4 lições de grandes investidores para fazer investimentos inteligentes

por Malena Oliveira | 18/02/2019

lições de grandes investidores

Aprender com as lições de grandes investidores é uma forma mais inteligente de investir e, assim, chegar mais rápido aos seus objetivos financeiros. A frase atribuída a Isaac Newton, segundo a qual ele só enxergou mais longe pelo fato de estar apoiado nos ombros de gigantes, mostra bem a importância de se observar os conselhos dos mestres de cada área.

No universo dos investimentos, não é diferente, você sabia? Grandes nomes se destacaram ao longo da história, com uma multiplicação considerável de patrimônio, devido à aplicação de certos conceitos e técnicas. Com o sucesso obtido com as decisões que tomaram, esses investidores se tornaram fontes de inspiração para quem quer trilhar o mesmo caminho de prosperidade no mercado financeiro.

Confira, a seguir, 4 lições de grandes investidores e passe a aplicar seu dinheiro de maneira mais eficiente e rentável!

1. Compre e segure (buy and hold)

A estratégia de investimentos em ações “buy and hold” é um dos legados de Benjamin Graham, autor do famoso livro “O Investidor Inteligente” e um dos inspiradores de Warren Buffett.

E o que essa tática quer dizer? Na verdade, a pessoa que investe na bolsa de valores deve buscar conhecer o chamado valor intrínseco de uma companhia. O termo pode parecer um tanto complicado, mas ele quer dizer que o indivíduo precisa identificar o valor real da empresa, e não aquele que é enxergado na cotação da ação.

Por vezes, como numa crise econômica nacional, as ações de quase todas as companhias da bolsa estão em queda. Porém, isso não significa que todas elas tenham má saúde financeira. Na verdade, o ambiente de negócios é que fica pessimista de forma generalizada.

Assim, por meio da análise fundamentalista, que é um método de avaliar as empresas para investir, a pessoa pode escolher ações que estejam abaixo do valor intrínseco. Com isso, é possível ter uma margem de segurança para que a cotação cresça no futuro e haja lucratividade.

Logo, a estratégia do compre e segure só é recomendável quando o indivíduo faz o dever de casa de estudar quais são as ações que têm grande chance de subir no horizonte de longo prazo.

Afinal, no decorrer de alguns anos é que a cotação do papel vai passar a representar o valor real da companhia. Por isso, a estratégia é comprar e segurar a ação até ela chegar ao patamar de quanto o negócio vale de fato.

2. Tenha disciplina emocional

Não é à toa que Warren Buffett figura entre os nomes mais ricos do mundo. A Berkshire Hathaway, holding que reúne os negócios desse bilionário, obtém lucros há anos. E qual seria o segredo do sucesso? Na verdade, são vários, mas um deles é a disciplina emocional.

Para Buffett, a pessoa não precisa ter uma inteligência acima da média para alcançar resultados significativos no mercado de ações, sendo necessário — isso sim — ter conhecimento sobre o mercado na hora de tomar decisões, de modo a não se deixar envolver pelas emoções.

Nesse sentido, o bilionário alerta que a pessoa deve ter uma estratégia de investimentos e, assim, não tem que mudar de posição a todo instante, conforme notícias otimistas ou pessimistas aparecem.

Na verdade, Buffett sugere que é possível, sim, lucrar com a insensatez dos outros. Para ele, o indivíduo deve ter cuidado quando a maioria estiver eufórica e ter euforia quando a maior parte estiver cuidadosa. Tal conselho serve para evitar o chamado comportamento de manada, em que a pessoa segue por impulso o que o grupo dominante faz no momento.

Por ser seguidor das ideias de Benjamin Graham, Warren Buffett é um dos entusiastas da estratégia do Value Investing (investimento em valor). Logo, quem busca por lições de grandes investidores deve ter consciência de que essa tática prioriza a aplicação de recursos em empresas com boa saúde financeira e que tenham grandes expectativas de crescimento no longo prazo.

3. Invista no que você conhece

Peter Lynch, que por anos foi o gestor do Fidelity Magellan Fund, um dos fundos de ações mais bem sucedidos do mundo, recomenda que as pessoas invistam em empresas que conhecem ou de que são clientes.

Por vezes, um erro em investimentos é o indivíduo aplicar recursos num negócio com o qual ele tem pouca afinidade. Com isso, as chances de ser levado por informações falsas ou tendenciosas são grandes.

Ao contrário, se a pessoa conhece o ramo de negócios da companhia em questão, seja por estudo, seja por experiência prática, a probabilidade de acertar nas decisões tomadas é maior.

Lynch também sugere que o indivíduo não aplique em um número de empresas maior do que sua capacidade de lidar. Assim, para quem não investe profissionalmente, ter que acompanhar negócios demais com frequência pode ser algo bastante difícil.

Por isso, simplificar a carteira de ações por meio da aplicação em um número reduzido de papéis é uma maneira de você se manter focado na sua estratégia de investimentos.

Nesse sentido, os fundos de investimento e os ETFs (do inglês, Exchange Traded Funds) podem ser bastante úteis. Eles são estruturas geridas por profissionais de investimentos que permitem uma aplicação de valor relativamente baixo em uma carteira pré-selecionada de ativos.

4. Saiba correr riscos

George Soros, fundador do Quantum Fund, é um dos homens mais ricos do mundo. Conhecido por ter quebrado o Banco da Inglaterra, ele é famoso por investir de forma especulativa em moedas.

Ainda assim, isso não significa que Soros tenha um perfil de tolerância a risco agressivo sem ter cuidado com os ativos em que aplica seu dinheiro. Na verdade, ele sabe que a postura que deve assumir precisa estar relacionada ao gerenciamento de risco.

Por vezes, a melhor decisão é não investir. Já em outras situações, é preciso controlar os riscos por meio da observação constante do mercado, para fazer escolhas rápidas.

Portanto, Soros inicialmente não vê problema em a pessoa correr riscos no mercado financeiro, desde que saiba lidar com eles. Ainda assim, ele adverte que não se deve colocar todo o capital numa operação, afinal, esse capital é a matéria-prima de quem quer investir.

Por fim, Soros salienta que em certos casos é preciso estar pronto para sair rapidamente de uma aplicação. Isso quer dizer que a pessoa não deve se apegar a um investimento para não perder dinheiro quando o mercado cair.

Porém, vale ressaltar que essa é uma estratégia para investimentos mais arriscados. Quando se trata de aplicações voltadas para o longo prazo, como um investimento em renda fixa ou fundos que investem nesses ativos, o potencial de ganhos aumenta com o efeito dos juros compostos.

Como você pôde notar, as lições de grandes investidores são bastante úteis para você prevenir equívocos e, assim, pular etapas no seu caminho de aprendizagem. Com isso, você evita ter prejuízos por tentativa e erro.

Quer aprender mais sobre como aplicar o seu dinheiro? Baixe gratuitamente o e-book "Guia completo sobre tipos de investimento"!

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

4 lições de grandes investidores para fazer investimentos inteligentes
5 (100%) 2 vote[s]