Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Gestão de benefícios: entenda o que é e qual a sua importância

A gestão de benefícios estabelece uma série de vantagens e auxílios aos talentos de uma empresa. Isso os mantém engajados, motivados e satisfeitos com suas respectivas posições no negócio.

No mercado, destaca-se a companhia que consegue implementar esse programa de maneira eficiente. Oferecer boas condições de trabalho e benefícios aos colaboradores é essencial para a manutenção e desenvolvimento do negócio.

Este post vai mostrar em detalhes o que é a gestão de benefícios e como ela é importante para que uma empresa fortaleça sua imagem. Você também vai ver quais vantagens são obtidas e como realizar uma implementação eficiente!

O que é a gestão de benefícios?

Oferecer as melhores condições aos talentos é uma busca frequente de empresas que prezam pelo engajamento e satisfação. A gestão de benefícios é um mecanismo imprescindível para isso, já que traz vantagens para as equipes.

Ela engloba uma série de medidas e programas que atendem os colaboradores em diversas necessidades. Diante disso, a ideia é que esses talentos sintam-se satisfeitos e valorizados, com a tranquilidade de que necessitam para terem bons níveis de produtividade.

Além disso, a principal consequência é a lealdade à empresa, que consegue criar um vínculo mais forte com o seu capital humano.

Com a redução nos índices de turnover, a tendência natural é formar um time de pessoas mais alinhadas à estratégia do negócio. Uma rotatividade grande influencia diretamente a gestão, já que frequentemente novos talentos precisam de treinamento e adequação.

Entre os principais benefícios, considerando todos os tipos de necessidade, é possível destacar alguns como:

  • plano de saúde;
  • auxílio-creche;
  • seguro de vida;
  • crédito consignado;
  • parcerias com instituições de ensino;
  • horários flexíveis;
  • ginástica laboral;
  • bônus por metas;
  • participação nos lucros.

A importância para as empresas

Apesar de a gestão de benefícios representar investimentos, a empresa tem a certeza de oferecer melhores condições como contratante.

Isso a torna mais bem avaliada no mercado, o que faz diferença na captação de novos talentos para atuar nas equipes.

Assim, a tendência é atrair cada vez melhores profissionais, que, além de buscarem bons vencimentos, também querem condições adequadas de trabalho. Afinal, os benefícios representam maior segurança e qualidade de vida laboral.

Quais as vantagens obtidas com a gestão de benefícios?

Para as empresas, vale muito a pena ter um programa eficiente de benefícios. Ele traz inúmeras vantagens que colocam o negócio em posição de destaque. A produtividade cresce, a companhia se desenvolve e as demandas estratégicas são executadas cada vez com mais eficiência.

A seguir, elencamos os principais pontos que justificam o investimento na gestão de benefícios.

Colaboradores valorizados

Colaboradores valorizados representam uma boa relação de confiança. Quando eles se sentem assim, a tendência é que passem a produzir mais. Isso porque entendem que estão sob uma companhia que preza pelo seu bem-estar emocional e segurança financeira.

Uma vez que isso é obtido, a tendência é que o talento vista a camisa. Se todos têm engajamento, a empresa consegue ter pessoas qualificadas e motivadas para atingirem os melhores resultados dentro da administração estratégica.

Turnover reduzido

As taxas de turnover são indicadores que estão sempre sob análise. É fundamental diminuir a saída dos colaboradores, já que essa rotatividade atrapalha muito o desenvolvimento do negócio.

A chegada de novos talentos pode representar um processo de adaptação mais longo, o que pode ser trabalhoso e ter um custo financeiro para a empresa.

Companhias que oferecem benefícios são mais atrativas. Do mesmo modo, tendem a ter maior capacidade de reter os seus talentos, reduzindo os índices de turnover.

Aumento da produtividade

Outro aspecto relevante, o aumento de produtividade é observado nas empresas que investem em gestão de benefícios.

Alcançar bons índices de produtividade é um dos grandes desafios das organizações. Isso porque, cada vez mais, os colaboradores precisam ser motivados e se sentir uma peça importante dentro do negócio.

O investimento em benefícios se reverte na satisfação e no interesse da pessoa em ajudar o negócio e contribuir para que o ciclo se mantenha. Assim, se percebe o aumento da produtividade e também da qualidade dos serviços prestados.

Novos talentos para a empresa

Reter bons colaboradores é bom, mas também é importante ser uma empresa atraente aos talentos que estão no mercado. Vários fatores contam para que um profissional se interesse por uma vaga, e muitos deles vão além dos vencimentos.

Se duas empresas oferecem o mesmo salário para uma posição, quais são os critérios seguintes para a decisão de um talento? Certamente, os benefícios! O seu negócio consegue essa competitividade se propõe auxílios, vantagens financeiras e também uma cultura interna atraente.

A sua empresa deve ser vista de forma positiva pelos profissionais, clientes, parceiros e fornecedores.

Agora pense na forma como o seu negócio é visto pelo mercado. O seu objetivo deve ser demonstrar aos profissionais que a organização é um ótimo lugar para trabalhar, não só sob a perspectiva financeira, mas também humana.

Clima organizacional adequado

O ambiente da empresa reflete o seu sucesso. Essa é uma das principais vantagens da gestão de benefícios. O clima organizacional melhora muito se todos estão satisfeitos com as condições de trabalho oferecidas.

Isso interfere na motivação e na aceitação diante de novos desafios e metas propostas dentro do direcionamento estratégico. Colaboradores felizes com o trabalho são mais receptivos a um bom relacionamento interpessoal, o que reflete positivamente em todo o clima da empresa.

Qualidade de vida aos colaboradores

A vida profissional muitas vezes é desgastante e estressante. Nem todo colaborador sabe lidar com isso, tendo um déficit na qualidade de vida. O programa de benefícios é uma forma de suprir as necessidades físicas e emocionais das equipes de maneira pontual.

De nada adianta ter bons salários, uma posição relevante na empresa e não ter saúde para desfrutar disso, por exemplo. Nesse caso, benefícios como a assistência médica e a ginástica laboral são de grande ajuda para equilibrar trabalho e bem-estar.

Ofereça o benefício que realmente importa para seus colaboradores

Como implementar esse programa?

Para fazer a gestão de benefícios funcionar, é preciso ter uma implementação precisa. Os talentos devem ser atendidos em suas necessidades e entender como desfrutar das vantagens oferecidas. Em contrapartida, as empresas devem oferecer benefícios que sejam compatíveis com a sua cultura.

A grande dúvida é: como colocar em prática um programa de benefícios dentro da minha empresa? Será que existem estratégias específicas? Como posso saber quais são os melhores benefícios de acordo com as necessidades dos meus colaboradores?

Confira a seguir nossas dicas de como implementar o programa!

Entenda do que os colaboradores precisam

A melhor forma de saber do que os colaboradores precisam é conversar com eles. Aproxime essa relação e mantenha contato para entender o que a empresa pode oferecer em termos de benefícios.

Isso pode ser feito durante os feedbacks ou até mesmo em situações informais, como conversas de corredor ou no cafezinho.Outra opção bacana é por meio de uma pesquisa de satisfação, que pode ser preenchida de forma anônima. Nela, o colaborador poderá dizer o que precisa ou o que gostaria de ter acesso em termos de benefícios.

Proponha benefícios compatíveis com a cultura da empresa

Os benefícios não podem tornar a empresa refém deles próprios. Não é possível oferecer vantagens que sejam incompatíveis com a cultura da organização.

A grande dificuldade é quando a empresa ainda não tem uma cultura bem estabelecida ou está implementando mudanças. Nesse caso, seja estratégico, entenda qual é a mensagem que deseja transmitir e adote ações alinhadas com essa mensagem.

Existem muitas possibilidades no campo de benefícios, por isso o empresário tem liberdade para avaliar e planejar suas ações com tranquilidade.

Foque a qualidade de vida

Como mencionamos, a rotina de muitos profissionais é estressante e emocionalmente desgastante. O que acontece com esses colaboradores é uma queda na produtividade e qualidade do trabalho.

Por isso é relevante considerar a relação entre os benefícios e a qualidade de vida. O programa deve ser pensado com o propósito de suprir as necessidades dos colaboradores, contribuindo para essa questão.

De nada adianta ter bons salários, uma posição relevante na empresa e não ter saúde para desfrutar disso, por exemplo. Nesse caso, benefícios como a assistência médica e a ginástica laboral são de grande ajuda para equilibrar trabalho e bem-estar.

Aposte em recompensas e reconhecimento

Muitas vezes, pequenos gestos de reconhecimento têm um grande efeito sobre os seus colaboradores. Dessa forma, a sua gestão de benefícios deve incluir ações de valorização e reconhecimento.

A empresa pode, por exemplo, homenagear um colaborador de destaque, o talento do mês ou o profissional que tenha trazido uma ideia que ajudou o negócio.

Outra iniciativa interessante e que pode fazer toda a diferença é comemorar os aniversários. Pode ser algo simples, como um bolo e um pequeno presente. O importante aqui é mostrar que a empresa tem apreço pelas pessoas que fazem o negócio acontecer.

Muitas vezes, as pequenas ações, que não têm um custo financeiro tão alto, fazem mais diferença do que incentivos pecuniários.

Criar uma relação de respeito e incentivo mútuo desenvolve um vínculo de confiança. Isso favorece todas as pessoas envolvidas no dia a dia do negócio.

Como analisar o ROI dos benefícios?

O Retorno Sobre Investimento (ROI) é uma métrica utilizada para analisar o retorno financeiro de um investimento. A empresa deve realizar esse cálculo para entender o quão efetivas têm sido suas estratégias.

Para calcular o ROI basta aplicar uma fórmula matemática que considera o valor investido na estratégia de gestão de benefícios e o retorno financeiro obtido.

ROI = (Retorno do Investimento – Custo do Investimento) ÷ Custo do Investimento

Para obter o valor em percentual, basta multiplicar o resultado da fórmula por 100.

Flexibilize os benefícios de acordo com o perfil do colaborador

Esta é uma dica incrível e que poucos empresários conhecem. Geralmente, a organização opta pela padronização dos benefícios, estendendo-o para todos os colaboradores.

Entretanto, a flexibilização desses benefícios, calcada na ideia de oferecê-las de acordo com perfil, interesses e necessidades individualizadas, é uma excelente estratégia.

Isso pode contribuir para uma gestão de benefícios mais acertada e que favoreça a valorização de cada talento como uma persona única. Afinal, cada pessoa tem suas demandas e necessidades, que certamente são diferentes das dos seus colegas.

Essa dica faz perceber como a gestão de benefícios deve ser estruturada de forma estratégica e muito bem pensada. Ela não é simplesmente a oferta de um plano de saúde, seguro de vida ou participação nos lucros. Ela é um benefício oferecido para facilitar a vida das pessoas.

Imagine que, por exemplo, para um colaborador sem filhos não faz sentido ter acesso ao auxílio-creche. Assim como, o plano de saúde empresarial, em alguns casos, pode não ser de interesse do trabalhador.

Para ajudá-lo a entender como personalizar a gestão de benefícios, vale a pena conversar com as pessoas, entender suas necessidades e alinhar expectativas.

Oriente os colaboradores sobre o uso dos benefícios

Os colaboradores precisam ter a clareza acerca dos benefícios a que eles têm direito, afinal, só assim eles podem usufruir deles. Além disso, é fundamental orientá-los sobre os termos de uso de algumas dessas vantagens.

Um bom exemplo é o crédito consignado, que tem regras bem específicas. Busque clareza e transparência ao definir os termos de uso.

O destaque é natural para as empresas que mantêm uma gestão de benefícios eficiente e com foco na melhora da qualidade de vida do colaborador. Os resultados são vistos diretamente no clima organizacional e nos resultados diante das metas.

Além disso, a empresa passa a se destacar no seu mercado de atuação, já que é vista de forma mais humanizada. Organizações devem focar suas estratégias em três pilares: finanças, bem-estar e criação de vínculos.

Um bom relacionamento com os seus colaboradores vai fazer toda a diferença nos resultados que a sua empresa entrega para os clientes. O mercado precisa de mais empresas preocupadas com as pessoas e realmente engajadas em fazer a diferença, não só na área econômica mas também na sociedade.

A gestão de benefícios é sempre importante para o bem-estar e retenção de talentos. Como a sua empresa tem ajudado seus colaboradores nessa questão? A Magnetis é uma consultoria que oferece o primeiro benefício de bem-estar financeiro do Brasil. Ajudamos milhares de pessoas a terem uma relação mais saudável com o dinheiro. Siga a Magnetis nas redes sociais — Twitter, Facebook, LinkedIn, Instagram e YouTube — e fique por dentro de outras dicas e conteúdos exclusivos.