Magnetis Update 2020
dia 21/10 às 18h online e gratuito
X inscreva-se e garanta a sua vaga
Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Contratos futuros: entenda como eles funcionam neste guia!

Os contratos futuros são acordos negociados na bolsa de valores com datas e preços preestabelecidos. Para obter bons rendimentos e diversificar sua carteira, eles podem ser uma ótima alternativa.

Esses contratos são parecidos com as ações, que também são negociadas na bolsa e fazem parte da categoria dos investimentos de renda variável.

Entretanto, alguns detalhes diferenciam os contratos futuros das ações, principalmente em relação a prazos, valores e práticas de negociação. Neste guia, você saberá como os contratos futuros funcionam, quais são as suas vantagens, os tipos de produtos comercializados e muito mais.

Continue a leitura e veja como esses contratos podem trazer lucros vantajosos para sua carteira!

O que é contrato futuro?

O contrato futuro é um acordo para comprar ou vender commodities, moedas e índices a um preço predeterminado. Os contratos futuros são negociados no mercado futuro, uma das várias modalidades de investimento disponíveis na bolsa de valores.

Nos contratos futuros, o valor combinado entre as partes é chamado de preço a termo. Esse preço é influenciado pelo ativo principal, como o milho, por exemplo. Por conta disso, ele é considerado um derivativo.

Em resumo, contratos futuros são derivativos negociados na bolsa, com data e preço futuros preestabelecidos. Logo, a aquisição ou a venda deve ser feita com base no valor estipulado anteriormente, independentemente do valor de mercado na data de vencimento.

Como ele funciona?

O contrato futuro funciona como uma negociação comum, mas com data e valores estabelecidos anteriormente. Isso significa que, se uma pessoa vender um contrato futuro de boi gordo, ela não poderá alterar o preço na data de liquidação. Como o valor já foi combinado antes, mesmo que o preço do boi gordo suba, o montante final não poderá ser modificado.

Os contratos futuros são identificados pelo mês de vencimento. Por exemplo, um contrato futuro de dólar para dezembro expira no dia 31 de dezembro. Eles são indicados por códigos na bolsa de valores e funcionam de maneira similar ao mercado de ações.

Esses contratos também permitem que seja estipulado um preço específico, protegendo vendedores e compradores contra grandes oscilações. Ou seja, contratos futuros podem ser usados como método para reduzir riscos, funcionando como uma estratégia de hedge.

Quais são os benefícios do mercado futuro?

Como vimos, o mercado futuro é onde os contratos futuros são negociados. Ele oferece vários benefícios, como alavancagem, flexibilidade, liquidez, diversificação, entre outros. Vamos falar sobre eles em detalhes.

Alavancagem

Movimentar mais dinheiro do que se tem inicialmente na conta é chamado de alavancagem financeira, ou operar alavancado. No mercado futuro, esse tipo de negociação é comum e fácil de realizar.

É possível, inclusive, operar um contrato de minidólar no valor de R$ 20 mil com aporte inicial de R$ 10 mil. Como você estipula uma data futura e combina o valor com bastante antecedência, poderá lucrar com a oscilação dos preços. Essa é uma das grandes vantagens do mercado futuro, principalmente em relação ao mercado de ações.

Todavia, ter uma margem de garantia para cobrir prejuízos que podem acompanhar os investimentos é imprescindível. Nesses casos, fundos de renda fixa, dinheiro e até ações são usados com esse propósito.

Flexibilidade

Outro fator a ser levado em consideração é a flexibilidade. Apesar de não ser uma característica exclusiva do mercado futuro, é possível investir quando o mercado está em alta ou em baixa.

Na tendência de alta, o momento é propício para comprar, enquanto na tendência de baixa o mais indicado é vender os títulos. Essa flexibilidade permite um bom uso da lei da oferta e demanda.

O mercado de ações funciona como uma previsão do que poderá estar em alta. Em contrapartida, operar contratos futuros é sinônimo de ganhar dinheiro com a queda de preços. É considerado um método diferente de investimento, mas bastante eficaz.

Liquidez

A liquidez também é considerada uma vantagem do mercado futuro. Você pode encerrar sua posição a qualquer momento, até mesmo antes do prazo de liquidação do contrato. Como o volume de dinheiro negociado diariamente é muito alto, não há problema em sair ou entrar a qualquer momento.

Muitas pessoas preferem investimentos com boa liquidez, porque oferecem mais segurança. Como é fácil solicitar o resgate do dinheiro, você pode movimentá-lo facilmente e usá-lo para outras finalidades.

Diversificação

O mercado futuro oferece diversas oportunidades de investimento, principalmente para quem busca diversificação na carteira. Como são muitos ativos negociados diariamente, os riscos são menores e existem mais possibilidades de aumentar os rendimentos.

Inclusive, a diversificação sempre será um ponto positivo, independentemente do mercado escolhido. Ter diferentes opções na carteira, além de abrir um leque de oportunidades, amplia as fontes de rentabilidade.

Por isso, se você quiser economizar dinheiro para o futuro, considere diversificar seus investimentos antes de colocar todo o seu capital nos mesmos ativos.

Tesouro Direto: como investir?

Quais são os tipos de produtos negociados no mercado futuro?

Cada produto negociado no mercado futuro tem suas particularidades em relação a cotação, vencimento, margem de garantia, lote mínimo etc. Agora que você já sabe como o mercado futuro funciona, veja quais são os tipos de produtos negociados.

Commodities

Boi gordo

Como o Brasil é um dos maiores exportadores de carne bovina do mundo, o boi gordo é uma commodity bastante negociada no país. A unidade de referência é a arroba, cuja cotação é de 330 arrobas por contrato (4.950 kg). A sigla usada para representar essa commodity é BGI.

Se um contrato é cotado em R$ 110, por exemplo, significa que o valor é equivalente a R$ 110 × 330, ou seja, R$ 36.300. A cada centavo na cotação do boi gordo, perde-se ou ganha-se R$ 3,30. Como vimos, os contratos futuros são bem alavancados, permitindo boas negociações. 

O vencimento dos contratos de boi gordo é estipulado para o último dia útil do mês.

Milho

O contrato futuro de milho, conhecido também pela sigla CCM, é bastante similar ao do boi gordo. A mudança está nos valores e nas referências da commodity.

O contrato do milho equivale a 450 sacas de 60 kg, ou seja, 27 toneladas do grão. Se o preço da saca for R$ 40, o contrato valerá R$ 40 × 450, o que dá um total de R$ 18.000. O vencimento é no 15º dia útil do mês.

Café

O café segue a mesma regra do milho e do boi gordo, já que as commodities são negociadas no mercado futuro da mesma forma. Então, um contrato de café (ICF) é equivalente a 100 sacas de 60 kg, ou seja, 6 toneladas.

No entanto, o preço de cada unidade é negociada em dólar. Por conta disso, essa commodity tem duas variáveis: a cotação do dólar e a cotação da saca. Considere que o contrato futuro de café custa R$ 50 e o dólar está na casa dos R$ 4,50. O cálculo a ser feito será: 

R$ 50 (preço do contrato) × 100 (número de sacas) × R$ 4,50 (preço do dólar) = R$ 22.500

Os vencimentos dos contratos são nos meses de março, maio, julho, setembro e dezembro.

Vale ressaltar que as negociações de commodities podem ser aceleradas com a tecnologia blockchain. Criando um registro geral dos papéis negociados, é possível dispensar agentes de custódia, que podem ser caros e demorados.

Moedas

Além das commodities, moedas também são negociadas no mercado futuro. São investimentos atraentes para quem busca ganhar dinheiro com a economia norte-americana. Os contratos de dólar e minidólar são boas alternativas para usufruir de oscilações cambiais e para operações de hedge.

Dólar cheio

Para investir em dólar cheio (DOL), o lote mínimo é de cinco contratos, com valor de 50 mil dólares cada. Então, o preço total equivale a 250 mil dólares vezes a cotação do real.

Minidólar

O dólar cheio e o minidólar se diferenciam pelo valor da cotação. Enquanto no dólar cheio o lote mínimo é de cinco contratos, no minidólar (WDO), o lote mínimo é de um contrato. O mesmo acontece com o preço: no minidólar, a cotação é de 10 mil dólares, menor que o valor do dólar cheio.

Isso acontece porque, na prática, os minicontratos de dólar correspondem a 20% do valor de um contrato cheio. Porém, a data de vencimento de ambos é no 1º dia útil de cada mês.

Índices

Os contratos de índices futuros são derivados do Ibovespa e representam pontos de baixa ou alta do mercado. São operados da mesma maneira que os contratos de moeda, com índices cheios (IND) e mini-índices (WIN).

Índice cheio

Nessa modalidade, o lote mínimo é de cinco contratos, com valor de R$ 1 multiplicado por pontos do Ibovespa. Então, se o índice estiver em 60.000 pontos, o lote mínimo será de R$ 60 mil. O vencimento é sempre nos meses pares, na quarta-feira próxima ao dia 15.

Mini-índice

A cotação do minicontrato é de R$ 0,20 por ponto e lote mínimo de um contrato para cada operação. Funcionam do mesmo modo que os contratos cheios, mas com valores mais acessíveis.

S&P 500

O índice que representa as 500 maiores empresas dos Estados Unidos também pode ser negociado no mercado futuro. Cada ponto equivale a 50 dólares, ou seja, cada contrato tem o valor de 50 dólares multiplicado pela pontuação do dia. Se a pontuação for de 3.000, por exemplo, nesse dia o índice valerá 150 dólares.

Há uma explicação para esse preço acima dos valores da Ibovespa. Sua volatilidade é bem inferior ao do índice brasileiro, de modo que a quantidade de pontos que oscilam no S&P 500 é menos acentuada.

Vale ressaltar que existe uma margem de garantia para todos os contratos de índice.

Quais são as diferenças entre mercado futuro e mercado de ações?

O mercado futuro e o mercado de ações são parecidos, mas a diferença reside nos prazos dos contratos e na lucratividade.

As ações são pequenas partes de empresas negociadas na bolsa, enquanto os contratos futuros são produtos. No mercado futuro, a análise fundamentalista não é indicada, por exemplo.

Ao contrário do mercado de ações, no mercado futuro, você estabelece uma data de vencimento com um preço fixo. Isso significa que você opera somente com oscilações do contrato, recebendo os lucros ou pagando a diferença pelas perdas.

Além disso, no mercado de ações, muitos recebem dividendos, o que não acontece no mercado futuro.

Outra diferença fundamental está na quantidade de produtos: no mercado futuro, existem bem menos títulos do que no mercado de ações.

Como vimos, a alavancagem também é uma prática comum no mercado futuro, diferentemente do mercado de ações. Por ser uma negociação arriscada, é melhor que seja feita com contratos futuros, isto é, com data de vencimento preestabelecida.

Entretanto, o mercado futuro e o mercado de ações podem ser complementares. Você pode investir em ambos, já que a diversificação é a chave para obter rendimentos superiores.

Como eles são negociados na bolsa, você pode acessar as principais informações pelo home brokere acompanhar as oscilações diárias dos ativos.

Como comprar contratos do mercado futuro?

Adquirir contratos do mercado futuro é bem simples. Se você já tem o costume de aplicar em ações, verá que o processo é parecido. De maneira resumida, veja o passo a passo para adquirir contratos futuros:

  • abra uma conta em uma corretora que preste um bom suporte e ofereça ajuda de analistas do mercado financeiro;
  • faça uma ampla pesquisa para saber quais produtos podem ser mais vantajosos para você;
  • escolha o tipo de contrato futuro: commodities, moedas ou índices;
  • selecione uma data de vencimento;
  • transfira o montante total para a corretora;
  • acompanhe a evolução das cotações para alcançar resultados satisfatórios.

No começo, pode parecer complicado, mas com um pouco de prática será fácil aplicar no mercado futuro. Inclusive, você pode contar com ajuda de especialistas na área para tirar suas dúvidas sobre esse tipo de operação.

O mercado futuro é uma opção interessante para quem busca diversificação nos investimentos e lucros significativos. No entanto, é necessário conhecer os riscos e os produtos comercializados, bem como as melhores práticas de negociação.

Mecanismos como a alavancagem requerem mais experiência, mas é possível começar aos poucos. Se você não tem prática, vá aplicando com valores baixos. Somente o tempo e muitas tentativas indicarão os melhores caminhos para alcançar seus objetivos.

Contar com a ajuda de quem entende do mercado futuro também é primordial. Procure uma instituição financeira de confiança, que ofereça o suporte adequado. Afinal, para operar contratos futuros, é necessário se dedicar bastante para alcançar lucros vantajosos.

Aplicar em contratos futuros é uma alternativa eficaz para quem busca flexibilidade, liquidez e diversificação nos investimentos. Mas se você ainda tem dúvidas de como aumentar sua rentabilidade, que tal conhecer alguns livros sobre investimentos? Tome decisões acertadas a respeito do rumo que você dá para o seu dinheiro!

análise de investimentos
Luiza Caricati

Luíza Caricati é produtora de conteúdo da Magnetis. Jornalista, tem experiência na área de investimentos, educação e negócios, e lidera nossa estratégia multimídia, traduzindo conteúdos complexos em comunicações didáticas para diversos formatos.

leia mais desse autor