Desenvolvimento de pessoas: como tornar seus colaboradores mais prósperos?

por Juliana Volpe | 31/01/2019

desenvolvimento de pessoas

O desenvolvimento de pessoas deve ser uma estratégia permanente nos setores de Recursos Humanos de empresas que querem se destacar no mercado. Como você bem sabe, um negócio não existe por si só. Na verdade, ele faz parte de um sistema aberto, em que há bastante interação entre o meio interno e o externo.

Assim, os colaboradores exercem grande influência sobre os resultados da organização. Por esse motivo, os gestores devem estar atentos às opiniões e às expectativas de quem faz parte da equipe de trabalho. A propósito, desenvolver uma mentalidade de prosperidade nos colaboradores é uma maneira de a empresa fazer com que eles cresçam junto ao empreendimento.

Continue a leitura deste artigo e confira algumas dicas para fazer com que os colaboradores da organização se tornem mais prósperos!

Incentivar as pessoas a fazerem aquilo que gostam

Se o profissional não tem afinidade com as tarefas que realiza no dia a dia do trabalho, a tendência é de que ele aja sem tanta preocupação com o resultado final. Quando isso ocorre, é provável que o indivíduo se preocupe mais em receber o salário no fim do mês do que com a qualidade das atividades diárias.

Conforme a situação vivida pelo colaborador, pode ocorrer de ele expressar o fenômeno do presenteísmo, quando uma pessoa bate o ponto no emprego mas está mentalmente distante do trabalho.

Como superar esse desafio? Na verdade, RH, gestor da área e colaborador devem manter um diálogo aberto sobre o desempenho nas tarefas. De um lado, a organização deve oferecer a oportunidade de os colaboradores trabalharem com o que gostam, e de outro, os próprios colaboradores precisam expor como se sentem em relação às funções que exercem.

Além disso, o setor de Recursos Humanos deve ressaltar na empresa o fato de que quem trabalha com o que tem afinidade tende a alcançar uma performance melhor, aumentando as chances de crescer na carreira e prosperar na vida financeira.

Desenvolver a sensação de cumprir um propósito com o trabalho

Não se pode negar, é claro, que na rotina de determinado cargo existem tarefas que os colaboradores podem não gostar de fazer. Afinal, em um mercado cada vez mais competitivo, nem sempre a organização consegue alocar todos os colaboradores em funções com as quais tenham afinidade.

Como contornar esse empecilho, então? No processo de desenvolvimento de pessoas, uma alternativa é ressaltar a necessidade de se ter propósito nos trabalhos realizados.

Nesse sentido, o colaborador deve enxergar algum sentido nas funções executadas. Essa visão pode estar relacionada tanto a algum benefício para o cliente final da empresa quanto para a vida particular do colaborador.

A organização pode utilizar a prática do storytelling, por exemplo, para contar histórias de consumidores e até mesmo de outros colaboradores, de modo a estimular a sensação de um propósito superior no trabalho.

Investir na capacitação profissional

Mais uma iniciativa de grande importância para o processo de desenvolvimento de pessoas é a capacitação profissional. A vantagem dessa ação é que ela gera benefícios tanto para a prosperidade do colaborador quanto para o desempenho do negócio.

Ao se aperfeiçoar, o trabalhador torna-se mais apto a realizar as tarefas do cotidiano, além de adquirir novas competências. Com isso, ele passa a ser especialista na área de atuação, o que aumenta as chances de crescer na carreira, por exemplo, por meio de uma promoção.

Já para a empresa, a capacitação profissional pode ser vista como um investimento na melhoria do capital intelectual do negócio, gerando vantagens competitivas. Com um quadro de colaboradores mais qualificado, a empresa eleva o valor agregado dos produtos ou serviços.

Promover uma visão empreendedora

Já há algum tempo o empreendedorismo deixou de ser visto apenas como a capacidade de quem monta o próprio negócio. Na verdade, atualmente é bastante difundida a ideia do empreendedorismo interno, pela qual o colaborador passa a enxergar a empresa como se fosse dono dela.

Do ponto de vista do colaborador, tal ideia está associada à noção de autonomia para dar opiniões e agir por conta própria. Assim, a pessoa não precisa receber a ordem de um superior para realizar determinada tarefa essencial para o bom andamento da empresa. Logo, a proatividade é um dos sinais do empreendedorismo interno.

Ao passarem a agir como proprietários, os colaboradores consequentemente tendem a pensar em questões como qualidade, redução de custos, tempo de produção etc. Afinal, eles desenvolvem a consciência de que se o negócio for bem, eles também serão beneficiados.

Estimular o planejamento financeiro

No processo de desenvolvimento de pessoas, muitas organizações ainda acreditam que o planejamento financeiro é algo que tem a ver somente com a vida particular do colaborador. No entanto, na prática não é bem assim.

Se o colaborador vive problemas relacionados ao dinheiro, inevitavelmente ele não consegue separar esse aspecto pessoal da rotina profissional. Dessa forma, o estresse financeiro pode ser responsável por uma queda considerável no desempenho do colaborador, o que afeta os resultados da empresa já no curto prazo.

Uma iniciativa de educação financeira na organização contribui para o desenvolvimento de pessoas de forma significativa. Para se tornarem prósperos, os colaboradores precisam aprender a gerenciar o próprio dinheiro, além de se conscientizar da importância de se criar uma reserva de emergência e de investir para o futuro.

Nesse sentido, a mudança de mindset (configuração da mente) no que diz respeito às finanças é um fator fundamental para o sucesso da estratégia de educação financeira empresarial. Quando perceberem que a prosperidade está ligada, em grande medida, à forma como o indivíduo faz a gestão do orçamento, os colaboradores passarão a se dedicar mais a esse assunto.

Sob a ótica da empresa, o êxito dos colaboradores na vida financeira contribui para um clima organizacional mais saudável, com menos conflitos. Afinal, sem o estresse financeiro, as pessoas tendem a levar menos problemas de casa para o trabalho, além de conseguirem se manter mais focadas nas tarefas desenvolvidas.

Agora você já sabe como pode atuar para promover o aumento da prosperidade dos colaboradores, por meio de iniciativas que o setor de RH tem condições de realizar na organização.

Quer aprender mais sobre como um benefício de bem-estar financeiro contribui para a melhoria do desempenho do negócio? Então baixe gratuitamente o e-book Estresse Financeiro: como ele pode prejudicar o ambiente corporativo e fique por dentro do assunto!

Juliana Volpe é Gerente de Negócios na Magnetis.

Desenvolvimento de pessoas: como tornar seus colaboradores mais prósperos?
5 (100%) 4 vote[s]