Você sabe o que é forex? Entenda o que é e como funciona esse mercado

por Malena Oliveira | 03/05/2019

Forex: entenda o que é e se vale a pena investir

Se você já pesquisou sobre formas de investir no exterior, deve ter se deparado em algum momento com o mercado Forex. Ele envolve a negociação de moedas estrangeiras e a obtenção de lucro por meio da diferença de preços entre elas.

Embora pareça uma alternativa promissora, é preciso conhecer esse mercado a fundo para minimizar os riscos do investimento e não ter problemas, já que há algumas especificidades que não estão presentes em outras aplicações financeiras disponíveis no Brasil. Há questionamentos, inclusive, sobre a legalidade desse tipo de investimento.

Por isso, continue a leitura para entender o que é e como funciona essa modalidade.

O que é Forex?

Forex é uma contração da expressão foreign exchange market, expressão do inglês que pode ser traduzida como mercado cambial.

Por movimentar uma grande quantidade de dinheiro diariamente, o Forex é reconhecido como o maior mercado cambial do mundo, com movimentações de recursos superiores às grandes bolsas de valores. No entanto, é importante não confundir o mercado de ações e seus derivados com o Forex.

O Forex foi criado em 1971 e não existe fisicamente (ou seja, não conta com um prédio que funciona como sede).

Esse mercado funciona virtualmente praticamente 24 horas por dia, entre as 22 horas do domingo até as 22 horas da sexta-feira.

Ele obedece os horários de abertura e fechamento das principais bolsas de valores do mundo: Sydney, na Austrália; depois Tóquio, no Japão; Londres, na Inglaterra; e por fim, Nova York, nos Estados Unidos.

Mesmo que você nunca tenha pensando em investir em Forex, provavelmente ele já afetou sua vida de alguma forma, já que esse mercado é acessado por bancos centrais, bancos comerciais e empresas. Vamos ver mais detalhes a seguir.

Como funciona o mercado de Forex?

O princípio básico de funcionamento do Forex envolve a compra e a venda de duas moedas de forma simultânea. Assim, quem investe no Forex negocia moedas em pares, especulando se o valor de uma subirá ou descerá em relação à outra.

Um exemplo ajuda a entender melhor essa dinâmica. Imagine que, numa situação hipotética, você acredita que o dólar vai se valorizar frente ao euro. Assim, você faz um investimento nesses pares de moeda.

Note que não se trata de uma aplicação direta (ou seja, em nenhum momento são comprados dólares ou euros fisicamente). Trata-se apenas de uma relação de troca entre os ativos.

Se a sua expectativa se confirmar e o dólar realmente se valorizar frente ao euro, você obtém retornos a partir dessa diferença. Caso a tendência esperada não se confirme, será preciso vender aquela relação de moedas em que você acreditou.

O mais comum é que essas operações sejam feitas em questão de minutos, considerando as mudanças no preço das moedas (eles oscilam facilmente em função de fatores econômicos ou políticos). Porém, também é possível fazer operações que levam dias ou semanas para serem concluídas.

Além disso, é comum acontecerem no Forex as chamadas operações de alavancagem, na qual quem investe faz aplicações superiores ao dinheiro disponível. Em outras palavras, investe-se um dinheiro que não se tem, o que pode ampliar os lucros, bem como as possíveis perdas.

Como funciona o Forex no Brasil?

Até o momento, não há nenhuma corretora sediada no Brasil que ofereça acesso ao mercado de Forex.

Logo, as plataformas que disponibilizam esse serviço não são registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM, órgão que supervisiona e regulamenta o mercado de ações e outros ativos semelhantes).

Essa restrição engloba, inclusive, anúncios feitos na internet por corretoras estrangeiras. Porém, isso não impede que residentes no Brasil invistam no mercado Forex ou em qualquer outra aplicação no exterior.

Não é à toa que esse tipo de investimento envolve mais riscos do que as aplicações tradicionais. Por não ser uma aplicação regulamentada, quem faz esse tipo de negociação não conta com o resguardo de nenhuma instituição no Brasil, como o Banco Central ou a própria CVM.

Além disso, é preciso seguir as regras tributárias de cada país para declarar os impostos sobre essas aplicações da maneira correta.

Como funcionam as corretoras Forex?

Algumas corretoras exploram brechas para oferecer possibilidades de aplicação no mercado Forex dentro do país.

Elas se aproveitam do fato de o Forex ser um mercado virtual e poder ser operado pela internet ou por qualquer outro meio eletrônico, o que elimina as fronteiras tradicionais.

Por isso, muitas corretoras estrangeiras têm agentes locais, que captam clientes e recursos para esse mercado. Essa é uma prática que é ilegal.

Muitas vezes, o principal argumento de venda é a promessa de lucro rápido e relativamente fácil, o que nunca é verdade, independentemente do tipo de investimento.

Para divulgar os seus serviços de corretagem no mercado, essas empresas se utilizam de diversos instrumentos de propaganda para incentivar a abertura de contas e posteriores depósitos via transferências bancárias ou cartão de crédito.

Em casos mais graves, quem investe pode ter dificuldade em reaver os valores depositados, ter investimentos feitos sem seu consentimento ou ser vítima de esquemas de pirâmide financeira.

4 mitos e verdades sobre o Forex

1. Forex traz retornos rápidos

Muitos entram no Forex na expectativa de ganhos rápidos, não comparáveis a outros investimentos mais conhecidos no mercado.

Mas é sempre importante lembrar que, como moedas são extremamente voláteis, qualquer oscilação brusca trará perdas igualmente significantes.

2. Forex sempre é golpe

O Forex é um mercado que realmente existe e que é utilizado diariamente para movimentar enormes quantias de dinheiro.

Isso significa que ele não é sinônimo de golpe financeiro. No entanto, é bem comum que pessoas mal intencionadas utilizem seu nome para cometer crimes.

3. Ele é ilegal no Brasil

Ainda que corretoras no Brasil não possam oferecer o Forex como forma de investimento, nada impede que residentes do país atuem nesse mercado de forma autônoma, desde que estejam cientes do risco e sigam as regras tributárias.

4. Basta depender da sorte para conseguir uma boa rentabilidade

Embora tenha teor altamente especulativo, depender apenas da sorte na hora de investir em Forex é uma péssima ideia.

Ainda que voláteis, muitos movimentos nos preços das moedas são previsíveis com uma boa análise e o acompanhamento de determinadas variáveis.

Quais cuidados tomar com o Forex?

Para quem quer investir em Forex, algumas dicas são essenciais para evitar dores de cabeça.

A primeira delas é fugir de promessas de ganhos rápidos e avaliar com cuidado todas as movimentações feitas, já que equívocos podem se transformar em prejuízos irreversíveis.

Outra atitude fundamental é preservar dados pessoais na hora de investir, não fornecendo número de cartão de crédito, por exemplo.

Mas, além dessas precauções, que devem ser estendidas a qualquer outro investimento, sempre vale ressaltar que a falta de regulamentação do Forex por parte da CVM deixa as pessoas sem qualquer resguardo legal em caso de dúvidas ou problemas. Dessa forma, nenhuma preocupação é exagerada.

Por isso, antes de investir em Forex, considere outras alternativas que o mercado oferece. Baixe grátis o nosso ebook Guia Completo sobre os Tipos de Investimento e escolha a melhor alternativa para você!

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

consultoria de investimento
Avaliar o post
consultoria de investimento