Corretoras com menor taxa de corretagem: veja quais são

por Malena Oliveira | 07/04/2019

Corretoras com menor taxa de corretagem
consultoria de investimento

Se você investe no mercado de ações ou se interessa pelo assunto, já deve ter se questionado sobre as corretoras com menor taxa de corretagem. Afinal, esse é um custo que tem um impacto direto na sua rentabilidade.

Sem tempo para ler o post? Que tal ouvir este conteúdo? Aperte o play ou faça o download a seguir:

Ainda não pesquisou sobre o assunto? Sem problemas! Reunimos neste post tudo o que você precisa saber a respeito da taxa de corretagem e mostramos quanto custa investir nas principais corretoras de valores do Brasil. Vamos começar?

Veja mais: Que tal fazer uma análise completa da sua carteira de investimentos? Clique e peça grátis o seu diagnóstico!

O que é corretagem?

A taxa de corretagem é o valor cobrado por uma corretora de valores para fazer a ponte nas operações de compra e venda de investimentos.

Esses investimentos podem ser tanto de renda fixa (como Tesouro Direto, CDBs, LCIs e LCAs), quanto de renda variável (ações, ETFs, fundos imobiliários e outras aplicações na bolsa de valores).

Saber o valor dessa taxa é importante, pois quanto maior for o custo, maior é o impacto na rentabilidade de um investimento. Por isso, o ideal é buscar as instituições que ofereçam a menor taxa de corretagem.

Algumas corretoras de investimento têm adotado a política de taxa zero nas aplicações. Essa, é claro, é uma estratégia válida para quem quer fazer investimentos de forma mais barata.

No entanto, há alguns custos ocultos. Falamos mais sobre eles em outro post aqui no blog, sobre o que está por trás da taxa zero nas corretoras.

Antes de prosseguirmos, vamos recapitular qual é o papel de uma corretora de valores e por que você precisa abrir conta em uma dessas instituições para começar a investir.

Corretora de valores: o que é? Para que serve?

Uma corretora de valores é uma instituição financeira que faz a ponte entre:

  • pessoas ou empresas que querem investir;
  • bancos, fundos de investimento e a própria bolsa de valores, que oferecem diversos tipos de investimento.

Uma pessoa não consegue fazer sozinha uma operação na bolsa de valores ou no mercado de renda fixa. Isso acontece por conta da complexidade das transações e pela regulação do mercado.

Aliás, uma corretora só pode funcionar com a autorização do Banco Central e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Inclusive, a CVM é o órgão responsável por fiscalizá-las.

Assim, quem quiser negociar no mercado financeiro precisa usar um sistema intermediário, que execute seus pedidos de compra e venda e verifique se as transações foram concluídas com sucesso.

Esse sistema de negociação é a plataforma da corretora. É ela quem faz o meio de campo entre quem quer comprar e vender os mais diversos tipos de investimentos.

As corretoras também distribuem produtos financeiros de bancos e gestores de fundos, o que geralmente diminui o valor mínimo exigido para essas aplicações.

O diferencial, nesse caso, está em quais são esses produtos financeiros e qual é o valor mínimo para a aplicação em cada um deles.

As corretoras de ações oferecem um ambiente de negociação chamado de home brokeronde as ordens precisam ser executadas mais rápido.

Assim, em uma metáfora, a corretora é como um supermercado, onde os clientes encontram várias opções de aplicações de diferentes emissores e podem escolher quais oferecem mais vantagens.

Portanto, para começar a investir é necessário abrir uma conta em uma corretora (em outro post aqui no blog, mostramos como abrir uma conta na Easynvest, corretora parceira da Magnetis).

As funcionalidades que cada corretora têm em sua plataforma dependem da taxa cobrada. Quanto essa taxa é zero, obviamente é o serviço mais básico que está sendo oferecido.

O que analisar ao escolher uma corretora de valores

Quem está buscando uma corretora de valores para fazer suas aplicações deve prestar atenção em quais produtos são oferecidos.

Algumas corretoras de investimento podem ter mais opções do que outras e isso é bem relevante do ponto de vista da diversificação dos seus investimentos (explicamos o que é diversificação no link anterior).

Outro fator que deve ser considerado é a estrutura de atendimento da corretora:

  • a instituição é confiável?
  • a plataforma está atualizada?
  • o atendimento é ágil?
  • suas dúvidas são respondidas de modo satisfatório?

Principalmente para quem investe em renda variável, o tempo que uma transação leva para ser concluída é fundamental. Alguns segundos de diferença podem significar o sucesso ou o fracasso da estratégia.​

Além disso, ter acesso a uma boa plataforma de investimentos permite que você acompanhe suas aplicações de forma transparente, sabendo onde o seu dinheiro está aplicado e o quanto ele está rendendo.

Muitas pessoas acabam não prestando atenção a esses detalhes e optam por corretoras mais famosas, independente das taxas que elas cobram.

Porém, o mais importante é entender qual corretora oferece o melhor serviço que você precisa pelo menor custo.

E por falar em custo, chegou a hora de saber o quanto cada corretora cobra por seus serviços.

Veja mais: Já conhece o canal da Magnetis no YouTube? Inscreva-se e aprenda uma nova forma de investir o seu dinheiro!

Quais são as taxas cobradas pelas corretoras de ações?

As taxas que as corretoras cobram costumam variar bastante conforme o tipo de serviço oferecido e as funcionalidades de cada plataforma.

Quando o assunto é investir em renda variável, por exemplo, algumas optam por isentar os clientes de certas cobranças, enquanto outras têm taxas mais altas. Vamos ver mais detalhes a seguir.

Taxa de corretagem

É a taxa cobrada pelo serviço de intermediação das transações de compra e venda de aplicações financeiras.

consultoria de investimento

O valor da taxa de corretagem varia de acordo com o tipo de operação solicitada pelo cliente. Cada tipo de mercado em que se negocia tem um custo diferente. Esses mercados são:

  • mercado à vista: é onde as ações das empresas são negociadas;
  • mercado fracionário: voltado para negociar frações de ações;
  • mercado futuro: onde se negocia aplicações com data de vencimento determinada;
  • mercado de derivativos: voltado para negociações mais sofisticadas.

Existem duas modalidades de operações no mercado e, como elas exigem infraestrutura diferente, o preço da corretagem varia:

  • operação normal ou swing trade: compra e venda de um investimento em dias diferentes;
  • day trade: compra e venda (ou vice-versa) no mesmo dia.

Para quem investe altos valores em renda variável, o ideal é escolher uma corretora que cobre uma taxa fixa de corretagem, já que esse custo pode ser diluído no lucro das operações.

Um exemplo: para uma corretora que cobra taxa fixa de R$ 10 por operação, não fará diferença se o investidor comprar 100 ações ou 1 mil. O valor da corretagem sempre será o mesmo. Ou seja, o tamanho do lote não faz diferença. O que é considerado é o número de ordens.

Já para quem investe com pouco dinheiro, o ideal é escolher a corretora que ofereça o menor custo benefício. Depois, à medida que o patrimônio for crescendo, será possível optar por outros tipos de serviço.

Tabela Bovespa

Trata-se da taxa de corretagem cobrada para quem investe via mesa de operações. Esse é um tipo de serviço em que a pessoa entra em contato com a corretora e pede para um operador executar suas ordens de compra e venda.

Como envolve o trabalho de um atendente, esse serviço é geralmente mais caro. No link a seguir, você vê os preços sugeridos da Tabela Bovespa.

Taxa de custódia

A taxa de custódia é um valor cobrado para registrar e guardar os investimentos no CPF de uma pessoa, sejam eles títulos ou ações. Ela pode variar de uma corretora para outra, e em alguns casos, há isenção.

ISS (Imposto sobre Serviços)

A corretagem é um tipo de serviço. Portanto, ela está sujeita a impostos regionais sobre essa função.

Em São Paulo, por exemplo, há o ISS (Imposto Sobre Serviços). Essa é uma tarifa municipal cobrada sobre o valor taxa de corretagem, podendo custar até 5% dela.

Vale lembrar que, se a corretagem for zero, não há incidência do imposto.

Emolumentos

Essas taxas são cobradas pela B3, a bolsa de valores brasileira, e pela CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia) para processar as transações no mercado financeiro. Referem-se à negociação e ao processamento das ordens de compra e venda (a chamada liquidação).

Imposto de Renda

Todas as pessoas que fazem investimentos precisam declarar o Imposto de Renda.

No caso de quem aplica em renda fixa e fundos de investimento, esse imposto é recolhido automaticamente.

Porém, quem investe em ações ou outros ativos de renda variável, precisa recolher manualmente esse imposto todo mês. Para isso, é necessário preencher uma guia de arrecadação chamada DARF (já mostramos aqui no blog o passo a passo para emitir uma DARF).

Vale lembrar que as operações com ações são isentas de Imposto de Renda quando o volume total de vendas ficar abaixo de R$ 20 mil por mês.

Quais são as corretoras de ações com menor taxa de corretagem?

Diante de tantos detalhes sobre corretagem, você deve estar se perguntando qual corretora escolher. Esta é uma decisão que exige um pouco mais de reflexão, pois nem sempre os serviços são comparáveis.

Por isso, é importante que você pesquise bem não apenas o valor das taxas, mas outras comodidades oferecidas (tipos de investimentos disponíveis na corretoras, funcionalidades do aplicativo, ferramentas para ajudar nas transações e assim por diante).

Para facilitar a sua busca, reunimos aqui os valores cobrados pelas principais corretoras de investimento do Brasil. Confira!

CorretoraTaxa de corretagemTaxa de custódia
AtivaR$ 15 por ordem para ações operação normal – swing trade   R$ 10 para day trade R$ 8 para opções R$ 9,80 (Isenta se foram realizadas pelo menos duas operações de compra ou venda no mês)
Banco InterNão cobraNão cobra
ClearNão cobraNão cobra
ConcórdiaCusto fixo a partir de R$ 2,49 + porcentual entre 0,5% e 2% sobre o valor da operaçãoA partir de R$ 8,40
EasynvestR$ 10Não cobra
Geração FuturoR$ 17R$ 11 fixo + taxa variável
GuideR$ 14R$ 16,90
ModalmaisR$ 2,49Não cobra
Nova FuturaR$ 6,98 por ordem para ações operação normal –swing trade   R$ 3,49 para day trade e opçõesA partir de R$ 10
RicoR$ 10 para ações operação normal – swing trade   R$ 7,50 para day trade e opçõesNão cobra
Socopaa partir de R$ 2,10 R$ 10 (Isenta caso haja pelo menos uma operações de compra ou venda no mês)
Toro InvestimentosEstratégia ganha-ganha: 10% sobre o lucroEstratégia tradicional: R$ 15,90 para ações – operação normal ou swing trade   R$ 8,90 para day tradeNão cobra
XP InvestimentosR$ 18,90 para ações operação normal – swing trade (sem assessor)   entre R$ 8 e R$ 12 para operações day trade e opções (sem assessor)3,9% sobre o valor da taxa de corretagem

Fonte: Sites das corretoras

Preste atenção! Mesmo quando a corretagem é zero, há a cobrança de emolumentos e impostos sobre as operações!

Quanto custa investir no banco?

Outro detalhe que passa despercebido para muitas pessoas é a diferença entre investir no banco e investir em uma corretora.

Na tabela a seguir, você vê o quanto custa fazer aplicações usando as plataformas dos cinco maiores bancos do país.

InstituiçãoTaxa de corretagemTaxa de custódia
Itaú CorretoraR$ 10 + 0,3% por ordem para operação normal   R$ 8 + 0,2% por ordem para day trade (taxa zero para Tesouro Direto e debêntures) R$ 15,80 por mês para operações pelo home broker   R$ 21,60 por mês para ordens via mesa de operações
Bradesco Corretora0,20% sobre operações de até R$ 100 mil   0,10% sobre operações acima de R$ 100 mil(corretagem mínima de R$ 10 por dia)R$ 14,99 por mês
Santander CorretoraR$ 10 + 0,25% por ordem via home broker   Para mesa de operações, há custo fixo a partir de R$ 2,70 ou porcentual entre 0,5% e 2% sobre o valor da operaçãoA partir de R$ 8,88 por mês
BB BIR$ 20 por ordem (operação até R$ 100 mil) ou 0,02% sobre o valor negociado via home broker   Para mesa de operações, há custo fixo a partir de R$ 2,70 ou porcentual entre 0,5% e 2% sobre o valor da operaçãoR$ 15 por mês
CaixaR$ 0,75 ou percentual entre 0,10% e 0,25% por valor operado no dia pelo home brokerNão cobra

Como abrir uma conta em uma corretora?

Abrir uma conta em uma corretora é um processo bem simples. Primeiro, você deve acessar o site da instituição de sua escolha e fazer um cadastro, que geralmente é online.

Para isso, você deve preencher um formulário e enviar cópias de seus documentos de identificação para o sistema da corretora.

Após analisar suas informações, a instituição entrará em contato com você por e-mail ou pelo telefone e confirmará o seu cadastro. Pronto, a sua conta está aberta!

A partir da ativação você já poderá realizar as transações. Para isso, basta fazer uma transferência bancária para a sua conta na corretora e começar a investir.

Note que a conta na corretora é aberta em seu nome, o que permite que os investimentos feitos sejam registrados em seu CPF. Isso traz bastante segurança, pois se a corretora fechar, as aplicações continuam registrados em seu nome.

Preste atenção ao seu perfil!

Avaliar as taxas cobradas pelas corretoras é um ponto muito relevante na sua decisão de investimento.

Dependendo do seu perfil de investidor e do que você pretende alcançar com seus investimentos, as condições que uma corretora oferece podem ser mais atraentes do que as outras.

Porém, o custo não é o único item a ser avaliado. Não faz sentido, por exemplo, dar preferência a uma corretora que oferece taxa zero para ações se você não pretende investir em renda variável.

Como você viu, dá bastante trabalho escolher as corretoras com a menor taxa de corretagem. Mas uma forma de resolver esse dilema é contar com uma consultoria de investimentos. Quer saber como funciona? Baixe grátis o nosso ebook Consultoria de Investimentos: Guia Completo sobre esse Serviço e tire suas dúvidas!

(Post originalmente publicado em dezembro de 2017)

Corretoras com menor taxa de corretagem: veja quais são
4.4 (87.44%) 43 vote[s]