Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Entenda por que o IFIX importa para os seus investimentos

O Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX) é um entre os cerca de 30 índices da bolsa de valores brasileira, a B3 (antiga BM&FBovespa). Ele é referente aos Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs) e forma uma carteira teórica de ativos do mercado financeiro. O IFIX avalia o desempenho médio das cotações de fundos imobiliários negociados nos mercados de bolsa e de balcão da B3.

Esse índice é composto de acordo com critérios preestabelecidos pela própria bolsa de valores. Neste artigo, explicamos um pouco mais sobre o IFIX, como foi criado e de que maneiras ele pode impactar os seus investimentos. Boa leitura!

O que é o IFIX?

IFIX é um índice de retorno total, criado em 2012, que reflete variações nos preços dos ativos que o compõem — no caso, dos fundos imobiliários. Ele também mede o impacto da distribuição de rendimentos dos ativos compostos nas carteiras dos fundos.

Já os FIIs são veículos de investimentos no setor de imóveis que têm como objetivo obter rentabilidade com locações, arrendamentos ou vendas de imóveis

Eles são diferentes de investimentos diretos em um imóvel físico, que seria outra maneira de atuar nesse mercado. Ou seja, aluguéis dos imóveis também são considerados no desempenho do IFIX, criado para ajudar a direcionar o mercado de Fundos de Investimentos Imobiliários.

A composição do fundo é feita por um administrador de carteiras. Entre os ativos que integram as cotas dos fundos estão imóveis e títulos ligados ao setor imobiliário. Alguns exemplos são cotas de outros FIIs, Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) e ações de empresas do setor imobiliário.

No mercado de FIIs, o IFIX tem a mesma função que a do Ibovespa no mercado de ações. O índice mostra a quem investe quais são os FIIs mais negociados e que têm boa liquidez. Isso também auxilia gestão das carteiras, conforme vamos explicar mais à frente.

como investir na bolsa de valores

Quais são os critérios para compor o IFIX?

Para um ativo ser classificado como elegível ao IFIX, ele deve:

  • ter presença em 60% dos pregões no período de vigência das três últimas carteiras do índice;
  • estar entre os fundos mais negociados do último ano;
  • não ser classificado como ativo penny stock — valor médio ponderado durante a vigência da carteira inferior a R$ 1,00;
  • não ter sido objeto de resgate total nas últimas três carteiras.

A bolsa de valores reavalia a carteira teórica do IFIX a cada quatro meses para garantir que os pré-requisitos sejam atendidos nos períodos estabelecidos. Portanto, a composição do índice é revista três vezes por ano. Caso os fundos que formam o índice não estiverem mais de acordo com os critérios mencionados, eles são retirados do IFIX.

Imagine que, durante a vigência da carteira, o fundo faça o resgate de todas as suas cotas. Nesse caso, elas serão excluídas da carteira do índice e serão feitos novos ajustes. Isso serve para que o fundo continue atualizado dentro das metodologias e dos critérios estabelecidos. Portanto, o IFIX é constantemente renovado com novos fundos que atendem aos pré-requisitos.

De que maneira o IFIX é calculado?

Para calcular, os preços das cotas dos fundos imobiliários negociados no mercado à vista (e que estão dentro do índice) são considerados em tempo real. O valor de mercado total é ponderado. Ele equivale ao número total de cotas emitido multiplicado pela última cotação em mercado. Assim, é possível acompanhar a composição atual do Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários atualizada.

O cálculo ainda leva em conta a liquidez do ativo — velocidade em que ele pode ser convertido em dinheiro para ser gasto no mercado. O IFIX foi criado justamente para ajudar a dar maior liquidez aos ativos de fundos com investimentos imobiliários. Por isso, o índice é formado pelos FIIs mais líquidos do mercado.

A Carteira Teórica do IFIX válida para 28 de abril de 2020 continha mais de 100 fundos em sua composição. Esse número pode ser atualizado pelos próximos quatro meses, de acordo com a reavaliação periódica feita pela bolsa de valores.

Como esse índice impacta os meus investimentos?

Não é possível investir em fundos de investimento que seguem o desempenho do IFIX. No geral, apenas por meio de Exchange Traded Fund (ETF) é possível investir em índices de mercado. No entanto, nem nesse caso há como seguir a rentabilidade desse índice.

Você pode estar se perguntando: “por que, então, o IFIX é importante para os meus investimentos?”. Se você quer investir no setor imobiliário, o IFIX é a melhor maneira de acompanhar os ativos que integram esse mercado.

O desempenho médio dos diferentes tipos de FIIs é medido em tempo real, conforme explicamos. Não existe no mercado imobiliário outra maneira de avaliar uma média da rentabilidade desses fundos. Assim, você pode acompanhar constantemente se sua carteira está com bons rendimentos.

Mesmo sem investir em nenhum ativo da composição atual do IFIX, ele é útil. Você pode usá-lo para verificar se suas carteiras de imóveis têm retornos acima ou abaixo dos FIIs selecionados atualmente para compor o índice. Você também pode até compará-lo com um dos principais índices do mercado, o CDI, e demais índices econômicos.

Importante ressaltar que muitos investimentos considerados passivos são aqueles que apenas tentam seguir o desempenho de índices do mercado, como o IFIX ou o Ibovespa. Nesse caso, o gestor ou a pessoa que investe estabelece a rentabilidade dos índices como alvo para suas aplicações financeiras em determinado mercado.

Se você quiser fazer uma gestão ativa de seus investimentos, contudo, o acompanhamento do índice também é essencial. Essa ação permite saber se os fundos nos quais você investe estão acima dessa média do mercado, calculada pelo índice de referência.

Para isso, é possível contratar gestores que façam monitoramento ativo de seus investimentos, realizando as trocas necessárias de maneira estratégica de acordo com esse desempenho. Portanto, o IFIX funciona como um benchmark para diferentes carteiras imobiliárias. 

Se você gostou de aprender sobre IFIX, acesse também o nosso Guia sobre como aplicar em fundos de investimentos. Você terá orientações práticas e seguras para entender esse tipo de investimento, especialmente em momentos de mais volatilidade do mercado financeiro.

desafio 52 semanas