LCI – Glossário Financeiro

LCI, Letra de Crédito Imobiliário, é um tipo de investimento lastreado por créditos imobiliários. De forma objetiva: quando uma pessoa física ou jurídica investe em uma LCI de uma instituição financeira, a quantia será usada para o financiamento de empreendimentos do setor imobiliário ou crédito para compra de imóveis.

Como funciona a LCI?

Como uma aplicação de renda fixa, a LCI é segura, oferece boa rentabilidade e liquidez e, por incentivar o desenvolvimento do mercado imobiliário do país, é uma aplicação sobre a qual não incide o Imposto de Renda.

Para fazer um investimento em LCI, você deverá escolher um banco ou uma corretora de valores. Caso escolha investir diretamente em um banco, o mesmo oferecerá uma LCI própria, já se investir em uma corretora, ela apresentará LCI de diversos bancos, aumentando as chances de você encontrar uma LCI com uma rentabilidade maior.

Em seguida, é importante a escolha do tipo de LCI que você irá comprar, pré-fixada ou pós-fixada.

Tipos de LCI

Com a LCI pré-fixada, o investidor saberá seu rendimento final no momento da aplicação, independentemente do valor de oscilação do CDI. Já na LCI pós-fixada o valor do rendimento muda diariamente, conforme a oscilação e o percentual do CDI.

Agora, a dúvida deve ser como calcular essas diferentes rentabilidades. Uma LCI pré-fixada terá uma taxa fixa de rendimento, por exemplo, 10% ao ano. Já uma LCI pós-fixada terá a taxa final dependendo do valor do CDI, assim, se você aplicar em uma LCI que rende 80% do CDI, terá que fazer o valor da taxa CDI anual, multiplicado por 0,8 para saber seu rendimento final. O CDI é uma de juros de referência, muito parecida com a taxa Selic.

Para escolher o melhor tipo de LCI, deve-se levar em consideração a tendência dos juros básicos da economia, quando a tendência for de aumento, investir em uma LCI pós-fixada pode ser mais vantajoso, mas caso a tendência dos juros básicos for de queda, a LCI pré-fixada pode ser uma opção mais interessante.

Liquidez da LCI

A liquidez da LCI varia de acordo com o banco escolhido e o tipo de LCI. De forma geral, o dinheiro investido só poderá ser resgatado na data de vencimento do título. Mas, algumas instituições financeiras permitem o resgate do valor total ou parcial investido depois do tempo mínimo de 60 dias. É fundamental que o investidor fique atento à data de vencimento do título e não esqueça que quanto maior o prazo maior será a rentabilidade, porém, menor será a liquidez da aplicação.

Risco da LCI

O principal risco envolvendo a aplicação LCI é a instituição financeira que emitiu o título declarar falência e com isso não conseguir pagar seu compromisso com o investidor.

Por isso, o risco de um investimento em LCI decorrerá da estabilidade financeira do banco emissor. Ou seja, geralmente, LCIs emitidas por bancos de grande porte serão menos arriscadas do que aquelas emitidas pelas instituições financeiras de pequeno e médio porte.

Entretanto, é necessário destacar que todos os títulos emitidos por instituições financeiras contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos - FGC. O FGC funciona como um seguro em caso de falência do banco emissor. Com ele o o investidor têm a garantia da sua aplicação até o limite de R$ 250 mil.

Como investir em LCI

Agora que você já sabe o que é LCI, talvez você tenha ficado interessado(a) em investir. Se for o caso, o primeiro passo é possuir uma quantia disponível para a aplicação. No caso da LCI, a quantia mínima aceita pelas instituições emissoras dos títulos pode variar de um banco para outro, geralmente os valores mínimos mais baixos começam em torno de R$ 5.000.

Em seguida, será necessário pesquisar uma instituição financeira que emita LCI, ou alguma corretora que poderá intermediar o processo de compra e venda. Por último, escolha entre uma opção de LCI pré-fixada ou pós-fixada e preste atenção no prazo de vencimento do título.

​Quer saber mais detalhes sobre LCI ? Entre em contato conosco e descubra o web app de investimentos da Magnetis!

O que é LCI