Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

7 dicas de economia que você deve colocar em prática agora mesmo!

As suas metas financeiras podem ser: realizar um investimento seguro, economizar dinheiro para pagar a faculdade dos seus filhos, entre outras. Uma coisa é certa: não importa o objetivo, você precisará de dinheiro para concretizá-lo. Mas como conseguir esse recurso? Por meio de dicas de economia que são simples, mas muito valiosas.

Neste artigo, elencaremos algumas que podem ser praticadas imediatamente. Desse modo, você dará o primeiro passo rumo à conquista de suas metas financeiras. Avance para os próximos tópicos!

Quais dicas de economia farão a diferença para você?

O planejamento financeiro é essencial para evitar despesas desnecessárias, reduzir os gastos do orçamento mensal e direcionar recursos para o que é realmente importante para você. Porém, existem estratégias práticas que facilitam esse planejamento.

1. Acompanhe os seus gastos

Acompanhar gastos é uma tarefa básica e essencial, mas que pode passar despercebida. Afinal, é cômodo deixar as contas virem e irem sem ao menos entender o quanto pesaram no orçamento. Por que isso é perigoso? No geral, esse comportamento leva a gastos cada vez maiores e muitas dívidas “batendo na porta” todo o mês.

Além disso, não há como reservar recursos para projetos importantes se o seu salário é consumido por despesas descontroladas. Para evitar esse cenário financeiro, comece agora mesmo a acompanhar os gastos mensais. Um meio de fazer isso é lançando as despesas em planilhas, caderno ou um aplicativo.

Esse hábito ajudará na visualização da situação financeira. Talvez, você se surpreenda com os números apresentados. Porém, esse “choque de realidade” costuma induzir a uma ação: o controle eficiente dos gastos.

2. Tenha cautela ao utilizar o cartão de crédito

O cartão de crédito deve atuar como um aliado para momentos específicos e não como um amigo inseparável. É verdade que esse recurso é muito prático para o dia a dia, em especial no fim do mês, quando o dinheiro acaba, mas os gastos não.

Porém, com um bom planejamento financeiro, a necessidade de usar o cartão de crédito tende a diminuir, uma vez que as despesas estarão de acordo com o orçamento mensal. Nesse caso, esse recurso ficará para circunstâncias bem planejadas, como em situações de emergência quando não há outra forma de realizar o pagamento.

Vale lembrar que o cartão de crédito dá uma falsa sensação de dinheiro no bolso. Muitos foram “embalados por esse sonho” e acabaram com dívidas cheias de juros altos e taxas com os mais diversos nomes — algo que dá arrepios só de pensar.

3. Pague as contas em dia

Dizem que as contas são os visitantes mais frequentes que recebemos em nossa casa. Caso você não dê atenção a esses visitantes, ou seja, não pague as contas em dia, a situação financeira pode ficar bem difícil.

Deixar essas despesas se acumularem, significa que parte do seu orçamento será gasto com juros e multas. Sem falar da possibilidade de ter de quitar várias contas ao mesmo tempo, comprometendo a reserva financeira.

A melhor estratégia é se programar para quitar essas despesas dentro do vencimento. Não é difícil fazer isso porque as contas recorrentes (luz, água, telefone, internet etc.) geralmente têm valores similares todo mês.

4. Peça descontos

A internet facilita muito a busca por melhores preços de produtos e serviços. É claro que o ideal é fazer negócio com empresas que cobrem menos por uma venda, mas essa não é a única estratégia.

Outra tática é pedir descontos para empresas que tenham produtos ou serviços de qualidade — talvez mostrando a comparação de valores de outras marcas. Essa prática é inteligente por, pelo menos, dois motivos.

O primeiro e mais óbvio é a economia de dinheiro. Já o segundo é a aquisição de produtos ou serviços com um bom custo-benefício. No caso dos produtos, a vida útil será maior, evitando a necessidade de uma substituição em curto prazo.

5. Tenha uma reserva financeira

A reserva financeira faz parte do planejamento financeiro e de uma eficiente gestão econômica. Ao passo que você corta despesas e muda hábitos de consumo, talvez perceba que um determinado valor está sobrando ao fim de cada mês. Seria essa quantia a ser guardada? Não necessariamente.

Caso o valor dependa do que sobra no orçamento mensal, existe o risco de não ser priorizado, insuficiente para a realização de projetos ou até não ser direcionado para a reserva. O melhor a fazer é definir uma quantia e, logo no início do mês, já colocá-la à parte em uma conta corrente ou poupança.

reserva de emergência

6. Tenha hábitos de consumo conscientes

Embora estejamos na era do consumismo, é importante “tomar as rédeas” dos nossos hábitos de consumo. O segredo para esse autodomínio é bem conhecido: compre apenas o que é necessário e nunca por impulso.

Podemos dizer que compras desprogramadas ou feitas por mero desejo pessoal são a receita para o endividamento. Por isso, se quiser fazer um agrado para você ou alguém especial, tenha certeza de que não porá em risco o seu planejamento financeiro.

7. Defina um valor para investir

A realização de investimentos pode gerar rentabilidade para o seu patrimônio pessoal. Por isso, a dica é definir um valor mensal para investir em fundos, ações ou títulos. É importante ressaltar que essa estratégia deve ser feita com muito estudo e cautela para não correr riscos e realizar investimentos seguros.

Algo que pode ajudar na realização de bons investimentos é o uso de aplicativos que gerenciam aplicações de forma personalizada. Dessa forma, você opta por um ativo compatível com o seu perfil investidor e acompanha a rentabilidade. Sem analisar relatórios complexos ou ser um especialista em home brocker (sistema de conecta usuários aos pregões do mercado financeiro).

Com o tempo, é possível diversificar ainda mais os tipos de investimentos. Caso você queira ter resultados financeiros expressivos em um investimento, a dica é contar com a ajuda de profissionais da área de investimentos.

Esse suporte personalizado apontará os melhores caminhos no mercado financeiro, reduzindo riscos e aumento as chances de sucesso. Dessa forma, você já pode começar a investir com tranquilidade. Gostou das dicas de economia? Achou práticas e fáceis de seguir no dia a dia? Então, confira 4 motivos para você sair da poupança agora mesmo!