Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

Mercado fracionário: o que é e como começar a operar?

Muitas pessoas ainda acreditam que só quem tem bastante dinheiro pode investir na bolsa de valores. Porém, esse é um dos maiores enganos existentes sobre investimentos, já que existe o chamado mercado fracionário.

Quer saber do que se trata, como funciona, por que ele é vantajoso para aqueles que fazem pequenas aplicações e se vale mesmo a pena entrar no mercado fracionário? Respondemos essas perguntas neste artigo. Confira!

O que é o mercado fracionário?

O mercado fracionário consiste nas operações em que é possível negociar ações sem que, para isso, você tenha que adquirir um lote mínimo — que é o que encarece os aportes, demandando uma quantia maior para as aplicações.

Nesse caso, ele é ideal para aqueles que não têm uma grande disponibilidade de capital, visto que permite adquirir a quantidade que se deseja de ações.

Em outras palavras, você pode comprar 1, 2, 10 ou 99 ações de forma fracionada, como o nome sugere, tudo de acordo com o dinheiro que se tem disponível e, ao mesmo tempo, sem ter que negociar todo o lote (de 100 ações).

Quais são as diferenças entre o mercado fracionário e integral?

Você deve ter notado, com base na definição do conceito, que no mercado integral é necessário comprar o lote completo. Já no fracionário, você pode comprar porções menores, o que vai depender do seu desejo e da disponibilidade de capital.

Além disso, uma das principais diferenças entre os dois mercados é que eles são totalmente independentes.

Isso significa que a liquidez, as cotas, a procura e a oferta do fracionário não estão ligadas às do mercado integral — e ocorrem de formas totalmente diferentes.

Vale destacar que, devido ao fato de o mercado fracionário ter um volume mais baixo de dinheiro sendo movimentado nas operações, a liquidez é menor. Sendo assim, se você busca uma aplicação para trazer retorno em curto prazo, essa não será a mais adequada.

Veja mais: Corretoras com a menor taxa de corretagem – confira a lista completa!

Vale a pena investir no mercado fracionário?

Já sabemos que o mercado fracionário é ideal para quem quer investir em ações, mas não dispõe de grandes quantias de capital. Além dessa característica, será que ele é mesmo vantajoso? Vale a pena fazer aplicações nessa modalidade?

Confira, nos próximos tópicos, quais são as maiores vantagens e desvantagens desse mercado.

Vantagens

Para saber se esse tipo de investimento é o ideal para você, conheça os maiores benefícios do mercado fracionário.

Possibilidade de diversificar a carteira

Você pode diversificar e melhorar a sua carteira de investimentos mesmo sem ter muito capital para aportar em aplicações variadas — o que seria totalmente inviável no mercado integral.

Dessa forma, se você quer comprar uma ação que tem um custo unitário de R$ 40 e tem apenas R$ 400 disponíveis para investir, poderá adquirir 10 ações da empresa em questão.

Se essa operação fosse feita no mercado integral, você precisaria de R$ 4 mil para comprar o lote inteiro, que contém 100 ações.

Portanto, o mercado fracionário permite que você diversifique seus investimentos e crie uma carteira bem interessante para os seus objetivos, com boas ações e de forma que seja coerente com o seu orçamento.

Possibilidade de comprar de forma recorrente

Por permitir negociações de compra e venda com valores menores, é possível manter uma recorrência de compra maior.

Isso significa que qualquer quantia que sobrar no final do mês pode ser utilizada para investir na bolsa de valores — desde que a ação que você busca esteja dentro da faixa de valor, claro.

Desvantagens

Assim como você pode obter algumas vantagens aplicando dinheiro no mercado fracionário, precisa entender quais são os aspectos negativos desse tipo de movimentação, a fim de tomar decisões mais acertadas.

Mais gastos com corretagem

Você paga uma taxa para a corretora de valores toda vez que faz uma operação de compra e venda.

Supondo que o valor cobrado seja de R$ 10, dependendo do montante que você aplicar, essa quantia terá um impacto consideravelmente maior do que em operações de valor mais alto.

Se ação custa R$ 20, por exemplo, a taxa equivale a 50% do valor dela. Porém, se você está investindo R$ 20 mil (no mercado integral), o percentual cai para 0,05%. Entende como o impacto é maior?

Maior spread entre compra e venda

Spread é a diferença entre as ofertas de compra e venda. Ele costuma ser maior no mercado fracionário em decorrência da menor quantidade de negociações realizadas.

Além disso, há certa arbitrariedade de preços, o que significa que é um pouco mais difícil conseguir comprar e vender pelo preço desejado — o que acaba tornando a aquisição um pouco mais cara em muitos casos.

Afinal, como investir no mercado fracionário?

Dentro do Home Broker, você precisa buscar pela ação que deseja negociar e, posteriormente, incluir a letra F no final (que é referente a fracionado). Dessa forma, se for comprar ações da Petrobrás (PETR4), basta procurar por PETR4F.

Só é necessário ter o cuidado de analisar bastante o spread, a liquidez e a cotação das ações que deseja adquirir.

Ao comparar com o capital disponível, fica mais fácil saber se vale mesmo a pena fazer essa compra ou se o papel teria que alcançar uma valorização muito alta para compensar o custo-benefício.

Por isso, é importante lembrar sempre do impacto das taxas de corretagem sobre o montante aplicado. Isso sem contar a tarifa bancária que pode surgir na hora de transferir o dinheiro para a conta na corretora.

Também é necessário ter consciência sobre o risco de investir em ações, o que é uma das principais características da renda variável.

Caso você queira, pode contar com o apoio de especialistas em investimentos que vão indicar as melhores opções de acordo com seus objetivos, necessidades e disponibilidade de capital. A consultoria de investimentos pode ajudar você a tomar decisões mais acertadas.

O que achou do mercado fracionário? Viu só como investir na bolsa de valores pode ser algo acessível mesmo para pessoas que fazem aplicações menores? Aproveite para conferir também o nosso Guia Completo sobre Consultoria de Investimentos e ampliar seus conhecimentos sobre o assunto!

Mariana Congo

Mariana Congo é Gerente de Comunicação da Magnetis e jornalista especializada em finanças pessoais.

leia mais desse autor