Qual é o melhor investimento de curto prazo?

por Malena Oliveira

Você tem vontade de investir, mas tem medo de deixar seu dinheiro preso em uma aplicação financeira? Não se preocupe! Neste artigo, você vai descobrir qual é o melhor investimento de curto prazo. Confira!

O que é um investimento de curto prazo

A grande vantagem de uma aplicação de curto prazo é a possibilidade de resgatar o montante investido e os rendimentos dentro de um curto período de tempo, sem prejuízo para o investidor.

No vocabulário do mercado financeiro, essa característica é chamada de liquidez diária. Isso significa que o dinheiro aplicado está rendendo, mas se você decidir sacá-lo após um curto período de tempo, não haverá nenhum impedimento.

É claro que essa disponibilidade tem o seu preço. Os investimentos de renda fixa estão sujeitos ao Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e ao Imposto de Renda (IR), ambos regressivos.

O IOF incide nos primeiros 30 dias da aplicação e a alíquota pode consumir até 99% da rentabilidade.

Já o IR estabelece faixas de cobrança conforme o tempo em que o dinheiro permanecer aplicado. A alíquota começa começa em 22,5% para aplicações com prazo menor do que seis meses (180 dias) e vai diminuindo até 15%, para aplicações acima de dois anos (720 dias).

Isso significa que se você aplicar seu dinheiro em um determinado dia e retirar no dia seguinte, o seu lucro será completamente consumido pelos impostos.

Além disso, normalmente os investimentos de curto prazo proporcionam um rendimento um pouco menor do que os de longo prazo, nos quais o investidor pode até ter prejuízo se sacar o dinheiro antes do prazo de vencimento.

É possível perder dinheiro na poupança?

É melhor deixar o dinheiro na poupança do que na conta-corrente ou guardado em casa, mas isso não significa que ela seja o melhor investimento.

E aqui vai uma informação que muitas pessoas desconhecem: os juros da poupança são calculados sobre o menor saldo de cada mês. Eles são depositados sempre no aniversário da abertura da conta, uma vez por mês.

Ou seja, o dinheiro aplicado e retirado da poupança em menos de um mês, dificilmente renderá algum valor. Daria menos trabalho manter o dinheiro parado na conta corrente.

Além disso, o rendimento da poupança não tem mecanismos de proteção contra a inflação, podendo ficar abaixo dos índices. Na prática, isso significa que a inflação pode corroer o poder de compra do dinheiro na caderneta e, assim, fazer uma pessoa perder dinheiro.

[Simulador de poupança BlackRock]

O melhor investimento para o curto prazo

Se a poupança não é uma solução vantajosa, a pergunta que se faz é a seguinte: qual é a modalidade de investimento mais interessante para quem não deseja se comprometer com meses ou anos de dinheiro preso em uma aplicação?

A resposta para essa indagação não é tão simples. Isso porque devemos levar em consideração o perfil de cada investidor e também seus objetivos.

Há pessoas que têm muito dinheiro para investir, enquanto outras têm apenas uma pequena quantia. Há quem esteja disposto a correr um risco maior, enquanto há quem prefira segurança, mesmo que isso signifique um rendimento menor.

Por isso, vamos listar algumas possibilidades de investimentos de curto prazo que, assim como a poupança, também são seguros. Com isso, você poderá avaliar quais delas são mais adequadas para suas necessidades.

Vamos apresentar quatro modalidades de investimentos de renda fixa, alta liquidez e baixo risco, porém com possibilidade de rendimentos melhores do que a poupança.

LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário ou do Agronegócio oferecem uma grande vantagem: são isentas de IR. Essas aplicações também contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que cobre investimentos de até R$ 250 mil por instituição, até o limite de R$ 1 milhão por CPF.

É possível encontrar no mercado opções com prazo de vencimento de um ano, seis meses ou três meses.

O rendimento de uma LCI ou LCA geralmente é expresso em porcentagem (%) do CDI, o índice referência das aplicações mais seguras do mercado. Elas costumam pagar mais do que a poupança quando o seu rendimento está acima de 90% do CDI.

Geralmente, as corretoras e os bancos médios costumam oferecer os melhores rendimentos. Essa é a forma de eles competirem com os grandes bancos.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é uma aplicação em que o correntista empresta dinheiro ao banco e é remunerado por isso. Aqui, mais uma vez, instituições financeiras de pequeno ou médio porte tendem a oferecer rentabilidades mais atraentes.

Quem escolhe aplicar o seu dinheiro em CDB deve prestar atenção em um detalhe muito importante. É que, ao contrário da LCI e da LCA, os rendimentos do CDB estão sujeitos ao IR. Portanto, esse desconto deve ser levado em consideração no momento de calcular a rentabilidade líquida.

O CDB rende mais do que a poupança quando é remunerado em 100% do CDI. Ele é mais vantajoso do que as LCIs e LCAs quando rende acima desse porcentual.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um dos tipos de investimento mais populares e seguros do país. Parte desse sucesso se deve à liquidez diária e à acessibilidade da aplicação: é possível começar com menos de R$ 100.

Ao contrário do que acontece com a LCI e a LCA, os títulos do Tesouro Selic não contam com a proteção do FGC, mas isso não significa que sejam menos seguros.

Os chamados títulos públicos nada mais são do que pequenas parcelas da dívida pública do Federal. Ou seja, eles são garantidos pelo próprio governo brasileiro por meio do Tesouro Nacional.

Nuconta

Além do cartão de crédito sem anuidade, o Nubank também oferece uma conta digital gratuita: a Nuconta.

A Nuconta hoje rende 100% do CDI e é semelhante a um CDB de liquidez diária. É uma alternativa interessante mesmo para quem não tem o cartão, uma vez que não é preciso ter crédito aprovado pelo Nubank para abrir a conta.

Investimentos de curto prazo e reserva financeira

Por fim, não poderíamos encerrar este artigo sem antes mencionar uma das principais funções de um investimento de curto prazo: a constituição de uma reserva de emergência.

Ter uma reserva, ainda que pequena, é muito importante para começar a investir. Ela vai ajudar caso você tenha de atravessar períodos de turbulência ou arcar com despesas imprevistas, como o conserto de algum item de casa ou o pagamento de uma multa. Assim, não vai ser preciso mexer nas suas aplicações de médio ou longo prazo.

Agora que você já sabe que é possível obter um bom rendimento, mesmo em investimentos de curto prazo, não perca tempo! Descubra qual é a melhor aplicação para o seu perfil e faça o seu dinheiro trabalhar por você. Além de proteger suas economias da inflação, isso também encurta o caminho até as suas metas financeiras.

Gostou deste artigo? Então, assine a nossa newsletter e tenha acesso a outros artigos como este diretamente no seu e-mail!

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

Qual é o melhor investimento de curto prazo?
Avaliar o post