Invista agora
a evolução na edução financeira, conheça a Magnetis.

O que é mercado futuro? Quais os riscos de investir nesses tipos de aplicação?

mercado futuro é uma das várias modalidades de investimento disponíveis na bolsa de valores.

Essa categoria de aplicações envolve os investimentos de renda variável e funciona da mesma forma que o mercado convencional.

Nele, é possível negociar qualquer investimento disponível no home broker da sua corretora de valores. Para você ter uma ideia, os principais são:

Qualquer pessoa ou empresa pode operar no mercado futuro, mesmo com pouco dinheiro.

A partir de agora, você vai entender mais detalhes sobre como funciona esse mercado e quando vale a pena investir. Continue a leitura!

Principais características do mercado futuro

A principal diferença entre o mercado futuro e o mercado tradicional é a seguinte: as operações de compra e venda são baseadas em derivativos, e não em ativos financeiros.

Os derivativos são contratos financeiros com data de liquidação definida. Eles dão ao seu portador o direito de comprar ou vender um ativo por determinado preço na data de liquidação.

Para facilitar, vamos ver um exemplo: imagine um produtor de milho que precise garantir que venderá sua colheita por determinado preço daqui a seis meses. Só assim ele poderá obter lucro em seus negócios.

Dessa forma, ele compra contratos futuros de milho que lhe darão o direito de vender sua produção exatamente pelo preço combinado. É assim que esse produtor evita o susto de o preço cair e ele sair no prejuízo.

Esse exemplo, aliás, trata de uma clássica operação de hedge. Esse é um tipo de investimento que protege contra a variação de preços de determinado ativo em determinado período.

Além da troca de contratos por produtos, é possível fazer apenas a liquidação financeira dessas negociações.

Ou seja: nesse caso, não há troca de contratos por milho. O que acontece é um ajuste pela diferença entre os preços de compra e venda desses contratos.

Isso faz com que o lucro dessas aplicações seja baseado na variação dos preços antes da liquidação, e não no seu preço final propriamente.

É daí, aliás, que vem a especulação financeira: quando investidores acreditam na alta ou na queda de um investimento, negociam contratos que refletem essa perspectiva.

Tipos de contrato que podem ser negociados

Como mencionamos, um dos principais pilares do mercado futuro é o contrato.

Esse contrato geralmente é padronizado e negociado em lotes de R$ 10 mil ou R$ 50 mil.

Esse é o caso, por exemplo, futuros de dólar, índices, taxas de juros e das principais commodities.

No entanto, também é possível fazer contratos personalizados quanto ao tamanho do lote e ao valor.

Esse caso oferece mais vantagem para quem prefere a liquidação física. No entanto, ele tem menos liquidez que o ajuste financeiro.

Além disso, também existem diferenças quanto aos lotes negociados. São eles:

1 – Contrato cheio

É o valor integral de um contrato, que varia conforme o item negociado. No caso do Ibovespa, cada ponto do índice equivale a R$ 1 no contrato cheio.

Assim, se o índice estiver em 100 mil pontos, o contrato cheio valerá R$ 100 mil.

Contrato cheio de Ibov = R$ 1 x número de pontos do índice

2 – Minicontrato

É uma alternativa bem mais barata para investir, pois se trata de uma fração do contrato padrão.

Usando novamente o caso do Ibovespa, cada minicontrato custa R$ 0,20 por ponto do índice. Considerando 100 mil pontos, cada contrato custaria R$ 20 mil.

Minicontrato de Ibov = R$ 0,20 x número de pontos do índice

Como negociar contratos no mercado futuro

Para investir no mercado futuro, é necessário abrir conta em uma corretora de valores que dê suporte para essas negociações. A partir daí, basta escolher seus ativos e começar a comprar e vender.

É necessário acompanhar de forma constante a movimentação do mercado para saber qual o melhor momento para executar as operações.

Isso requer bastante estudo e atenção ao noticiário, pois qualquer mudança pode se refletir no preço dos contratos.

Ao possibilitar a liquidação financeira, o mercado futuro permite investir sem ter o valor total do contrato em mãos. Basta apenas ter uma margem de garantia.

Esse valor é uma espécie de caução para cobrir as oscilações do mercado. A quantia varia entre 3% e 16% do valor do contrato.

O interessante é que possível apresentar títulos do Tesouro Direto como garantia, além de outros investimentos de renda fixa. Tudo depende do suporte que a sua corretora oferece para esses investimentos.

Vale a pena investir no mercado futuro?

Como você viu, o mercado futuro é composto por tipos de investimento um pouco mais complexos.

Eles exigem tanto mais conhecimento quanto mais tempo para se dedicar à analise de investimentos.

Por isso, esse mercado pode oferecer oportunidades interessantes para quem dispõe de tempo para pesquisar as melhores aplicações.

Afinal, é possível fazer a diversificação dos seus investimentos e, assim, ampliar a rentabilidade da sua carteira.

No entanto, quem não pode se dedicar tem a opção de investir nesse mercado por meio dos fundos de investimento, delegando assim a gestão para um grupo de profissionais.

É possível acessar o mercado futuro especialmente por meio dos fundos multimercado cuja estratégia seja operar com os ativos dessa categoria.

Agora que você entende um pouco mais sobre o mercado futuro, que tal saber como especialistas podem te ajudar a investir melhor? Baixe grátis o nosso Guia Completo sobre Consultoria de Investimentos e descubra!

Malena Oliveira

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

leia mais desse autor