Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Como promover a educação financeira para seus colaboradores?

O descontrole financeiro é mais comum do que imaginamos. Mais de 60 milhões de brasileiros estão com o nome sujo, o que corresponde a quase 40% da população brasileira. Esse é um problema que também afeta as empresas, já que pessoas endividadas tendem a ter rendimento até 15% mais baixo do que seus pares. Mas por que a sua empresa deveria se preocupar com a educação financeira dos colaboradores?

Porque, diferentemente do que se pensava há até pouco tempo, não é possível deixar todos os problemas pessoais do lado de fora quando estamos no trabalho. Eles estão conosco o tempo todo. Não é à toa que as companhias vêm investindo tanto em programas de bem-estar para os colaboradores. Assim como ocorre com a mente e o corpo, também é preciso cuidar da nossa saúde financeira dos seus profissionais.

Pensando nisso, elaboramos este artigo para dar ideias de como levar a educação financeira para colaboradores da sua empresa. Confira!

Por que investir em educação financeira para a equipe?

Você sabia que 73% das empresas acreditam que a saúde financeira dos seus colaboradores pode ter impacto nas principais métricas do negócio, especialmente na produtividade? Os dados são de uma pesquisa da empresa de tecnologia de pagamentos ADP. É certo que pessoas endividadas ficam estressadas e gastam muito tempo procurando formas de lidar com a situação.

Por si só, o estresse já reduz a produtividade. Ele deixa as pessoas mais desatentas, com maior dificuldade de concentração, além de ser responsável pelo surgimento de diversas doenças psicológicas, como depressão e ansiedade

Estas, por sua vez, não impactam apenas a produtividade, mas também podem ser responsáveis pelo afastamento do colaborador, ou até mesmo à sua demissão. Por isso, pensar no bem-estar financeiro da equipe também é uma medida para diminuir o turnover da sua empresa.

O endividamento em excesso também faz com que a pessoa gaste tempo pensando em como resolver o problema. São ligações de cobrança e negociações com credores que tomam a atenção que ele poderia estar dedicando ao trabalho.

Não é raro ainda que o profissional busque uma segunda fonte de renda para conseguir pagar as dívidas. Isso pode fazer com que ele chegue à empresa cansado e sem a energia necessária para render o esperado. 

Mas saiba que há uma forma simples de começar a investigar se a sua equipe está com problemas financeiros. Basta verificar o número de pedidos de adiantamento do 13º salário, de venda das férias e de pedidos de empréstimo consignado, por exemplo. Ou você pode contratar uma parceira para fazer esse diagnóstico financeiro dos seus colaboradores.

Ofereça o benefício que realmente importa para seus colaboradores

Como levar a educação financeira para os colaboradores?

Assim como mudar os hábitos alimentares ou começar a fazer exercícios, é preciso saber que mudar a vida financeira é um processo e leva tempo. Por isso, apenas uma palestra na empresa sobre educação financeira não vai resolver. Essa pode ser uma ótima iniciativa, mas ela deve fazer parte de um programa mais amplo, que acompanhe de perto a evolução do colaborador.

Por isso, o ideal é estabelecer um programa de longo prazo, tanto de educação financeira quanto de consultoria individualizada. A educação financeira pode se dar por meio de cursos e treinamentos que ensinam a organizar o orçamento doméstico e a investir.

É importante que esses cursos sejam personalizados. Afinal, os problemas que envolvem alguém que precisa sair das dívidas é diferente daqueles que estão planejando um futuro mais tranquilo.

Mas aqui entra a dificuldade: a maioria das pessoas não gosta de falar das suas finanças em público, muito menos se estiverem endividadas. Então como garantir a adesão dos colaboradores? Simples: para que ninguém fique constrangido, é importante garantir que todos os dados são confidenciais, inclusive para a própria empresa.

Uma maneira de fazer isso é contratar uma consultoria terceirizada, com a qual ele pode entrar em contato fora da empresa, por telefone ou presencialmente. A empresa pode, inclusive, oferecer isso como um dos benefícios flexíveis que disponibiliza aos seus colaboradores.

Agora você já sabe qual a importância da educação financeira para colaboradores, você tem condições de começar a estruturar um processo na sua empresa. Os resultados não vão demorar para aparecer! Se você gostou deste conteúdo, aproveite para se inscrever na nossa newsletter e receber mais novidades diretamente no seu e-mail!

Julia Ayres

Julia é jornalista por formação, mas apaixonada por marketing digital, performance e educação financeira. Atualmente, lidera as estratégias de marketing para a área de empresas da Magnetis

leia mais desse autor