Investimentos de baixo custo que você precisa conhecer!

por Luiza Caricati | 08/07/2019

Investimentos de baixo custo que você precisa conhecer!

Ainda persiste a ideia errada de que investimentos são para pessoas que têm muito dinheiro. É claro que existem aplicações destinadas a quem tem mais recursos, mas você sabia que o mercado também oferece boas opções de investimentos de baixo custo?

Elas podem ser interessantes para quem está começando a investir e quer formar uma reserva financeira, ou ainda alcançar certos objetivos e metas que não dependam de valores muito altos.

Para guiar você, indicamos uma série de aplicações que não exigem tanto do seu bolso. Descubra quais são os melhores investimentos de baixo custo!

1. Tesouro Direto

O Tesouro Direto é cada dia mais conhecido. Ele é uma opção de investimento versátil, o que inclui aqueles interessados em investir pequenas quantias.

Além disso, ele consegue entregar segurança e uma boa rentabilidade, principalmente quando comparado a opções mais tradicionais, como a caderneta de poupança.

A segurança do Tesouro Direto vem do Tesouro Nacional, que emite os títulos negociados na plataforma. Essa emissão de títulos é feita para que o Estado consiga captar recursos e financiar suas atividades.

Na prática, quem compra um título do Tesouro Direto está emprestando dinheiro ao governo, que se compromete a pagar de volta a quantia acrescida de juros.

Como mesmo nas piores condições é pouco provável que o Estado não honre o pagamento dos títulos, o Tesouro Direto se torna um investimento bastante seguro. É possível investir em frações de títulos do Tesouro Direto. Com isso, você pode começar com aplicações a partir de pouco mais de R$ 30.

Para a começar a investir no Tesouro Direto basta procurar um banco ou uma corretora, que fará o cadastro na plataforma do Tesouro — o que permite fazer a compra e a venda dos títulos.

Nesse momento, é preciso conhecer a diferença entre títulos prefixados (cuja remuneração é conhecida no instante da compra), pós-fixados (no qual os rendimentos oscilam de acordo com determinados índices, como juros e inflação) e híbridos (quando contemplam características de ambos os tipos).

Além disso, é necessário conhecer as taxas e os tributos cobrados nessa modalidade de investimento, bem como o prazo de vencimento do título.

Dependendo do seu objetivo, prazos muito longos podem não ser interessantes, uma vez que podem resultar em perdas caso o dinheiro seja resgatado antes da hora.

2. CDBs

Os Certificados de Depósito Bancários (CDBs) são outra opção para quem procura investimentos de baixo custo. Esses papéis são emitidos por bancos que buscam captar recursos no mercado.

Logo, quem investe em CDBs está emprestando dinheiro a essas instituições financeiras. Assim como no Tesouro Direto, os títulos podem ser pré ou pós-fixados.

Quando adquirido em instituições robustas, os CDBs se mostram opções muito seguras. Além disso, essas aplicações são cobertas pelo FGC, que assegura depósitos de até R$ 250 mil por CPF caso o banco enfrente problemas que comprometam a aplicação.

O valor mínimo para investir em CDBs varia de acordo com o banco, mas é possível encontrar alternativas que começam na faixa de R$ 100.

Antes de investir, é importante conhecer os prazos e as regras de resgate, já que é comum bancos não permitirem que o dinheiro seja sacado antes do vencimento do título. Por fim, é importante ressaltar que parte do rendimento é levado pelo Imposto de Renda.

3. LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) têm funcionamento bastante similar, o que faz com elas quase sejam sempre mencionadas juntas.

Ambas as modalidades de investimento têm como intuito levantar dinheiro para dois setores muito importantes da economia: o mercado imobiliário e o agronegócio.

Isso faz com que essa aplicação conte com uma vantagem bastante interessante: a isenção do Imposto de Renda. O risco envolvido nas LCAs/LCIs é bastante baixo, já que é um investimento coberto pelo FGC.

Os títulos também são divididos entre pré e pós-fixados. No caso das LCIs, existem opções a partir de R$ 500, dependendo da instituição financeira. As LCAs exigem aportes maiores.

4. Fundos de investimento em renda fixa

Fundos de investimento são a reunião de diversas pessoas interessadas em obter recursos para investir em diversos ativos. O dinheiro acumulado fica sobre a supervisão de um gestor, que define qual será a estratégia de investimento daquele determinado fundo.

Os fundos de renda fixa investem pelo menos 80% dos recursos disponíveis em aplicações de renda fixa (como títulos do Tesouro Direto, CBDs, LCA e LCIs). A remuneração dos fundos mais conservadores costuma acompanhar o CDI, que fica sempre próximo à taxa SELIC — juros básicos da economia.

Os prazos para resgate variam, mas a maioria das opções foca no médio e no longo prazo. Já os valores mínimos para começar mudam de acordo com banco, mas com alguma pesquisa é possível encontrar fundos que aceitam investimentos iniciais de R$ 500.

5. NuConta

A NuConta é a conta de pagamentos do Nubank, startup já reconhecida pelo seu cartão de crédito sem anuidade gerenciado por meio de aplicativo para smartphone.

Todo depósito feito na NuConta é aplicado em títulos públicos, o que a transforma em um dos tipos de investimentos de baixo custo mais interessantes.

Os rendimentos são diários e acompanham o CDI. É possível pagar contas e transferir os valores depositados. Aos poucos, os saques em dinheiro e as compras via cartão de débito estão sendo liberados para os clientes.

Os títulos em que o dinheiro é investido não ficam no nome do titular da conta, e a NuConta também não tem a proteção do FGC. Por outro lado, por se tratar de uma conta de pagamentos, os valores depositados ficam separados do patrimônio do Nubank, o que evita que eles sejam bloqueados caso a empresa enfrente problemas.

Para abrir uma NuConta, basta fazer a solicitação pelo aplicativo do Nubank e aguardar a liberação, que costuma acontecer sem muita burocracia. Não há valor inicial mínimo para começar a investir na NuConta e também não são feitas análises de crédito.

Quem está à procura de investimentos de baixo custo deve observar seu perfil de investidor, traçar quais são seus objetivos e buscar entender mais sobre cada opção de aplicação, sempre à procura daquela que satisfaça melhor suas necessidades.

De todo modo, o ideal é começar a investir o quanto antes, ainda que não com valores tão altos!

Quer saber mais sobre os diversos tipos de investimento disponíveis no mercado? Então baixe gratuitamente nosso guia completo sobre os tipos de investimento!

Avaliar o post