Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Employer branding: o que é marca empregadora e quais são seus pilares

Mesmo que nunca tenha ouvido falar em employer branding, você sabe que contar com uma equipe capacitadaé o sonho de qualquer empresa, certo? Porém, isso não acontece em um passe de mágica. Além de talentos que foram retidos e desenvolvidos dentro da companhia, é preciso pensar naqueles que ainda vão chegar para ajudá-la a crescer.

Formar um time de alto desempenho, então, depende de uma boa estratégia. É nesse momento que entra em cena um conceito atual e muito importante: o employer branding. Nele, é como se houvesse um encontro eficiente e direcionado entre o setor de Recursos Humanos e a área de Marketing.

Quer entender como? Continue a leitura deste artigo para descobrir realmente o que esse termo significa e quais são seus principais pilares!

O que é employer branding?

O processo de recrutamento e seleção de pessoas é bastante desafiador. Ele tem diversas etapas, que precisam ser adaptadas de acordo com a vaga em questão. E é ainda mais complexo quando se trata de encontrar profissionais considerados como acima da média.

Por esse motivo, o employer branding se faz tão necessário e tem crescido muito especialmente em startups e scale-ups. Em uma explicação objetiva, trata-se de construir uma marca empregadora através de um conjunto de estratégias que mostrem para o mercado os valores e diferenciais da empresa para seus colaboradores. Dessa maneira, ela vai atrair candidatos estratégicos, proativos e inovadores. 

A partir disso, a empresa consegue economizar dinheiro e tempo nos trâmites de contratação, além de elevar seus indicadores de desempenho. Ou seja, ela garante uma equipe de alto nível e ainda agrega vantagens para outros processos, redirecionando investimentos e recursos para pontos de mais necessidade.

Quais são seus principais pilares?

O employer branding é pautado em alguns pilares importantes e valiosos. Conheça-os a seguir.

Análise de dados

Toda estratégia de marca depende de métricas e KPIs. Portanto, é fundamental estabelecer prioridades e escolher quais áreas serão monitoradas em busca de melhorias. Somente assim será possível averiguar resultados significativos.

Transparência

Uma marca realmente poderosa passa mensagens para o consumidor com verdade e autenticidade. Isso significa que ela se utiliza de informações e dados reais para construir sua comunicação. Daí a importância de entender seus pontos fortes e fracos e o embasamento de sua cultura organizacional para uma comunicação transparente e honesta.

Engajamento

Uma boa estratégia de marca depende, e muito, da participação dos colaboradores. Afinal, eles são a parte mais importante da empresa. Fazer pesquisas eventuais, colher depoimentos e avaliar sugestões e reclamações é um passo importante para estimular o engajamento interno. O reflexo disso poderá ser percebido no boca a boca e nas redes sociais, por exemplo. E, claro, na indicação e e surgimento de novos talentos interessados e alinhados com a proposta da empresa.

Comunicação visual

A comunicação visual é também uma questão indispensável para a marca. Se todos os dias somos bombardeados com informações diversas, nada melhor do que se destacar em meio a essa multidão. Os candidatos precisam ver a equipe da qual farão parte e devem entender, de maneira didática e explícita, a cultura e o ambiente da organização. Sendo assim, invista em imagens que transmitam valores e não apenas corporativismo.

Multicanal

Uma estratégia de employer branding precisa ser múltipla para encontrar os melhores talentos e garantir que eles se encantem pela empresa. Por isso, pensar em como transmitir essa proposta de valor nas redes sociais, feiras de contratação, parcerias com universidades, conteúdo e até criar seus próprios eventos de conexão com o mercado são fundamentais para o sucesso da empreitada.

Inspire-se com alguns exemplos de ações de employer branding

Na prática, vale prestar atenção nesses casos muito bem executados desse conceito. Veja só como eles são diferentes, mas igualmente eficientes.

Google

Trabalhar na Google é o sonho de muita gente. Não somente devido à dimensão que a empresa tomou atualmente. Mas porque todo mundo já ouviu falar das vantagens que os colaboradores têm, assim como de seu incrível espaço de trabalho. O buzz é tão grande que a gigante das buscas recebe mais de 3 milhões de currículos anualmente e é referência quando se fala em workplace e em estratégias inovadoras.

O objetivo da companhia é criar uma empresa para a qual as pessoas querem trabalhar e mostrar que os colaboradores fazem coisas legais, que importam. Oferecer benefícios e mostrá-los é essencial. Sendo assim, faça como a Google! Use seu site e suas redes sociais para mostrar como é o trabalho e o dia a dia de seus colaboradores.

Microsoft

A Microsoft já recebeu prêmios por ser a melhor empresa para se trabalhar. As vantagens? Excelentes salários, benefícios e a liberdade de trabalhar em qualquer horário, de onde quiser. Mas o que eles mais frisam nas estratégias de EB é a possibilidade de os colaboradores serem empreendedores e criarem projetos internos que fazem a diferença na vida de milhares de pessoas ao redor do mundo.

Outro ponto importante da sua estratégia é a indicação de funcionários. Eles são um ponto central nos esforços, mas, em contrapartida, a diversidade é um dos principais KPIs avaliados pela equipe de Employer Branding.

A lição que se tira é que interagir, misturar e trocar experiências é uma forma de se aproximar: não apenas dos colegas, mas também da construção da marca.

Starbucks

A Starbucks investe na proposta de que trabalhar ali é ter a oportunidade de ser mais do que um colaborador. Nas redes sociais, eles não somente mostram a importância de sua equipe, mas aproveitam para interagir com futuros candidatos e mostrar todos os benefícios que fazer parte do time Starbucks oferece.

Seu principal objetivo é estimular o orgulho pela marca. Por isso, inspire-se nela para encontrar o que motiva as pessoas que trabalham com você e o que elas procuravam em empregos até chegarem ali.

Nubank

Há bastante tempo diz-se que um dos grandes desafios das empresas de tecnologia é encontrar profissionais qualificados. E com o Nubank não é diferente.

Para tentar diminuir esse obstáculo, a fintech criou diversas estratégias. Por exemplo: espaço reservado no blog e Youtube para mostrar o dia a dia da empresa, como é trabalhar em algumas funções e dar destaque para valores da empresa como diversidade e empreendedorismo.

Recentemente, a empresa também criou um evento específico para ensinar mulheres a programarem e assim já encontrar talentos que tivessem um fit cultural.

Outra ação de Employer Branding muito utilizada pelo Nubank é um onboarding diferenciado, em que se tem uma imersão desde o primeiro dia na cultura e nos times da empresa. Tudo para que o encantamento externo reflita também dentro da empresa.

Como colocar o employer branding em prática na empresa?

As ações de employer branding começam com um princípio básico: pesquisar e construir o perfil de seu colaborador ideal. Isso significa identificar suas necessidades e ambições, perceber quais são seus pontos problemáticos e entender como mantê-lo motivado.

Em seguida, essas questões precisam ser alinhadas com os valores e a cultura do negócio. É fundamental que três questões importantes estejam definidas:

  • o que a empresa pode oferecer;
  • o que torna o trabalho diferente dentro daquele ambiente;
  • como ela pode melhorar efetivamente a vida de seus colaboradores.

Leve em consideração, porém, que cada pessoa já tem uma employer brand marcada em sua mente. Afinal, elas já enxergam a empresa de determinada maneira, que pode ser igual ou diferente de como você a vê. Por isso, é importante reforçar mais uma vez a importância dos colaboradores nesse processo.

É a partir de insights e feedbacks por parte da empresa que ela poderá modificar sua abordagem como empregadora. Somente assim sua gestão de benefícios será certeira, e suas ofertas serão atrativas para novos talentos e mais valiosas para quem já está ali dentro.

Agora que você entende melhor o conceito de employer branding, comece já a pensar em como aplicá-lo em sua realidade. Não tenha dúvidas de que essa é uma estratégia essencial para um posicionamento firme no mercado, inclusive no longo prazo. Que tal explorar outras maneiras de envolver sua marca e seus colaboradores? Saiba agora como o RH pode promover a educação financeira empresarial e estimule também essa conscientização internamente.