Simulador de Investimentos – Glossário Financeiro

por Rodrigo Botinhão | 31/10/2017

Glossário Financeiro: O que é LC?

O que é um Simulador de Investimentos?


O simulador de investimentos é uma ferramenta digital criada para projetar o comportamento de aplicações financeiras em determinadas condições. Dessa forma, fica mais fácil entender como elas funcionam antes de movimentar o seu dinheiro.

Veja mais: Sabia que a Magnetis possui um simulador completo para você montar o seu plano de investimentos? Faça grátis a sua simulação!

Existem simuladores simples e outros mais completos, com análises mais detalhadas. Eles podem fazer projeções sobre o rendimento de um investimento, como um simulador da poupança ou do Tesouro Direto, por exemplo.

Há aqueles que oferecem um exemplo de como é aplicar em renda variável, um mercado no qual o preço dos ativos oscila mais. Também existem simuladores que oferecem recomendações de investimentos com base no seu perfil e nos seus objetivos financeiros.

Por que fazer uma simulação antes de investir?

É importante fazer simulações para testar possíveis cenários para a sua carteira de investimentos. Assim, você se sentirá mais confortável ao escolher, de fato, as suas aplicações.

Essencialmente, o principal fator para decidir onde investir é o seu perfil. Ele pode ser:

  • conservador: alguém que deseja um retorno garantido, ainda que menor;
  • moderado: aceita correr algum risco em troca de uma rentabilidade um pouco maior;
  • arrojado: entende bem os riscos das aplicações financeiras e quer obter o máximo de retorno, ainda que ele demore mais tempo para vir.

O segundo ponto mais importante é onde você quer chegar. Assim, se você quiser comprar uma casa no centro da cidade daqui a dois anos, por exemplo, já entende que precisará de uma determinada quantia. Assim, escolherá a aplicação financeira que entregue o melhor retorno com o menor risco tolerado por você.

Quais aplicações financeiras são ideais para cada perfil?

Como você já viu, o seu perfil está relacionado questões muito particulares. Mas, na regra geral, quanto maior o risco de um investimento, melhor é a perspectiva de rentabilidade. Dessa maneira, vamos ver a seguir as aplicações mais indicadas para cada perfil.

Investimentos para o perfil conservador

O perfil conservador prioriza a segurança nos investimentos, deixando até em segundo plano uma rentabilidade mais alta. Sendo assim, pessoas com esse perfil preferem investir em renda fixa, cujo retorno é mais previsível. Os investimentos mais indicados são:

  • Tesouro Direto;
  • títulos bancários: CDB, RDB, LCI, LCA;
  • fundos de renda fixa;
  • previdência privada.

Investimentos para o perfil moderado

Esse perfil está disposto a correr riscos, mas de forma equilibrada. Por isso, com frequência opta por uma diversificação maior da carteira e faz até algumas aplicações em renda variável por meio de fundos de investimento. As aplicações mais indicadas são:

  • renda fixa tradicional;
  • previdência privada;
  • títulos privados de renda fixa emitidos por empresas: CRI, CRA, debêntures;
  • fundos multimercado com alguma parcela em ações;
  • investimento no exterior.

Os resultados para esse tipo de carteira costumam vir em médio e longo prazo. Assim, o ideal é manter a estratégia por pelo menos dois anos.

Investimentos para o perfil arrojado

Além do colchão de renda fixa e da previdência privada, esse é o perfil de quem tem uma porcentagem maior de aplicações em renda variável em sua carteira. Essas aplicações podem ser:

  • ações;
  • fundos de ações e alguns multimercado;
  • derivativos (opções de ações, contratos futuros, investimento em moedas);
  • fundos imobiliários;
  • investimento no exterior.

Quem tem perfil arrojado entende que o mercado de renda variável tem mais volatilidade e que o retorno consistente virá no longo prazo, em cerca de cinco anos.

Como usar um simulador de investimentos?

Ninguém precisa entender de matemática para usar um simulador de investimentos. O procedimento é simples e consiste no preenchimento de algumas informações como::

  • experiência com aplicações financeiras;
  • valor do objetivo financeiro;
  • período de investimento;
  • valor inicial a ser aplicado;
  • valor da aplicação mensal;
  • prazo de resgate pretendido.

Analisar tais pontos é essencial para ter clareza, sobretudo, no momento da decisão sobre onde investir. Nesse sentido, ao cruzar as informações do perfil com os objetivos, é possível montar um plano personalizado para você.

A eficácia da simulação aumenta se você já tiver objetivos bem definidos acerca do que pretende fazer com os recursos no futuro. Pode ser comprar um imóvel em determinado bairro, um carro de determinado valor, alcançar o primeiro milhão etc.

Com esses objetivos em mente, as aplicações ganham um forte propósito, trazem motivação para quem investe, fomentam perseverança e, assim, permitem que outras metas de vida sejam incorporadas ao plano de investimento.

Quais as vantagens de simular um investimento?

Uma das principais vantagens de um simulador de investimentos é a noção aproximada que ele traz acerca dos valores de aplicação necessários para se chegar ao montante desejado no futuro.

Esse tipo de cálculo é complexo e, até pouco tempo atrás, não podia ser feito por qualquer pessoa, muito menos com a agilidade hoje possibilitada pela tecnologia.

Portanto, esse tipo de ferramenta presta um valioso serviço na hora da escolha da sua carteira de investimentos, uma vez que a simulação permite observar comparações de desempenho entre diversos tipos de investimento, obtendo estimativas sobre a evolução do patrimônio ao longo do tempo.

Além disso, poucos minutos são necessários para que a análise de investimentos no simulador seja concluída. Todo o processo é online e sem burocracia e você pode fazer a partir do smartphone ou do computador, onde quer que você esteja.

Quais os tipos de simuladores de investimentos?

Existem vários tipos de simuladores de investimentos no mercado. A maioria deles é oferecida por entidades financeiras. Os simuladores mais comum oferecem projeções sobre:

  • rendimento da poupança;
  • rendimento do Tesouro Direto;
  • calculadora do CDI (indicador para avaliar o retorno de investimentos conservadores);
  • desempenho de aplicações na bolsa.

Além de bancos, corretoras e financeiras, as principais instituições que regulam o mercado financeiro no Brasil também têm alguns simuladores:

Os dois primeiros servem para calcular o rendimento de aplicações tradicionais em renda fixa. O último é mais utilizado por quem investe em renda variável.

Quais os pontos de atenção para quem faz simulações?

Os principais pontos que merecem atenção na simulação de investimentos são seu perfil e seus objetivos, como destacamos acima. Além disso, a própria mecânica dos investimentos é outro ponto. Ela envolve questões como:

  • aplicação mínima exigida;
  • liquidez dos investimentos;
  • taxas: de administração, de performance ou de custódia;
  • pagamento de juros periódicos ou dividendos;
  • impostos: Imposto de Renda (IR), IOF regressivo, come-cotas.

O que fazer após analisar as projeções?

Algumas ferramentas de simulação oferecem a oportunidade de se criar uma conta no site da empresa e executar o plano, como no caso da Magnetis. Outras recomendam sites de corretoras ou bancos parceiros, que vendem os produtos oferecidos na simulação. Assim, cada ferramenta tem sua particularidade referente aos próximos passos após o uso do simulador.

Depois de fazer as simulações, você terá uma ideia melhor de quais investimentos mais se adequam aos seus objetivos. Assim, , você terá mais insumos para tomar a melhor decisão sobre as suas aplicações financeiras. Agora que você entende melhor o que é um simulador de investimentos, que tal fazer uma simulação grátis? Monte aqui o seu plano de investimentos!