Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Investimento de alto risco: vale a pena ter na carteira?

Para se proteger das oscilações do mercado financeiro, é comum que alguns investidores evitem agregar certos ativos às suas aplicações. Porém, quando se busca maximizar o retorno da carteira, será que um investimento de alto risco vale a pena

Neste conteúdo, você vai entender como essa categoria funciona para aumentar as suas chances de alcançar maiores taxas de lucro. Acompanhe!

O que são investimentos de alto risco?

Os investimentos de alto risco são ativos financeiros que não trazem garantias de rentabilidade. Isso porque alguns deles sofrem grandes variações de valor em um curto período. Desse modo, não há como prever precisamente qual será a margem de ganho e perda. 

No entanto, essas aplicações atraem alguns perfis de investidores – com tolerância agressiva ou de alta renda – por conta das possibilidades de alto retorno no longo prazo. Afinal, quanto maior o risco, maiores são os rendimentos esperados.

De qualquer forma, esse tipo de investimento pode representar um perigo de grandes perdas ao patrimônio de investidores inexperientes. Por isso, é importante ressaltar que, sem um apoio especializado e um planejamento adequado, as perdas podem ser irreversíveis.

Para aumentar a sua segurança e concluir se um investimento de alto risco vale a pena ou não, é necessário analisar a fundo quais são os seus objetivos financeiros, o volume de aportes e a tolerância ao risco.

A seguir, conheça algumas das principais opções presentes na categoria.

Quais são os principais investimentos de alto risco?

A modalidade é composta por ativos de renda variável, ou seja, que não informam sua rentabilidade no momento da aplicação. Apesar das ações serem o investimento de alto risco mais conhecido, existem outras opções no mercado que costumam compor a carteira de investidores experientes. Confira! 

Ações da bolsa de valores

Existe uma ampla variedade de ações disponíveis na B3, onde é fixado um valor para cada cota de uma empresa e os acionistas tornam-se sócios dela na proporção dos papéis adquiridos. 

Para amenizar os riscos, a recomendação é aplicar uma estratégia de diversificação em classes e segmentos diferentes. Através de fundos de investimento, como os ETFs (Exchange Traded Funds), é possível alocar recursos de forma a não tomar posições em segmentos específicos, diminuindo as chances de perda e pulverização. 

Mercado futuro

Os contratos futuros permitem negociações baseadas em derivativos: contratos financeiros com liquidação predefinida. Em outras palavras, os investidores compram o direito de comprar ou vender um ativo pelo valor de mercado estabelecido para essa data. 

Apesar do seu alto risco por se tratar de uma especulação, esse tipo de contrato também pode conferir proteção à carteira dentro de determinadas estratégias de diversificação

Os exemplos de futuros que costumam ampliar a rentabilidade da carteira incluem dólar futuro, futuros de índices, futuros de taxas de juros (DI) e futuros de commodities, como ouro, petróleo e itens agropecuários.

O mercado futuro é considerado um investimento de alto risco devido à sua complexidade e à variedade de contratos praticados nessas operações de compra e venda. 

Câmbio

As operações financeiras de câmbio atraem pessoas pela possibilidade de retorno em dólar, euro, libra e outras moedas estrangeiras. Nesse mercado, há a possibilidade de comprar títulos – ou realizar hedge cambial. Através desta operação, é possível fixar um valor para o câmbio, que será posteriormente cobrado na data acordada por ambas as partes, e proteger as suas aplicações caso a moeda desvalorize.

Em tempos de desvalorização do real brasileiro, investir nessa categoria pode trazer ganhos vantajosos.

Entretanto, o alto risco envolvido nesses cenários se dá pela imprevisibilidade, afinal, diversos acontecimentos internacionais podem diminuir o valor de uma moeda.

Aproveite para conhecer outros investimentos da categoria no blog da Magnetis. 

Quais são os principais riscos?

Independentemente da escolha, a regra para os investimentos de alto risco é a mesma: quanto maior o retorno esperado, maior será o risco. Para explicar o motivo de alguns ativos se enquadrarem na categoria, é preciso entender quais são de fato os perigos que envolvem esse tipo de aplicação.

Essas transações envolvem uma série de negociações. Além disso, a maioria depende diretamente das flutuações do mercado e pode ser duramente atingida por variáveis macroeconômicas que fogem do controle do investidor. Para esses acontecimentos, damos o nome de riscos sistêmicos ou não diversificáveis

Igualmente, existe a chance de você não conseguir vender as suas aplicações de alto risco no momento desejado, por falta de liquidez. Exatamente por esses investimentos serem muito procurados para compor estratégias de longo prazo, nem sempre haverá pessoas disponíveis para comprá-los.

5 dicas para investimentos de alto risco

Investir em categorias mais arriscadas é possível, porém reforçamos que definir se um investimento de alto risco vale a pena depende de inúmeros fatores. 

De qualquer forma, você pode amenizar as possibilidades de perda através de práticas estratégicas. Assim, alcançar uma carteira equilibrada e potencializar resultados será ainda mais fácil. Confira nossas 5 dicas para isso! 

1. Analise as empresas

Escolher bem os empreendimentos com quem você irá negociar é uma dica de ouro quando se trata de ações, câmbio e mercado futuro. Para exemplificar, alguns dos fatores que fazem de uma ação perigosa – nichos de mercado extremamente voláteis ou em crise financeira – podem ser driblados a partir de uma análise detalhada da organização.

Na prática, você deverá avaliar relatórios e dados disponíveis para descobrir de que forma uma determinada companhia age em meio à adversidades econômicas. O mesmo vale para a reputação, as perspectivas de crescimento e os nomes que estão à frente da empresa. 

2. Diversifique suas aplicações

Quem investe em busca de máxima performance, ganhos elevados e mitigação de riscos sabe que uma das técnicas mais efetivas para alcançar esses objetivos é a diversificação

Nesse sentido, é importante reunir diferentes ativos de classes distintas para evitar a pulverização dos seus investimentos. Ela ocorre quando o investidor possui apenas opções com comportamento similar na carteira, sem outras alternativas para minimizar impactos negativos.

3. Utilize a tecnologia seu favor

A tecnologia veio para facilitar o dia a dia, o que inclui as aplicações financeiras. Então, ao investir em ativos de alto risco, dê preferência para metodologias comprovadas e qualificadas, que normalmente contam com suporte de avanços tecnológicos que facilitam a gestão dos seus investimentos

Você pode investir através do método GBI, que considera os seus objetivos financeiros o principal combustível para definir estratégias. Da mesma forma, o investidor atualmente conta com robôs advisors cuidadosamente desenvolvidos por profissionais da área para realizar as melhores escolhas para a carteira.

4. Não tenha pressa

A pressa não é apenas a inimiga da perfeição, mas também um grande impeditivo para alcançar os melhores resultados com seus aportes financeiros. Quem pretende obter uma boa margem de lucro no médio e longo prazo deve estar ciente de que o ápice de rentabilidade leva um certo tempo para acontecer. 

Em simultâneo, o investidor precisa estar preparado para as oscilações do mercado, comuns na renda variável, que à primeira vista podem parecer colocar tudo a perder. Construir um patrimônio consistente não precisa ser um desafio, mas a paciência deve andar lado a lado de quem escolhe investir em aplicações de alto risco

5. Tenha um profissional por perto 

A essa altura, você provavelmente percebeu que o tema deste artigo não tem esse nome por acaso. Quando falamos de investimentos mais arriscados, mais do que possuir uma carteira diversificada e estabilidade financeira, é necessário um olhar analítico e estratégico. Caso contrário, as perdas podem afetar o que você tem construído com tanto empenho. 

Por isso, descubra agora com quem você pode contar para obter um alto potencial de remuneração com aplicações financeiras, independentemente de qual seja o seu perfil e quais sejam os seus objetivos.

Potencialize seus ganhos e amenize qualquer perda com a Magnetis 

Ao aplicar em investimentos de alto risco, é necessário colocar em prática conhecimentos avançados acerca do mercado e das condições oferecidas por cada ativo. Para investir de forma a diminuir a possibilidade de perda, o investidor deverá ainda diversificar de maneira estratégica e sem correlação. 

Porém, antes de se desesperar, saiba que a solução pode ser mais simples do que você imagina. Na Magnetis, você enfrenta qualquer dor de cabeça para analisar empresas, fundos e condições em busca das escolhas mais adequadas para tornar seus sonhos realidade. 

Somos destaque na gestão de investimentos, e aqui o risco não precisa ser uma preocupação. Afinal de contas, as carteiras Magnetis são desenvolvidas de acordo com os seus principais objetivos, sem deixar de considerar a sua tolerância às flutuações do mundo financeiro. 

Ao escolher investir conosco, você conta com uma análise de mais de 20.000 ativos completamente automatizada, desenvolvida através do suporte de um time completo de especialistas. 

Isso garante um portfólio de ativos 100% alinhado com as suas necessidades e metas, além de promover uma hiperdiversificação que você dificilmente alcançaria por conta própria – são mais de 145 mil combinações possíveis de ativos descorrelacionados. 

Venha descobrir que dinheiro não precisa ser um problema e que potencializar seus ganhos é uma tarefa para quem realmente entende do assunto: a Magnetis

Caroline Dubard
Caroline Dubard

formada em marketing e apaixonada por conteúdo. Tem experiência em marketing digital, performance e branding. Atualmente, lidera as estratégias de marketing de conteúdo da Magnetis.

leia mais desse autor