Saiba como definir e alcançar as suas metas familiares

por Malena Oliveira | 26/11/2019

metas familiares
curso de investimento

Ter metas familiares (como reformar a casa ou comprar um carro) e traçar um plano comum para atingi-las é um dos conceitos básicos de finanças pessoais. Isso porque alcançar um objetivo financeiro requer planejamento e organização de todos os envolvidos.

De nada adianta, por exemplo, um dos cônjuges economizar até no cafezinho enquanto o outro faz compras por impulso.

Ou que o plano do casal não seja compartilhado com os filhos, que poderiam ajudar a atingir o objetivo de forma mais eficiente.

O projeto da família não precisa ser feito do dia para a noite ou abranger todas as esferas da vida.

É algo que deve ser construído aos poucos e com a consciência de que cada passo dado deixará todos mais próximos aos seus objetivos.

Veja no artigo abaixo o passo a passo para definir e alcançar metas familiares.

1. Listar necessidades e vontades

Poupar dinheiro apenas por poupar não é algo sedutor. Agora, imagine guardar dinheiro para uma viagem que você quer fazer há muito tempo, ou para aquele curso no exterior, que permitirá que você consiga uma promoção?

Criar uma lista de tarefas e desejos torna metas tangíveis e nos incentiva a montar uma reserva financeira.

Também permite a uma família se organizar para que todas as metas sejam atendidas.

É possível definir apenas metas familiares ou agregá-las às metas de cada membro da família. O importante é que todos trabalhem para a independência financeira do grupo.

Criar objetivos que devem ser concluídos no curto prazo (até um ano), médio prazo (entre 1 e 3 anos) e longo prazo (mais de 3 anos) é essencial ao listar desejos e necessidades. Dessa forma, é possível definir quais metas devem ser priorizadas.

Por exemplo, quitar o cheque especial deve ser uma meta de curto prazo, pois o pagamento de juros nessa modalidade de crédito é mais alto do que o de qualquer outro débito. O pagamento de dívidas, aliás, deve ser sempre priorizado.

Além disso, definir objetivos por período é importante para que os valores poupados sejam aplicados de forma adequada.

Poupar para a aposentadoria, por exemplo, é uma necessidade de longo prazo que possibilita investir em aplicações financeiras de maior risco, pois a volatilidade do investimento é diluída ao longo do tempo.

2. Compartilhar com a família

As metas financeiras definidas devem ser conhecidas por toda a família. Afinal, para atingi-las, é necessária a aprovação e a colaboração de todos.

Contudo, ao compartilhá-las, é necessário estar aberto a uma discussão sobre quais são os objetivos prioritários — além de ter flexibilidade para incluir uma meta definida por filhos ou cônjuge.

Para quem tem filhos, compartilhar os objetivos financeiros da família é ainda mais importante, pois é uma oportunidade para que eles vejam a importância de poupar e cuidar do orçamento.

Um argumento para que sejam incentivados a participar é dizer que a família vai trabalhar para construir um patrimônio de longo prazo, que será importante para eles no futuro.

Mesmo que não possam ainda contribuir financeiramente, os filhos podem ajudar com soluções de como economizar.

3. Criar e anotar tarefas

Colocar no papel todas as tarefas definidas é importante para que ninguém se esqueça delas. E também é essencial para que todos se comprometam a fazer sua parte.

As tarefas podem ser escritas tanto em um bloco de anotações quanto em um aplicativo no celular, que permite compartilhar informações facilmente com os outros membros da família.

É interessante definir tarefas diárias, semanais, mensais e anuais. Dessa forma, todos os familiares se mantêm engajados em torno do objetivo comum. Tarefas regulares criam disciplina, o que é essencial ao planejamento financeiro.

As tarefas de cada um devem ser determinadas com base em necessidades individuais.

Por exemplo, um filho que vai apenas para a escola pode ter que economizar mais do que outro que esteja fazendo um curso extra e tenha mais despesas com transporte e alimentação.

4. Definir os valores que serão poupados

Depois de definidas as necessidades e as vontades da família, o próximo passo é fazer uma projeção de quanto custará cada objetivo.

Isso permitirá realizar um cálculo do quanto será necessário economizar mensalmente para que a meta seja atingida no prazo determinado.

A tarefa é simples caso a família tenha uma renda fixa mensal. Mas, caso ela varie a cada mês, busque definir um percentual da renda recebida que deverá ser guardado para os objetivos em conjunto.

No caso de um casal que queira fazer uma viagem de R$ 15 mil em dois anos, por exemplo, basta dividir esse valor por 24 meses. Será preciso, então, poupar R$ 625 por mês para juntar o valor necessário para atingir o objetivo no prazo.

5. Verificar se os valores cabem no orçamento

Agora que é possível ter uma ideia do quanto você terá que economizar para atingir cada objetivo, é hora de verificar se o valor a ser poupado cabe, de fato, no orçamento familiar. Caso contrário, será preciso ter mais flexibilidade na hora de definir a estratégia.

Um objetivo que seria atingido em dois anos, por exemplo, pode ter de ser estendido por mais um ano para que seja possível poupar os valores necessários sem que as finanças da família sejam colocadas em risco.

Outro caminho a seguir é fazer com que o valor a ser economizado caiba no orçamento, cortando gastos desnecessários e buscando formas de aumentar a renda da família.

6. Criar uma reserva de emergência

Antes de poupar para atingir metas familiares, é necessário ter uma reserva de emergência equivalente a pelo menos seis meses de renda da família.

Esse valor permitirá que gastos imprevistos ou uma eventual perda de renda não tenham impacto sobre os objetivos definidos, possibilitando que sejam realizados no prazo.

7. Reavaliar as metas periodicamente

A vida não é estática. Imprevistos acontecem e podem exigir uma revisão das metas da família. O sucesso financeiro está intimamente ligado à flexibilidade e uma postura ativa em relação às finanças.

É recomendável verificar se é necessário fazer uma revisão dos objetivos a cada ano.

8. Simplificar

O processo para atingir metas e cumprir tarefas deve ser simples para que seja compreendido por todos, inclusive as crianças.

Além da simplicidade, é importante manter um espaço para a família fazer as atividades que mais gosta. Esse será mais um incentivo para que todos trabalhem para alcançar as metas.

Agora que você já definiu suas metas familiares e sabe quais são os caminhos para alcançá-las, é hora de colocar tudo no papel. Que tal ter a ajuda da nossa planilha de gastos? Clique e confira!

Avaliar o post
curso de investimento