Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

O que é e quais são as atividades desenvolvidas por um consultor financeiro?

Você gostaria de gerenciar melhor o seu dinheiro e conquistar seus objetivos? O consultor financeiro é o profissional ideal para isso. Ele é responsável por avaliar e organizar a vida financeira dos clientes, sem conflitos de interesses e respeitando o perfil de cada um.

Neste artigo, vamos entender melhor a atuação do consultor financeiro e saber como ele pode ajudar você a conquistar a tão sonhada liberdade financeira. Acompanhe!

O que é um consultor financeiro?

Para ajudar nessa resposta, vamos recorrer a uma analogia. Imagine que você queira construir uma casa. Para isso, pode contratar um profissional, ou seja, um arquiteto ou um engenheiro.

Antes de começar o projeto, ele vai entender quais são as suas necessidades, o que você está buscando e quais são as suas condições financeiras. Por isso, podemos dizer que ele vai desenvolver uma solução sob medida para o seu caso.

Afinal, essas três variáveis são individuais. As necessidades de uma família de cinco pessoas, com crianças e adolescentes, são diferentes daquelas de alguém que vai morar sozinho. Da mesma forma, saber se a pessoa pretende gastar R$200 mil ou R$1 milhão na nova casa faz toda a diferença.

O mesmo raciocínio vale para a vida financeira como um todo. Qual é a sua realidade hoje? Tem dívidas? De que tipo? Seu dinheiro está sendo gasto da forma mais eficiente possível? É possível encontrar soluções que melhorem seu orçamento?

Metas e perfil de risco

Depois de entender sua economia doméstica, o consultor financeiro vai levar em consideração suas metas para traçar estratégias que ajudem a alcançá-las. Quer fazer uma pós-graduação? Comprar um imóvel? Poupar para a aposentadoria?

Aqui, é preciso observar prazo, valor, sua capacidade de poupar e também sua tolerância ao risco. Isso vai permitir montar uma carteira de investimentos adequada ao seu caso. Assim, podemos dizer que o consultor financeiro é um profissional contratado para colocar sua vida financeira em ordem.

Vale destacar que, embora não seja um psicólogo, é importante que o consultor financeiro entenda a relação do cliente com o dinheiro. Se você tem dificuldade em conter os gastos e nunca “sobra” nada para investir, ele também vai traçar estratégias para mudar esse quadro.

Certificação

Existe uma certificação internacional, chamada CFP (Certified Financial Planner), que prepara o profissional para ser um planejador financeiro pessoal. Para conquistá-la, é preciso:

  • ter nível superior;
  • obter aprovação em um teste de conhecimentos sobre o tema;
  • comprovar experiência profissional no atendimento ao cliente pessoa física por pelo menos três anos.

O CFP é certificado pela Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros). Não tem caráter obrigatório, mas funciona como um “selo de qualidade” importante a ser observado na hora de contratar um profissional.

Por fim, é importante mencionar que, diferentemente do planejador financeiro, o consultor financeiro não pode investir por você. Ele pode entregar o plano pronto, mas não pode, por conta própria, fazer a aplicação e gerenciar sua carteira.

Esse serviço é regulamentado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), de acordo com a Instrução CVM 592. O objetivo é manter a independência do consultor, evitando conflitos de interesse.

Quais são as atividades que esse profissional desenvolve?

Como vimos, o consultor financeiro ajuda indivíduos e empresas a organizarem suas finanças e a se planejarem melhor para conquistar seus objetivos. Veja quais são as principais atribuições desse profissional.

Planejamento financeiro

Este é o primeiro passo: entender a vida financeira do cliente. Para isso, o consultor financeiro o ajudará a levantar de maneira detalhada todas as suas receitas e despesas.

Isso inclui aquelas que muitas vezes deixamos de fora das nossas contas, como os pequenos gastos do dia a dia. Isso permite desenhar o fluxo de caixa e detectar oportunidades de melhoria. O profissional também identifica os hábitos e os padrões de consumo da família para indicar possíveis ajustes.

Gestão de ativos e investimentos

A principal atribuição do consultor financeiro é ajudar o cliente a atingir suas metas, traçando um plano realista e factível para isso. Depois de diagnosticar a situação do cliente e entender seus objetivos, é hora de elaborar uma estratégia de investimentos para alcançá-los.

O consultor financeiro deve considerar imóveis e outros bens para fazer uma recomendação, além de levar em conta o perfil de investidor do cliente.

Gestão de riscos

No universo dos investimentos, risco e retorno costumam andar de mãos dadas. A possibilidade de alcançar rendimentos mais elevados é justamente o que faz com que os aportadores aceitem entrar em investimentos mais arriscados. No entanto, o peso do risco no total da carteira de investimentos tem que ser bem dosado.

Para isso, é preciso levar em conta dois fatores: a capacidade de assumir riscos e a tolerância a eles. O primeiro diz respeito a uma questão mais objetiva. Por exemplo, um pai de família, com filhos em idade escolar e um financiamento imobiliário, tem compromissos financeiros significativos e não pode se arriscar muito.

Já uma jovem de 25 anos, solteira, sem filhos, que mora com os pais que não dependem dela para viver, tem uma situação diferente. Ela não terá tantos problemas se perder um pequeno percentual com a variação das suas aplicações.

O segundo ponto está ligado a um aspecto mais emocional. Algumas pessoas se sentem mal quando veem suas aplicações variarem negativamente e podem tomar decisões precipitadas por isso.

Já outras entendem que isso faz parte do mercado e não se abalam com a situação. O consultor financeiro deve levar em consideração esses dois fatores ao elaborar a carteira de investimentos do cliente.

Planejamento tributário

Por fim, sabemos que a carga tributária no Brasil é alta, mas um bom planejamento tributário pode ajudar você a economizar bastante em impostos. O resultado é um aumento da rentabilidade da sua carteira.

Um exemplo muito comum de planejamento tributário é o uso da previdência privada. Se for bem usada, ela pode ajudar a reduzir o Imposto de Renda. Além disso, é um instrumento para objetivos de longo prazo, como a aposentadoria.

Além dos investimentos, o consultor financeiro deve analisar a declaração de IR do cliente e traçar estratégias para reduzir o pagamento de impostos legalmente.

biblioteca financeira

Quando a contratação desse profissional é indicada?

Qualquer pessoa ou empresa pode contratar um consultor financeiro. Muitas de nossas metas requerem volumes elevados de recursos e um longo tempo de planejamento. Fazer isso por conta própria pode não ser tão eficiente, já que muitas pessoas não conhece todos os investimentos e as possibilidades que existem.

Mais uma vez, um exemplo claro é a aposentadoria. A expectativa de vida do brasileiro é de 78 anos. Se a pessoa se aposentar com 65, precisará de dinheiro para viver mais 13 anos sem trabalhar. É claro que isso é uma média e pode ser mais ou menos tempo, mas o fato é: 13 anos equivale a 156 salários, ou seja, é bastante.

No entanto, um estudo da seguradora Allianz revelou que 90% dos brasileiros não guardam dinheiro para a aposentadoria. O problema é que os valores pagos pela previdência social são baixos e as normas estão cada vez mais restritas. Por isso, ter uma reserva para viver depois de parar de trabalhar é fundamental.

Agora você já sabe o que é um consultor financeiro e como ele pode ajudar você a atingir seus objetivos. Lembre que é essencial que esse profissional tenha larga experiência e boa reputação no mercado. Agora, aproveite para conhecer o Desafio: 52 semanas da Magnetis e organize suas finanças!

Letícia Nonato

Letícia Nonato é analista de SEO na Magnetis. Publicitária, investidora e apaixonada pelo mercado financeiro.

leia mais desse autor