que não reste nenhuma dúvida, preparamos neste texto uma série de perguntas e respostas sobre o consultor de investimentos. Certamente elas ajudarão muito você. Vamos lá?

1. O que é um consultor de investimentos?

Podemos resumir o trabalho de um consultor de investimentos como a atividade de recomendar aplicações financeiras de acordo com o perfil e os objetivos de cada pessoa.

Devido ao seu conhecimento e à sua experiência, um consultor está sempre atualizado sobre quais são os melhores tipos de investimento. Assim, ele é capaz de indicar caminhos mais eficientes para os seus objetivos financeiros.

2. Como um consultor de investimentos pode ajudar?

Um consultor de investimentos consegue facilitar a vida de uma pessoa em diversos momentos. Se bem feito, o trabalho desse profissional ajuda no incremento dos ganhos, na minimização dos riscos dos investimentos e no esclarecimento de dúvidas.

Em caso de problemas, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pode atuar. Contudo, é necessário atenção: nenhuma consultoria de investimentos ou qualquer outra empresa financeira pode garantir a rentabilidade exata de uma aplicação no futuro. 

Um investimento que não rendeu o esperado não é uma irregularidade e, portanto, não é um ponto passível de punição.

3. Qual é o custo desse serviço?

Um consultor de investimentos pode cobrar pelo seu serviço de algumas maneiras. Alguns profissionais cobram por hora de trabalho ou por sessão.

Outros preferem receber um percentual sobre o total investido ou sobre os rendimentos da carteira depois de certo período. Essa forma de cobrança deve estar bem clara no contrato, evitando questionamentos no futuro.

4. Qual é a diferença entre um consultor e um assessor de investimentos?

A regulamentação em que se baseia o trabalho do consultor de investimento é a instrução 592/2017 da CVM.​ 

Um dos pilares do trabalho desse profissional é a transparência, desde a forma de cobrança pelos serviços até eventuais conflitos de interesse, que precisam ser esclarecidos prontamente.

Por outro lado, não existe definição legal sobre o que é um assessor de investimento. Formalmente, há os agentes autônomos de investimento (AAI), que atuam indicando os produtos da corretora à qual estão vinculados. Essa atividade também é regulada pela CVM, por meio da instrução número 497/2011.

Apesar dessas distinções, é comum que o termo assessor de investimentos seja usado sem muito critério, indicando tanto consultores quanto agentes autônomos. Para evitar confusões, é interessante que o cliente pergunte ao assessor com qual registro ele está apto a trabalhar: o de consultor ou o de agente autônomo.

A instrução que regulamenta os agentes autônomos não explicita as formas pelas quais eles podem ser remunerados. Isso abre espaço para as assessorias sem custo, que podem se revelar uma armadilha.

O desconhecimento sobre como a remuneração é paga gera brechas para conflitos de interesse, colocando em xeque a isenção das indicações de investimentos. Por isso, fique atento!

5. Qual é a diferença entre um consultor de investimento e os bancos?

Por muito tempo, as opções de investimento ficaram restritas aos grandes bancos — e ainda hoje eles são uma escolha frequente de quem busca uma aplicação financeira.

No entanto, ao optar por investir em grandes instituições financeiras, o cliente se depara com uma menor variedade de produtos que custam mais caro.

Ele também pode sofrer com o conflito de interesses: nada impede que o gerente indique investimentos que favorecem mais a empresa que ele está representando do que o cliente.

6. Como saber se o consultor de investimentos é qualificado?

Todo consultor de investimentos precisa ter um registro na CVM que o habilite nessa função. O processo de credenciamento envolve a apresentação de uma série de documentos e o cumprimento de requisitos mínimos, o que afasta indivíduos ou empresas incapazes de oferecer um serviço qualificado.

Além disso, um grande diferencial é a certificação de planejador financeiro - Certified Financial Planner ou CFP -, emitida no Brasil pela Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (a Planejar, conhecida antigamente como IBCFP).

Um planejador financeiro é um profissional que busca elaborar o melhor plano para uma pessoa com base em uma visão ampla de sua renda, suas despesas e necessidades e seus objetivos. Obter esse certificado exige uma série de exames e comprovação de experiência no ramo.

7. Como a Magnetis pode ser o seu consultor de investimentos online?

O avanço da tecnologia também revolucionou a consultoria de investimentos. Por meio da internet, empresas especializadas conseguem oferecer seus serviços a mais consumidores e com um custo menor se comparado às opções tradicionais.

Esse é o caso da Magnetis, que utiliza algoritmos e metodologias consagradas para encontrar soluções personalizadas de investimento de acordo com o perfil do cliente.

As recomendações de investimento são otimizadas para que cada pessoa obtenha a melhor rentabilidade, com o menor risco e o menor custo. Além disso, o modelo de remuneração elimina o conflito de interesse.

E o melhor: tudo isso está à disposição de qualquer pessoa por uma aplicação a partir de R$ 1 mil!

Ao longo deste texto, procuramos deixar mais claro qual é o papel de um consultor de investimentos. Agora que você entende melhor a importância desse profissional, não deixe de contar com um especialista para alcançar seus objetivos financeiros!

Quer receber mais conteúdos como este diretamente em seu e-mail? Então, assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades no mundo dos investimentos!

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

7 perguntas e respostas sobre o consultor de investimentos
5 (100%) 1 vote[s]