Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Você pode investir de um jeito melhor, e nós podemos provar.

Baixe o app!

Índice do medo (VIX): como funciona e o que representa no mercado?

Analisar os riscos do mercado e dos investimentos é importante para tomar decisões conscientes e alinhadas às suas características. E para fazer uma análise objetiva do nível de volatilidade (que é uma medida de risco) do mercado, você pode recorrer ao Índice do Medo (VIX).

Porém, ao avaliar o indicador, é essencial saber como ele funciona e o que representa. Além disso, você deve considerar quais são os pontos de atenção para alocar seu dinheiro em um mercado volátil.

Na sequência, descubra o que é o Índice VIX e aprenda a utilizá-lo em suas análises para embasar a tomada de decisão!

Contents

O que é o Índice VIX e o que ele representa no mercado?

O Índice VIX, também conhecido como Índice do Medo, está entre os principais indicadores do mercado financeiro. A criação desse índice ocorreu em 1993 e ele é calculado pela bolsa de valores de Chicago (CBOE).

Esse indicador tem como principal objetivo identificar o nível de volatilidade do mercado acionário americano, tomando como base os ativos que fazem parte do S&P 500 – índice, desenvolvido pela Standard & Poor’s, que é formado pelas ações das 500 empresas mais representativas das bolsas americanas.

Na prática, o Índice VIX indica a intensidade e a frequência com a qual os preços oscilam no mercado acionário americano. Assim, é possível medir quão volátil está o cenário a cada momento e, portanto, quais são os riscos existentes.

Como esse índice funciona?

Para entender melhor o que é o Índice do Medo, vale saber que o Índice VIX é baseado nos preços das opções de ações do S&P 500. Ou seja, ele leva em consideração as condições de negociação desses derivativos financeiros.

Porém, é interessante entender a justificativa para o uso do preço das opções — em vez da utilização direta do preço das ações. O principal motivo está relacionado à execução de estratégias de hedge ou proteção de carteira.

Com a perspectiva de queda do mercado acionário, por exemplo, é possível comprar opções que concedem o direito de fazer a venda (put) por um preço de exercício estabelecido previamente. Assim, o objetivo do investidor é diminuir a intensidade de uma eventual perda ou mesmo revertê-la.

Considere que você acredita que a ação A cairá consideravelmente nas próximas semanas. No momento, ela é negociada a R$ 30,00. Para se proteger de uma eventual queda do preço, você pode comprar uma put com preço de exercício de R$ 25,00. Assim, no vencimento, será possível vender o papel por esse preço.

Agora pense que, no vencimento da opção, a ação realmente caiu e passou a ser negociada a R$ 23,00. Ao exercer a opção, você garante que a desvalorização seja de R$ 5,00 por ação — em vez de R$ 7,00 por ação, que seria o caso de quem vende o papel pelo preço de mercado.

Devido a essa estratégia, uma procura maior por opções — especialmente de venda — tende a estar relacionada à expectativa de que o mercado passará por quedas. Por isso, ao considerar o preço desses derivativos, o Índice VIX também consegue medir a apreensão do mercado sobre o desempenho dos ativos.

Qual a importância desse indicador?

Como medida de volatilidade, o Índice VIX foi o primeiro indicador financeiro criado para acompanhar esse resultado no mercado de ações. Logo, desde o seu surgimento, ele é relevante devido às informações que apresenta aos investidores. 

Por meio dos resultados desse indicador, é possível ter uma visão mais objetiva sobre a volatilidade das principais ações dos EUA e do mundo. Considerando que o mercado americano impacta outras economias, um aumento na volatilidade sobre as ações do S&P 500 pode indicar mais instabilidades em outros países.

Além disso, o Índice VIX ajuda a fazer um gerenciamento de risco mais efetivo e embasado, já que a volatilidade também aumenta os riscos de investir.

Como interpretar o Índice VIX ou Índice do Medo?

Agora que você sabe para que serve o Índice do Medo, é importante entender como avaliá-lo. Nesse sentido, quanto maior for o resultado que ele apresenta, maior é a volatilidade medida do mercado acionário.

Em geral, um número elevado do Índice Vix indica que os preços dos ativos estão mais sensíveis e tendem a oscilar com mais frequência. Assim, os riscos no curto prazo se elevam.

Além disso, é possível analisar esse indicador ao longo do tempo. Essa é uma forma de saber como o mercado tem reagido em determinado período ou como a volatilidade evoluiu. Dessa maneira, torna-se mais fácil compreender quais são as oportunidades e onde estão as ameaças do cenário.

Como investir em momentos de instabilidade no mercado?

Agora que você sabe que o Índice VIX ajuda a medir a volatilidade do mercado, é preciso entender como investir em momentos de instabilidade. Assim, você pode aproveitar oportunidades de fazer seu dinheiro render, mas sem deixar de proteger o seu patrimônio.

Veja!

Conheça a relação de risco e retorno

Diante de instabilidades, é essencial compreender a relação entre risco e retorno dos investimentos. De acordo com essa regra, não devemos aceitar riscos não remunerados. Isso quer dizer que, uma alternativa mais arriscada deve oferecer um potencial retorno que compense seu risco.

Então é interessante pensar em meios de equilibrar os riscos assumidos com os resultados esperados, conforme o seu perfil de investidor e com seus objetivos financeiros.

Diversifique os investimentos

Após avaliar a relação de risco e retorno, vale recorrer à diversificação de investimentos para compor o portfólio. Nesse sentido, outro conceito relevante envolve a correlação entre os investimentos.

Na prática, essa é a medida da interdependência dos investimentos. Se a correlação for positiva, é sinal que os investimentos se comportam de modo semelhante nas mesmas condições.

Já a correlação negativa aponta para comportamentos opostos, enquanto a descorrelação indica independência nos resultados. Para realmente diversificar e mitigar os riscos, é preciso investir de maneira descorrelacionada ou com correlação negativa.

Tenha uma gestão profissional

Para colocar essas dicas em prática com facilidade, vale a pena buscar ajuda profissional. Ao escolher o time da Magnetis, você terá acesso a uma solução para a gestão de investimentos.

Com o apoio de profissionais qualificados e de ferramentas tecnológicas, você poderá investir segundo o seu perfil de risco e suas expectativas. Desse modo, há como criar e manter um portfólio otimizado, diversificado e que permite a você aproveitar melhor as condições do mercado — independente do cenário.

Neste artigo, você aprendeu o que é o Índice VIX ou do Medo. Ao analisá-lo, há como identificar o nível de volatilidade do mercado de capitais e investir de maneira mais consciente diante das instabilidades.

Quer ajuda profissional para montar a sua carteira de investimentos? Entre em contato conosco da Magnetis e saiba mais!

Andressa Siqueira, CFP®

Formada em Economia pela PUC-SP, é especialista em investimentos na Magnetis desde 2019. Possui as certificações CEA pela ANBIMA e de planejadora financeira CFP®, trabalha no mercado financeiro há mais de 8 anos.

leia mais desse autor