Magnetis Update 2020
dia 21/10 às 18h online e gratuito
X inscreva-se e garanta a sua vaga
Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Entenda quais foram os resultados e o que o influenciou no IPO da Centauro

biblioteca financeira

Muitos brasileiros conhecem a Centauro, uma rede de lojas de roupas e artigos esportivos espalhadas pelos shoppings do país. O que talvez muita gente não saiba é que em abril de 2019 ocorreu o IPO da Centauro. Agora, dá para investir nas ações da empresa.

Criada há 40 anos, a companhia é considerada a maior varejista de produtos esportivos da América Latina. A rede abriu capital na bolsa para aumentar o número de lojas, realizar reformas nas unidades e pagar dívidas.

A Centauro tem parcerias com as principais marcas esportivas, como Nike, Adidas e Puma, entre outras. Também vende marcas próprias, como Oxer, Adams, Nord e X7, o que proporciona maior rentabilidade à companhia.

Neste post, veja como foi a oferta pública inicial de ações da Centauro e entenda se vale a pena aplicar dinheiro na empresa.

Como foi o IPO da Centauro em 2019?

A oferta primária de ações da Centauro vendeu 61.776.000 novos papéis, sendo que todo o recurso teve efeito de caixa para a companhia. Não houve oferta secundária de ações, e os controladores não venderam suas participações.

O grupo SBF, controlado pelo sócio-fundador da empresa, Sebastião Bomfim Filho, detém a marca Centauro e tem uma fatia de 45,6% da empresa. Ela é dividida com a GP Investimentos, que é dona de 26,3%. Os 28,1% restantes ficam nas mãos de quem investe na bolsa.

A companhia já havia tentado abrir seu capital em novembro de 2017. Naquele momento, além dos IPOs, os controladores buscaram uma venda de participação direta.

Quais são os valores de rendimento do IPO da Centauro?

Em sua estreia na bolsa de valores, a Centauro (CNTO3) captou R$ 772 milhões. Com os recursos, a empresa tinha como objetivo:

  • reformar lojas existentes e abrir novas (R$ 202,3 milhões);
  • reforçar o capital de giro (R$ 65 milhões);
  • amortizar parte das suas dívidas (R$ 340 milhões);
  • fortalecer o modelo de negócios de canal único (R$ 60 milhões).

O preço por ação foi definido em R$ 12,50. Esse valor ficou um pouco acima do mínimo da faixa indicativa, de R$ 12,10 a R$ 14,70. Desde então, a ação passou a se valorizar. Antes da pandemia, em fevereiro de 2020, o preço do papel chegou a atingir R$ 42. Depois, retrocedeu e, atualmente, está sendo negociado por R$ 30.

O que influenciou o resultado do IPO da Centauro?

Alguns fatores colaboraram para o resultado do IPO da Centauro. Confira a seguir.

Reestruturação financeira da empresa

A Centauro vai usar parte do dinheiro arrecadado em sua oferta pública inicial de ações para pagar uma dívida com custo elevado. Na época do IPO, esse endividamento ainda representava 11,2% do custo anual da empresa. Além disso, ela veio renegociando dívidas, aproveitando a queda dos juros no país.

Esse conjunto de iniciativas é mais um esforço da empresa para se recuperar de uma situação financeira frágil pela qual passou em 2015. Os motivos foram o real depreciado, atingindo seus produtos, e a alta taxa de juros, chegando a 14%, levando a empresa a tomar crédito caro.

Crescimento do segmento

O varejo de artigos esportivos ainda encontra bastante espaço para crescer no país, acima da média do segmento. O mercado fitness e a demanda por um estilo de vida saudável são os principais drivers desse crescimento.

Como o nicho é pulverizado, grandes redes como a Centauro têm potencial para consolidá-lo, por conta de um maior poder de negociação com os fornecedores.

Apesar de ter umas 200 lojas em uma centena de cidades pelo país, a Centauro ainda corresponde a 5,5% das lojas físicas do segmento. Inclusive, sua receita se concentra na região Sudeste.

Cenário positivo do EBITDA

Considerando um crescimento da receita líquida da empresa, analistas projetam um aumento na margem EBITDA para 13% este ano. Em 2018, ela era de 11,5% e, em 2015, no período de maior crise da empresa, a margem era equivalente a 1,3%.

Ainda assim, a margem da empresa é considerada baixa por analistas, uma vez que os custos da operação física pesam sobre o resultado.

Quais são as projeções da Centauro para o futuro?

A maior parte dos negócios da Centauro são provenientes de vendas em suas lojas físicas, a maioria localizadas em shoppings. Contudo, está previsto no modelo de negócios da empresa integrar cada vez mais os canais de vendas.

Em 2017, a rede inaugurou sua primeira loja da geração 5, com conceito de omnichannel. Nessas lojas é possível, por exemplo, trocar ou retirar um produto adquirido pela internet. Isso proporciona maior rentabilidade para a empresa, menor tempo de entrega e custo reduzido de frete para os consumidores.

Essas lojas também investem na experiência de compra. Permitem testar calçados de corridas em esteiras e pagar a compra diretamente com o atendente. Também têm provadores inteligentes, com tela interativa que descreve as peças provadas. Por fim, personalizam itens, como chuteiras, camisetas de futebol e raquetes.

Mas o investimento nessas lojas é alto, e demandará tempo para que toda a rede seja reformada e enquadrada no conceito.

A maior oportunidade que pode ser capturada por quem investe é o crescimento das vendas digitais no segmento. A Centauro já atua no modelo marketplace, e a expectativa é de que as vendas digitais correspondam a 25% do faturamento da empresa neste ano. Contudo, o valor ainda é considerado baixo por analistas.

No comércio eletrônico, a Centauro enfrenta concorrentes que têm toda a sua receita no comércio digital, como a Netshoes. Portanto, é necessário migrar o modelo mais rapidamente para ganhar maior competitividade.

O negócio da empresa está ligado ao desempenho do emprego e da renda no país. Por isso, a pandemia do novo coronavírus torna mais incertas as projeções da Centauro para os próximos anos. A crise tende a impactar a companhia, ainda mais com a lenta retomada do consumo em shoppings, onde ficam a maioria das lojas da rede.

Vale a pena comprar ações da empresa?

O varejo é um negócio sazonal, sustentado por datas comemorativas, como Dia dos Pais e Natal, e grandes campanhas de descontos, como a Black Friday. Por isso, a variação de vendas ao longo do ano tende a fazer o papel oscilar bastante. Aliás, isso acontece com a maior parte das aplicações na bolsa e no mercado futuro. Isso se aplica ainda mais em um período de maior incerteza em relação ao consumo, como na atual recessão.

Por isso, o investimento em ações da Centauro é indicado para o longo prazo. Mesmo assim, é necessário monitorar as notícias sobre a empresa e o comportamento de seus papéis ao longo do tempo. Gostou de saber como foi o IPO da Centauro? Entre em contato e conte com a gente para rentabilizar seus investimentos!