Vale a pena pegar um empréstimo para investir? Entenda aqui!

por Malena Oliveira | 25/02/2019

empréstimo para investir

Quando você ouve falar sobre um investimento que rende acima do habitual, tem vontade de pegar um empréstimo para investir? Algumas pessoas discutem essa possibilidade diante das chamadas oportunidades no mercado financeiro ou imobiliário. Porém, ainda que seja possível obter lucro com essa prática, será que vale a pena tomar dinheiro emprestado para investir? 

No mundo das aplicações financeiras, principalmente no mercado de renda variável - que envolve os investimentos na bolsa de valores -, existem opções de investimentos com chances de ganho bem maiores do que na renda fixa. Porém, já vimos aqui no blog que, quanto maior é o retorno oferecido, maior é o risco de um investimento.

A partir de agora, vamos ver os principais pontos em que você deve prestar atenção ao tomar um empréstimo. Também vamos analisar quando vale mais a pena juntar o dinheiro necessário para fazer o investimento que você deseja. Já adiantando a resposta, juntar a quantia necessária, ainda que aos poucos, é mais vantajoso na maioria dos casos.

Vale a pena pegar um empréstimo para investir?

Hoje em dia, existem diversas formas de tomar dinheiro emprestado no mercado, como cheque especial, cartão de crédito, empréstimo consignado, empréstimo com ou sem garantia etc., cada qual com uma determinada taxa de juros.

Em geral, o crédito mais barato é aquele em que o pagamento da parcela já é descontado no salário da pessoa (o famoso consignado) ou quando há a garantia de veículo ou imóvel para a retirada do dinheiro. Nesse último caso, se o tomador do empréstimo não pagar o compromisso, ele perde o bem em troca da quitação.

Por mais que tais linhas sejam consideradas baratas, a taxa de juros que se paga pelo dinheiro emprestado é bem maior do que o retorno dos investimentos de renda fixa.

Para você ter uma ideia, a taxa média de juros do empréstimo consignado, a linha mais barata do mercado, estava em 2,5% ao mês em novembro de 2018, segundo o Banco Central.

Naquele mesmo mês, o CDI, que é a taxa de referência das aplicações mais seguras do mercado, estava em 0,49% ao mês. Ou seja: a taxa de juros de um empréstimo considerado barato é cinco vezes maior que a taxa de juros de um investimento em renda fixa (!).

Assim, você já percebe que pegar um empréstimo para investir na renda fixa não compensa por causa da diferença entre as taxas de juros. Mas e quanto aos investimentos na bolsa?

É fato que algumas operações nesse mercado podem render em um dia o que uma aplicação de renda fixa entrega em um ano. Porém, diferente desse tipo de investimento, não há nenhuma certeza ou possibilidade de projetar ganhos na renda variável. Isso porque, como o nome já diz, o preço desse tipo de investimento varia.

Vale a pena fazer uma reflexão: se você não tem dinheiro suficiente para fazer um investimento, será que suas finanças estão bem organizadas? Um pequeno ajuste pode fazer alguma quantia sobrar no fim do mês para investir no que realmente importa.

Outro ponto importante: se você não tiver outros investimentos na sua carteira, inclusive em renda fixa, será que vale começar justamente pelos ativos mais arriscados?

A resposta, na maioria dos casos, será não. Isso porque a renda fixa é recomendada para todas as pessoas que investem seu dinheiro, funcionando como um colchão contra o sobe e desce do mercado.

O ideal é fazer também outros tipos de investimento, tanto para entender como o mercado funciona, quanto para manter pelo menos uma parte do seu patrimônio em segurança. E quando se fala em proteger o seu capital, a diversificação é uma das estratégias mais eficientes ao longo do tempo. Falaremos dela mais adiante.

O que analisar para tomar a melhor decisão?

Aqui estão alguns aspectos que você deve levar em conta quando pensar em pegar um empréstimo para investir.

Taxa de juros do empréstimo

Em geral, as menores taxas de empréstimo no mercado ficam em torno de 2,5% ao mês. Já as mais caras, como as de cartão de crédito e cheque especial, podem chegar a 18%. Então, caso você pegue dinheiro para investir, a rentabilidade teria que ser muito elevada para cobrir a taxa de juros do crédito tomado.

Custo efetivo total do empréstimo

Além disso, é preciso pensar no custo efetivo total (CET) do empréstimo. Ele inclui não só a taxa de juros, mas também tarifas e tributos.

O principal deles é o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que é de 0,38% ao mês, mais um percentual que varia conforme o tipo de empréstimo. Além disso, o banco pode cobrar taxa para análise de crédito em alguns casos

Assim, quanto maior for o prazo para o pagamento do empréstimo, maior é o seu custo total.

Retorno sobre o investimento

Em vez de pegar empréstimo para investir no mercado financeiro, algumas pessoas pensam em fazer isso para aplicar no mercado imobiliário. Ainda assim, os riscos são grandes.

Quem não tem tanta experiência pode imaginar que tomar um empréstimo para investir em um imóvel é uma solução interessante. No entanto, essa atitude é arriscada por dois motivos principais:

  • Risco de Liquidez: o ativo pode demorar mais tempo para ser vendido;

  • Risco de Mercado: o preço do ativo pode cair.

Assim, um empréstimo para investir é uma atitude arriscada e pode não ter os resultados desejados.

Riscos de um investimento na bolsa

No mercado de renda variável, as alterações nos preços dos ativos são mais frequentes.

Então, quem resolve pegar empréstimo para investir corre o risco de, no momento de resgatar o valor aplicado, ter de volta um valor menor do que o aplicado. Com isso, a pessoa terá prejuízo e não conseguirá pagar o valor que tomou emprestado.

Também é importante você ter em mente que, ao investir na bolsa, por mais que o potencial de lucro seja maior do que o da renda fixa, não há garantia de retorno.

Saiba, então, que aplicar seu dinheiro na euforia do momento ou no ativo da moda pode estar fora do seu perfil.

Esse é um dos maiores riscos, pois você pode sacar o dinheiro antes do prazo ideal e perder capital na operação.

E, no caso de ter feito um empréstimo, você pode ter o orçamento comprometido por meses ou até anos por conta da dívida.

Como começar a investir com pouco dinheiro?

Como você pôde perceber, pegar um empréstimo para investir não é uma boa ideia, considerando a diferença no valor entre a taxa de juros e o retorno dos investimentos.

Existem muitas de opções de investimento no mercado que são seguras e rentáveis e que podem ser mais adequadas aos seus objetivos.

Antes de investir é importante não ter dívidas e criar uma reserva de emergência. Hoje em dia, existem opções de investimento com valores iniciais baixos, como o Tesouro Direto e o Certificado de Depósito Bancário (CDB), ambos na renda fixa.

Depois de ganhar experiência, você pode direcionar parte do seu capital para a renda variável, caso esse tipo de investimento esteja de acordo com o seu perfil de risco.

Ainda não sabe qual é o seu perfil? Faça, então, uma simulação gratuita e descubra quais são os investimentos mais adequados para você!

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

Avaliar o post
curso de investimento