Juros Composto – Glossário Financeiro

por Rodrigo Botinhão | 26/10/2017

Glossário Financeiro: O que é LC?

O que são juros compostos?

Os juros compostos são muito utilizados dentro do sistema financeiro, já que oferece maior rentabilidade quando comparado com os juros simples. Eles são a aplicação de juros sobre juros, aplicados ao somatório de um capital ao final de cada período.

Com os juros compostos, o dinheiro vai rendendo muito mais, já que o seu crescimento é exponencial. Para quem busca realizar bons investimentos, é fundamental contar com a ajuda dos juros compostos, pois são eles que vão trabalhar por você.

Como funcionam os juros compostos?

Também chamados de capitalização composta, os juros compostos são os “vilões” responsáveis pelas dívidas dos cartões de crédito, pois, com o passar do tempo, um valor irrisório pode se tornar bastante significativo. Em todas as instituições financeiras, os juros cobrados são sempre compostos, tanto para quem empresta quanto para quem deve.

Ou seja, os juros compostos podem ajudar ou prejudicar a sua vida financeira, dependendo de como você os utilizar. Sendo assim, juros compostos e empréstimos andam sempre de mãos dadas.

Eles se tornam seu grande aliado ao aplicar o seu dinheiro em investimentos que pagam em juros compostos, podendo ajudá-lo a aposentar ou realizar algum sonho mais distante.

Como são definidas as taxas de juros compostos?

As taxas de juros compostos são definidas de acordo com alguns fatores:

Variedade da oferta de recursos: seguindo a lei de oferta e de procura, quanto maior a concorrência, menor a taxa;

Risco de inadimplência: quanto mais as pessoas estão honrando as suas dívidas, menor a taxa;

Conhecimento sobre finanças: quanto mais educada uma sociedade em relação às finanças, menor a taxa, pois as pessoas têm informações suficientes para entendê-las e questioná-las.​

Tipos de taxas de juros compostos?​

Taxas equivalentes: são taxas aplicadas em um mesmo capital e intervalo de tempo e que produz um mesmo montante final;

Taxas nominais: não coincidem com o período de formação e incorporação dos juros ao capital;

Taxas efetivas (ou reais): taxas que coincidem com o período de formação e incorporação dos juros ao capital.

Diferença entre juros simples e juros compostos

Os juros simples e os juros compostos se diferem entre si, pois o montante final nos compostos é sempre maior do que no simples, sendo que a base de cálculo da taxa é a diferença básica entre eles. No juros simples, a taxa é cobrada sobre o valor inicial, enquanto no composto, é cobrada sobre o valor do último mês.

A fórmula para calcular a taxa de juros compostos é: montante = capital X (1 + taxa) elevado a tempo. Já em relação ao juros simples: juros = capital X taxa X tempo.

Como aplicar nos juros compostos?

É possível usar os juros compostos ao seu favor em qualquer tipo de investimento, especialmente de renda fixa. Por exemplo, ao comprar um título do Tesouro Direto - no qual você empresta dinheiro para o governo e ele é devolvido com os juros compostos -, ou ao investir no CDB, que é um empréstimo para bancos ou corretoras no qual o seu dinheiro também é devolvido com os juros compostos.

Apesar de ser um retorno mais garantido, é fundamental estudar as aplicações que você pode realizar, pois há alguns pontos importantes a considerar que devem estar de acordo com o seu perfil de investidor.

Quer saber qual a melhor forma de investir o seu dinheiro? Entre em contato conosco e conheça a Magnetis!