Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Você pode investir de um jeito melhor, e nós podemos provar.

Baixe o app!

Melhores investimentos 2021: tudo que você precisa saber para fazer sua escolha!

Investir seu dinheiro está entre as suas metas para 2021? Então, você chegou ao lugar certo. No guiaMelhores Investimentos da Magnetis você vai conhecer diversos tipos de investimentospara tirar o plano do papel.

O país e o mundo encaram a crise causada pela pandemia da Covid-19 e a recessão econômica. Apesar de esperanças em relação à vacina, ainda não há data para que atenda amplamente a população, com 100% de eficácia, e perduram dúvidas sobre a retomada da economia.

Neste post, você vai entender como esse cenário influencia suas decisões e quais são os investimentos ideais para diversos tipos de perfis e objetivos financeirosno novo ano. Aproveite a leitura!

Como começar a investir em 2021?

Muitas pessoas entendem a importância de organizar o orçamento para equilibrar suas receitas e despesas. Também está claro que guardar algum dinheiro para o futuro é importante.

Só que muitos se esquecem de que também é preciso investir bem esse dinheiro. Afinal, o rendimento da poupança está cada vez menor.

Isso acontece porque a Selic está atualmente em sua mínima histórica, no valor de 2% ao ano. E, atualmente, a poupança rende 70% da taxa Selic. Ou seja, perde para a inflação, que fecha 2020 com alta de cerca de 4,5%.

Mas, mesmo diante desse cenário, algumas pessoas ainda têm receio de tirar seu dinheiro da caderneta e fazer operações mais arriscadas. A questão é que existem alternativas igualmente seguras e que rendem mais que a poupança.

Descubra seu perfil de investidor

Você se convenceu a migrar seus investimentos a aplicações melhores? Então, a primeira coisa a se fazer é analisar seu perfil de investidor. Mas não pense que investir no que deu certo para seu amigo vai ser o mais adequado a você.

E esse alerta também vale para aquele investimento que rendeu muito no último ano. O bom resultado dos investimentos depende dos seus objetivos e necessidades.

Se você não sabe qual é seu perfil, será em momentos nos quais o mercado desaba, como no início da pandemia, que vai descobrir. Porém, da pior forma possível: com prejuízo. É isso mesmo!

É o perfil do investidor que define sua tolerância ao risco e o que espera dos investimentos com relação à segurança.

Para saber seu perfil do investidor basta realizar testes disponíveis em sites de educação financeira, sobretudo de corretoras.

O documento nessas instituições deve ser preenchido no momento do cadastro. É uma forma de a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) proteger os investidores de aplicações inadequadas.

Completar o formulário leva pouco tempo. No teste é analisada a situação financeira de quem quer investir, entre outros pontos, como:

  • fontes de renda;
  • idade;
  • formação;
  • patrimônio;
  • número de dependentes;
  • conhecimento sobre o mercado financeiro;
  • objetivos de curto, médio e longo prazos;
  • disponibilidade de reserva de emergência;
  • frequência e volume de aplicações;
  • tempo disponível para monitorar aplicações;
  • tolerância ao risco.

Como o cenário brasileiro influencia os investimentos?

Depois de entender seu perfil de investidor, se você quiser começar a investir em 2021 precisa acompanhar o cenário político e econômico para tomar a melhor decisão.

Em 2020, a pandemia do novo coronavírus criou um cenário de incerteza mundial — e no Brasil não foi diferente.

A perspectiva de desaceleração da economia aumentou a inflação e provocou a queda dos juros. O cenário econômico brasileiro, inclusive, tornou-se um desafio ao mercado financeiro.

A crise sanitária causada pela Covid-19 se prolongou mais que o esperado. E o governo tem dúvidas em relação à manutenção de um auxílio emergencial para a população, por exemplo.

Além disso, mesmo diante do desenvolvimento de vacinas pelo mundo, o Brasil enfrenta dificuldades em aprovar a compra dos imunizantes contra o vírus.

As operações que existem atendem apenas uma parcela da população. Como resultado, a recuperação da economia não será tão simples.

Mas isso não significa que você deva abrir mão dos seus investimentos ou da sua lucratividade.

Desde a crise de 2008, governos e bancos centrais do mundo todo começaram a tomar decisões mais ágeis e buscar medidas para minimizar impactos econômicos.

Assim, mesmo que o momento atual exija atenção redobrada, é possível escolher os melhores investimentos para não passar nenhum sufoco.

As perspectivas para 2021

O crescimento da economia brasileira dependerá da curva de achatamento das contaminações.

O respeito do Governo Federal pelo teto dos gastos públicos também é decisivo, já que mantém sua credibilidade perante os credores e investidores globais.

Há também uma grande expectativa em relação ao andamento de reformas prometidas, especialmente a tributária.

Com o avanço do desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus, já se vislumbra um crescimento de cerca de 2,5% do PIB em 2021, que será concentrado no segundo semestre do ano.

Analistas de mercado esperam que os juros subam, conforme a economia volte a um patamar pré-pandemia. Contudo, não veem razões para que não continue estruturalmente mais baixo que a média histórica.

Isso faz com que aplicações de renda fixa continuem a render menos nos próximos anos. Então, é necessário diversificar a carteira, combinado?

Problemas políticos também refletem no mercado financeiro. É importante ficar por dentro das principais mudanças propostas pelo Executivo.

Assim, você garante que seu dinheiro não seja aplicado em investimentos pouco vantajosos. Porém, todo momento de crise pode gerar oportunidades.

Investir em ouro, por exemplo, pode ser uma solução de diversificar sua carteira sem grandes prejuízos.

Afinal, como o metal é visto enquanto uma reserva de valor, ele ajuda a compensar o risco de outras aplicações em períodos de alta volatilidade.

Além do ouro, há outros investimentos que podem ser levados em consideração o cenário brasileiro. A seguir, veja como escolher o melhor investimento e garantir bons rendimentos.

Como escolher o melhor investimento?

Decidir qual é o melhor investimento envolve algumas questões muito particulares:

  • seu perfil ou como você lida com os riscos das aplicações;
  • seus objetivos financeiros;
  • se você já tem ou não uma reserva de emergência;
  • sua carteira de investimentos atual, caso tenha uma.

A sua experiência com investimentos também conta, pois não faz sentido sair da poupança e investir direto em ações ou outros ativos mais arriscados.

O ideal é começar aos poucos, entendendo primeiro como cada aplicação funciona. Depois de se familiarizar, você pode aumentar seus aportes e até testar outros investimentos.

Mas não se preocupe! Você não precisa ser especialista para investir bem nem de tanto dinheiro para dar os primeiros passos.

Uma consultoria de investimentos, por exemplo, pode ser a solução para resolver essa questão. E o melhor, você nem precisa se preocupar em monitorar o sobe e desce do mercado.

Melhores investimentos 2021: qual é a aplicação ideal?

Cada pessoa tem uma capacidade diferente de lidar com os riscos dos investimentos. Além do mais, cada objetivo influencia a escolha das aplicações financeiras ideais.

Pensando nisso, reunimos uma lista dos melhores investimentos para 2021, considerando diferentes perfis e prazos de realização dos objetivos. Veja só!

Reserva de emergência

Antes de pensar em investir conforme seus objetivos financeiros é necessário pensar em um aspecto primordial: a reserva de emergência.

Ter um dinheiro aplicado para gastos imprevistos deve ser o objetivo prioritário de qualquer pessoa — não importa o perfil de investidor.

E não é porque a Selic está em seu valor mínimo histórico que não vale mais a pena ter uma reserva de emergência composta por aplicações de renda fixa.

O ponto primordial da reserva de emergência é ter aplicações com liquidez, que podem ser resgatadas a qualquer momento sem risco de prejuízo.

As melhores opções para constituir uma reserva de emergência são:

  • Tesouro Selic;
  • CDBs com liquidez diária;
  • fundos DI.

O título Tesouro Selic continua sendo a melhor opção para esse objetivo, já que acompanha o valor da Selic. Portanto, atualmente a aplicação rende mais que a poupança e tem liquidez diária.

Isso quer dizer que seu dinheiro pode ser resgatado a qualquer momento, sem risco de perda do principal investido.

Os CDBs com liquidez diária e fundos DI são outras opções atrativas. Entretanto, é necessário buscar alternativas que rendam ao menos 100% do CDI.

Isso torna o CDB compatível à performance do Tesouro Selic e mais rentável que a poupança. Nos fundos, conferir as taxas cobradas, que devem ser mínimas para que o investimento valha a pena.

Investimentos para perfil conservador

Esses tipos de investimento são mais indicados a quem quer ter previsibilidade nos rendimentos.

Também são boas alternativas a quem quer ter seu dinheiro sempre à mão ou deseja realizar um objetivo em prazo mais curto. Fazer uma viagem ou comprar um imóvel, por exemplo.

Veja abaixo os melhores Investimentos para 2021 se você tem um perfil conservador:

  • curto prazo: Tesouro Selic, CDB de liquidez diária e fundo de renda fixa.
  • médio e longo prazos: CDB, LCI, LCA e previdência privada.

Investimentos para perfil moderado

Essas aplicações são mais adequadas a quem quer incrementar seus rendimentos e testar novas modalidades de investimento.

Também são boas alternativas para a pessoa que quer deixar o dinheiro rendendo por mais tempo. Ou para quem tem um objetivo de médio prazo — entre três e cinco anos.

Veja abaixo os melhores investimentos para 2021 a quem tem perfil moderado:

  • curto prazo: CDB de liquidez diária, fundo de renda fixa, fundo multimercado, fundo de ações, ETFs e fundo imobiliário.
  • médio e longo prazos: CDB (indexado ao IPCA), LCI, LCA, fundos de crédito privado, investimentos no exterior e previdência privada.

Investimentos para perfil arrojado

Essas são alternativas ideais para alguém que deseja ter uma rentabilidade maior e aceita correr mais riscos.

Também são investimentos indicados para quem tem objetivos com prazo mais longo: acima de cinco anos.

Veja abaixo quais são os melhores investimentos para 2021 a quem tem um perfil arrojado:

  • curto prazo: CDB de liquidez diária, fundo de renda fixa, fundo multimercado, ações, ETFs e fundo imobiliário.
  • médio e longo prazos: CDB (indexado pelo IPCA), LCI, LCA, fundos de crédito privado, debêntures incentivadas, investimentos no exterior, debêntures, CRIs, CRAs e previdência privada.

Como você viu, algumas aplicações se repetem, sobretudo as de renda fixa: CDB, LCI e LCA. Isso porque elas representam um colchão que protege contra o sobe e desce do mercado.

Como consequência, tornam sua carteira de investimentos mais resistente a diferentes cenários econômicos, ainda que você tenha um perfil arrojado.

Outro detalhe importante: procure investir por meio de um banco médio ou uma corretora. Nos grandes bancos, essas aplicações geralmente são mais caras e oferecem um retorno menor.

Investimentos de curto prazo: por que valem a pena e quais são os melhores?

Os investimentos de curto prazo valem a pena principalmente pela alta liquidez. Em pouco tempo é possível obter bons lucros, mesmo em períodos de crise econômica.

Investimentos de curto prazo são ágeis e simples. O resgate geralmente acontece com rapidez, sendo uma alternativa interessante em um objetivo específico, como uma viagem.

Ativos de curto prazo são fundamentais para diversificar a carteira, tanto para pessoas mais experientes quanto iniciantes. A seguir, veja quais são os melhores investimentos de curto prazo para 2021.

Aplicações de renda fixa

Liquidez, segurança e custos baixos de operação são características essenciais dos investimentos de renda fixa.

Para garantir um bom retorno, porém, as aplicações de curto prazo devem ser pós-fixadas, isto é, apresentar retorno atrelado ao CDI.

Dessa forma, você garante mais estabilidade e corre menos riscos nas suas aplicações. Em 2021, os melhores investimentos de curto prazo de renda fixa são:

É necessário, porém, ter cautela com aplicações de renda fixa em 2021. Como o Brasil passa por um período de incertezas e desaceleração da economia, os títulos atrelados à taxa Selic perderam um pouco da atratividade.

Algumas rentabilidades foram comprometidas, mas, em geral, investimentos de renda fixa conseguem oferecer aplicações a diferentes tipos de perfil.

O importante, no momento, é tomar cuidado e ter discernimento para saber quanto risco você pretende correr.

Bolsa de valores

Se deseja potencializar seus resultados, os investimentos de curto prazo mais vantajosos são os ativos negociados na bolsa de valores.

Isso porque em momentos de crise existem oportunidades na bolsa que nem sempre estão disponíveis em períodos estáveis.

As incertezas causadas pela pandemia levaram muitas pessoas a se desfazerem de suas ações. Com a queda dos preços, é possível encontrar papéis com valores baixos, tornando o momento propício para aplicar no ativo.

Contudo, o mais indicado é montar a carteira de ações devagar, concentrando a atenção em empresas estáveis.

Procure companhias com resultados promissores, geração de caixa forte, alavancagem baixa e bom histórico no mercado.

Mesmo que o resultado não seja tão rápido, você garante rendimentos bem melhores que os da poupança, por exemplo.

O ideal é ter paciência e acompanhar as variações diárias. É interessante também optar pela diversificação dos ativos negociados na bolsa a fim de potencializar os rendimentos e obter maior proteção.

Em resumo, os investimentos de curto prazo na bolsa de valores mais indicados em 2021 são:

  • ações de grandes bancos;
  • ações de empresas de energia;
  • ações de empresas varejistas.

As operações de swing tradesão interessantes no curto prazo. Elas são usadas principalmente por quem quer investir nas tendências e lucrar com ações, futuros e opções.

Fundos imobiliários (FIIs)

Com a taxa Selic em baixa, a relevância dos fundos imobiliários aumentou. Eles são vistos como o primeiro passo para investir em renda variável, já que oscilam menos do que ações.

Além disso, na maioria das vezes, esses fundos são compostos por ativos reais que são ótimos pagadores de dividendos.

Isso garante uma lucratividade derivada de rendimentos de aluguel sem a necessidade da compra de imóveis.

Alguns fundos imobiliários que têm um histórico de bom desempenho são:

  • CSHG Logística;
  • XP Logística;
  • BTG Fundo de Fundos;
  • Kinea Renda imobiliária FII.

Os fundos imobiliários são indicados como os melhores investimentos para 2021 porque têm garantia real e isenção no Imposto de Renda sobre os dividendos.

Sem contar que com menos de R$ 100 é possível adquirir cotas de um fundo. Só incide Imposto de Renda sobre a valorização da cota, de 20%.

Para começar a investir em FIIs, o primeiro passo é abrir uma conta em uma corretora que ofereça acesso a essa modalidade de investimento.

Depois, você emite uma ordem de compra e indica o código do fundo em que deseja investir. Em seguida, aponte quantas cotas quer adquirir e insira o valor que pretende pagar em cada uma.

Quais são os primeiros passos para investir em 2021?

Agora que você conhece os melhores investimentos para cada perfil em 2021, está na hora de pensar em termos práticos. Para isso, leve em conta os seguintes pontos!

Defina seus objetivos financeiros

Pretende guardar o dinheiro para realizar uma viagem ou para pagar os estudos dos filhos? Definir o prazo dos objetivos é essencial a quem deseja investir.

Isso porque existem investimentos que são mais adequados à situação, dependendo do prazo que elas têm para acontecer.

Se você quer guardar dinheiro para viajar nas próximas férias, por exemplo, não é recomendável deixá-lo em um título que vai vencer daqui a dois ou três anos.

Nesse caso, você terá de pagar taxas e impostos ao resgatá-lo. Isso quando for possível realizar o resgate do investimento, certo?

O risco do investimento também depende do objetivo financeiro. Se for de médio e longo prazo será possível deixar o dinheiro em uma aplicação um pouco mais arriscada, com rendimento melhor.

No longo prazo, investimentos na bolsa tendem a valorizar. E o risco de vender o papel em um momento de baixa da bolsa é diluído.

Use uma planilha de controle de gastos

Não adianta falar de investimentos se você não mantiver um bom controle financeiro pessoal. Ter apenas um controle mental do quanto ganha e gasta requer cuidado.

A ciência já provou que esse cálculo costuma falhar. Por isso, use alguma ferramenta para manter esse registro. Pode ser um aplicativo, uma planilha ou os bons e velhos lápis e papel.

O importante é saber exatamente para onde está indo seu dinheiro. E, para ajudar nessa tarefa, criamos aqui na Magnetis uma planilha de controle de gastos.

A ferramenta pode ser baixada gratuitamente em nosso site. Ela ajuda a monitorar as despesas do dia a dia, mostrando se você está no caminho certo para atingir suas metas.

Saiba o valor necessário para alcançar seu objetivo

Um bom planejamento financeiroé o segredo das pessoas bem-sucedidas. Ele passa por saber, de forma detalhada, qual será o valor necessário a atingir um objetivo.

Para a reserva de emergência, especialistas geralmente aconselham que seu valor seja equivalente ao custo de vida que você tem durante seis meses a até um ano.

Esse período é calculado pensando no evento mais recorrente para a qual é usada: o desemprego. O período é pensado como o tempo médio necessário para uma recolocação.

É importante ser realista na hora de fazer esses planos. Se você quer comprar um imóvel, por exemplo, pense nos detalhes específicos da aquisição:

  • Qual é a localização do imóvel?
  • Qual é o tamanho?
  • Qual estrutura ele oferece?
  • Quais são as comodidades e a infraestrutura do local?
  • Em quanto tempo você quer comprar esse imóvel?

Ninguém conhece seus objetivos financeiros melhor que você. Esses pontos dão uma boa noção de quanto dinheiro é necessário ao comprar o que se deseja.

Por isso, trace uma meta e estipule os valores na planilha de gastos. Assim você consegue alcançar seu objetivo de maneira bem mais rápida!

Defina um valor para poupar por mês

Investimento é algo que se constrói aos poucos. E quanto antes começar, melhor!

Por isso, assim que você souber qual é o preço do seu objetivo, reflita sobre o que é preciso fazer para juntar a quantia.

Será necessário cortar gastos? Encontrar outra fonte de renda? Buscar investimentos mais adequados? Estude qual é a solução mais viável e mantenha o foco.

No cálculo, não deixe de considerar uma eventual valorização que o bem pode ser até que seja possível adquiri-lo.

É possível se aproximar mais do valor da compra futura ao aplicar um reajuste pela inflação média do preço do bem pelo tempo em que será necessário reunir o dinheiro.

Encontre os investimentos adequados

Lembra que falamos sobre o prazo do objetivo? Pois é, aqui, ele será muito importante para definir qual aplicação financeira é a mais adequada.

Voltando ao exemplo do imóvel, vamos pensar no seguinte: se você deseja comprá-lo já no ano que vem, não faz sentido investir em ações. Será preciso ter rendimentos mais previsíveis.

Imagine chegar ao momento da compra do seu imóvel sem ter a menor ideia de quanto dinheiro estará disponível para resgate.

Por outro lado, se você programar a compra para daqui a cinco anos, já poderá adotar uma estratégia um pouco mais arrojada.

Acontece que, ainda que a bolsa tenha dias ruins no futuro, seu dinheiro já terá rendido de maneira significativa. Desde, é claro, que você adote uma estratégia de diversificação adequada.

Sabemos que dar o primeiro passo não é fácil, por isso, estamos aqui para ajudar! E não importa em qual fase do caminho você esteja, sempre pode contar com a ajuda de especialistas para prosseguir.

A aplicação ideal já está ao seu alcance e não é preciso esperar o próximo ano para começar a investir. Basta buscar a orientação adequada. Agora que você conhece os melhores investimentos para 2021, entenda como um serviço especializado pode ajudar a conquistar seus objetivos. Baixe de forma gratuita o nosso Guia Completo sobre Consultoria de Investimentose saiba mais!

Caroline Dubard
Caroline Dubard

formada em marketing e apaixonada por conteúdo. Tem experiência em marketing digital, performance e branding. Atualmente, lidera as estratégias de marketing de conteúdo da Magnetis.

leia mais desse autor