Previdência Privada – Glossário Financeiro

por Rodrigo Botinhão | 13/10/2017

Glossário Financeiro: O que é LC?

O que é previdência privada?

A previdência privada é uma forma de poupar e aplicar seu dinheiro para o longo prazo. Geralmente a previdência privada é usada para acumular um patrimônio para a aposentadoria. Não está ligada ao INSS e pode ser, inclusive, planejada como uma aposentadoria complementar à pública. Os planos de previdência privada (PGBL e VGBL) são formalmente considerados seguros, por isso são supervisionados por um órgão do governo chamado Superintendência de Seguros Privados (Susep).


Hoje em dia, muitos brasileiros estão optando por um plano de previdência privada pois querem ter uma renda complementar ao plano de previdência pública do INSS no futuro.

​Como funciona a previdência privada?

Na previdência privada, você pode escolher o valor e a periodicidade com os quais vai contribuir. Nela, você também pode resgatar todo o valor investido se quiser desistir de continuar aplicando o dinheiro.

Os planos de previdência privada são compostos por fundos de investimento de diferentes tipos. O dinheiro investido fica rendendo, sendo que, quanto maior o tempo de investimento, maior o rendimento e menor o Imposto de Renda no resgate.

É possível receber o montante acumulado tanto resgatando todos os recursos de uma só vez, ou receber os recursos em valores mensais.

A previdência privada também apresenta duas taxas: a de administração e a de carregamento, sendo que, quanto maior forem essas taxas, menor o valor do rendimento recebido. A taxa de administração tem a função de pagar a equipe responsável pela gestão do capital investido, enquanto a taxa de carregamento arca com outras despesas que possam surgir.

Todos os planos de previdência privada apresentam uma taxa de administração, mas, nem todos apresentam uma taxa de carregamento. Ou seja, dependendo do plano escolhido, a taxa de carregamento será inexistente. Caso exista, a taxa não possui um valor fixo e pode alterar de acordo com o tempo de contribuição.

Formas de tributação de impostos

A previdência privada apresenta duas formas de cobranças de impostos. Por isso, ao optar por esse tipo de investimento, é fundamental ficar atento à melhor forma de tributação para o objetivo final. Conheça os dois tipos de tributação:


Tabela de Impostos Regressiva: a primeira forma de tributação é por meio da tabela de impostos regressiva. Esse tipo de cobrança de imposto foi criado para estimular as aplicações de longo prazo, nela quanto maior o dinheiro fica aplicado, menos imposto de renda é cobrado. Ou seja, isso se torna uma excelente opção para quem quer resgatar o seu dinheiro após um longo período tempo.


Tabela de Impostos Progressiva: já o outro tipo de tributação é feito por meio da tabela de impostos progressiva, na qual o recebimento de valores em parcelas mensais é mais favorecido. Nessa tabela o imposto é cobrado proporcionalmente ao valor de resgate. Toda vez que o dinheiro é resgatado, é cobrado o imposto automaticamente. Por isso ela se torna mais vantajosa para quem quer receber rendimentos mensalmente.

Tipos de previdência privada

Existem dois tipos de previdência privada que podem variar de acordo com o seu tipo de declaração de renda:

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

O PGBL favorece quem declara o Imposto de Renda no modelo completo e também contribui para o INSS. Nesse plano, ocorre o benefício fiscal durante o período de acumulação, se o investidor aplicar até 12% de sua renda bruta anual no PGBL, ele não vai pagar Imposto de Renda sobre esse valor investido.


O PGBL é um plano mais recomendado para quem tem um perfil de renda maior e também apresenta gastos maiores em educação como também em saúde.

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

Já o VGBL beneficia quem declara o Imposto de Renda no modelo simplificado ou é até mesmo isento de pagar Imposto de Renda. Nesse plano, não ocorre o benefício fiscal durante o período de acumulação.


O VGBL é um plano mais recomendado para quem tem um perfil de renda menor e também apresenta gastos menores em educação como também em saúde.

​Como investir em uma previdência privada?

Se você tem dúvidas de como fazer uma previdência privada, saiba que é mais simples do que parece.


Por existirem diferentes tipos de planos, antes de começar a investir em um plano de previdência privada é necessário procurar uma boa instituição financeira que ofereça o plano que você deseja e que mais se encaixa com o seu perfil.


Além disso, não deixe de utilizar o simulador de previdência privada que a própria instituição financeira disponibiliza, para ter uma previsão dos seus futuros rendimentos e ganhos.


Quer saber qual investimento se adequa ao seu perfil? Entre em contato conosco e descubra o web app de investimentos da Magnetis!