Como fazer investimentos mais inteligentes?

por Malena Oliveira

Muita gente deixa de ganhar dinheiro por não saber fazer investimentos inteligentes. Às vezes, a pessoa ouve alguém dizer que ganhou bastante em determinada aplicação, se entusiasma e até investe com a expectativa de ter o mesmo resultado.

Porém, não funciona bem assim na prática. Afinal, o mercado é dinâmico e há diversas variáveis que determinam o retorno de um investimento: condições da economia, taxa de juros, aplicação inicial, custos de investir, aplicações adicionais e assim por diante.

Desde já, é importante você saber que não existe mágica para ganhar dinheiro no mercado financeiro. Na verdade, é preciso estudar sobre investimentos e definir alguns critérios bastante particulares para fazer boas escolhas. Com isso, aumenta-se as chances de obter rendimentos satisfatórios.

A seguir, entenda alguns conceitos sobre investimentos inteligentes e aprenda a tomar atitudes adequadas aos seus objetivos financeiros. Fique com a gente até o fim e veja como é possível aplicar seu dinheiro com mais eficiência!

Que tipos de investimentos existem no mercado financeiro?

O mercado financeiro é bastante complexo, mas, com paciência e disciplina, você consegue entender como optar pelas melhores aplicações para a sua realidade. Em geral, os investimentos podem ser enquadrados em duas classes: a renda fixa e a renda variável.

Na família da renda fixa, a aplicação é parecida com um empréstimo, que pode ser para o governo, para um banco ou para uma empresa. Assim, a pessoa oferece certa quantia para uma instituição em troca de uma taxa de juros (a rentabilidade do ativo). Na maior parte das vezes, o risco perda é bem pequeno na renda fixa, principalmente nos investimentos cobertos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

É claro que existem diferentes títulos de renda fixa, com características próprias no que diz respeito a valor mínimo para aplicação, prazo para resgate, taxa de retorno, prazo para pagamento do rendimento etc.

Por isso mesmo, para fazer investimentos inteligentes, o indivíduo precisa conhecer o produto em questão, de modo a escolher a aplicação que mais se encaixa nos objetivos financeiros para o curto, o médio e o longo prazo.

São exemplos de ativos de renda fixa:

  • títulos do Tesouro Direto;
  • Certificado de Depósito Bancário (CDB);
  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • fundos de renda fixa e alguns fundos multimercado;
  • debêntures.

 

Já na renda variável, os preços dos ativos tanto podem subir quanto cair. Tais aplicações são mais arriscadas justamente pelas oscilações que elas apresentam. Porém, o potencial de ganho é maior em comparação com a renda fixa.

Os investimentos de renda variável mais comuns são:

  • ações;
  • fundos de ações e alguns fundos multimercado;
  • derivativos (opções, contratos futuros);
  • ETFs;
  • fundos imobiliários (FIIs).

Como fazer investimentos inteligentes?

Não existe fórmula mágica para ganhar dinheiro no mercado financeiro, logo, o que é bom para um amigo pode não ser indicado para a sua realidade. Por isso, é necessário fazer escolhas de investimentos embasadas em seu perfil e nos seus objetivos para fazer aplicações seguras e potencializar os ganhos.

Para tanto, você precisa identificar qual é o nível de risco que você tolera e assim determinar se o seu perfil é conservador, moderado ou arrojado.

De maneira simples, é conservador quem prioriza a manutenção do capital e, portanto, quer evitar perdas. O moderado quer preservar o patrimônio, mas aceita algum risco em troca de uma maior rentabilidade maior em sua carteira de investimentos. Por fim, arrojado é aquele que coloca o rendimento dos ativos em primeiro lugar ainda que o risco seja mais alto.

Depois disso, você deve ir em busca dos investimentos que mais se encaixam no seu perfil. Assim, quem é conservador geralmente não investe no mercado de ações, devido às chances de perda nesse mercado. Ao contrário, pessoas desse perfil preferem a renda fixa.

Para escolher investimentos inteligentes, também é preciso conhecer as características de cada produto do mercado financeiro, de modo a fazer escolhas próprias para a realidade da pessoa. Com isso, ter a ajuda de um profissional especializado, como um consultor de investimentos, pode ser útil na hora escolher entre ativos.

Afinal, o suporte desse especialista permite que a pessoa não precise perder tempo ao analisar os detalhes de cada aplicação do mercado financeiro. Na verdade, o  consultor já faz uma seleção dos ativos que mais se adaptam ao perfil do cliente.

Hoje em dia, com as facilidades da internet, é possível contratar uma consultoria de investimentos online por um preço atrativo e com uma relação de custo/benefício vantajosa. Por exemplo, em alguns casos, a pessoa só paga depois de ultrapassar determinado valor na carteira de investimentos. Além disso, os planos podem ser customizáveis conforme o perfil do cliente. Assim, quem é iniciante não paga o mesmo valor pelo serviço de quem já tem um capital considerável aplicado.

Por que é importante diversificar os investimentos?

Fazer investimentos inteligentes passa pela diversificação das aplicações. De modo geral, essa estratégia serve para distribuir o risco dos ativos, já que o patrimônio não fica concentrado num só investimento, além de aumentar as chances de ganhos.

Você já ouviu o conselho de que não se deve colocar todos os ovos na mesma cesta? Pois é, se isso é feito, a pessoa corre o risco de perder tudo em caso de um acidente, não é verdade?

Então, a diversificação de investimentos segue essa lógica simples, mas eficaz. Ao espalhar o risco, se algo der errado com alguma aplicação, o ganho em outra pode compensar essa eventual perda. Assim, no fim das contas, o que importa é a rentabilidade positiva de toda a carteira de investimentos.

Agora que você já entende como fazer investimentos inteligentes, que tal começar a ver na prática como isso é possível? Faça um teste para descobrir o seu perfil de tolerância a risco e confira quais são as aplicações mais adequadas para a sua realidade! É fácil e gratuito!

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

Como fazer investimentos mais inteligentes?
Avaliar o post