[Vídeo] Reserva de emergência: como montar? – 12 passos para mudar sua vida financeira

por Mariana Congo | 15/08/2018

montar reserva de emergência

Lidar com as surpresas da vida exige preparo. Isso faz toda a diferença quando acontece algum imprevisto ou surge uma oportunidade imperdível.

Quando se trata do seu dinheiro, estar preparado para essas surpresas significa ter aquilo que você quer no momento em que você precisa sem se enrolar.

Já pensou comprar aquele carro ou aquela casa e ficar sem nenhuma dívida? Pois é, esse é o sonho de muita gente. Sabia que isso fica muito mais fácil quando você tem uma reserva de emergência?

A reserva de emergência (que também pode ser chamada de reserva de oportunidades) é aquela aplicação que serve justamente para o que você não consegue planejar: gastos inesperados (como a perda do emprego ou a chegada de um bebê na família) ou a chance de comprar alguma coisa por um preço bem mais baixo (aquele desconto que você está esperando há tempos).

Trata-se de investir uma parte do seu dinheiro em uma aplicação que possa ser resgatada a qualquer momento, ou seja, que tenha liquidez diária.

Esse investimento geralmente é feito a partir de uma parte da sua renda. Alguns especialistas até usam um determinado número de salários como medida, mas a verdade é que cada um precisa de um tamanho de reserva diferente, pois cada pessoa tem necessidades diferentes.

Então, qual é a melhor estratégia para montar a sua reserva de emergência? É sobre isso que vamos falar no quinto vídeo da série “12 passos para mudar a sua vida financeira”.

Se você tem acompanhado os demais episódios, sabe que a proposta não é deixar você rico do dia para a noite, mas propor uma nova forma de pensar na sua relação com o dinheiro. Para isso, contamos com o apoio da BlackRock, a maior gestora de recursos do mundo.

Já falamos aqui sobre:

  • planejamento financeiro;
  • como organizar as suas contas;
  • como usar os juros compostos a seu favor;
  • o verdadeiro segredo para você ficar rico.

Então, se este é o seu primeiro vídeo, seja muito bem-vindo! Aproveite para colocar a série em dia e continue acompanhando os nossos próximos episódios. Vamos falar sobre dicas práticas para você começar a investir sem medo!

Ah, não deixe de se inscrever em nosso canal no YouTube para ser avisado quando os próximos vídeos forem liberados!

Espero que você goste! 😀

Veja aqui a transcrição completa do vídeo:

Imprevistos acontecem, disso você não pode duvidar. Na sua vida financeira, funciona do mesmo jeito.

Mas não dá para ser pessimista e pensar que tudo vai dar errado. Pelo contrário, é preciso se preparar para esses momentos.

O ideal é guardar um pouco de dinheiro pensando justamente nessas situações, para usar só em caso de alguma situação que….. espera! isso não estava no script!

É para isso que serve uma reserva de emergência. Como o próprio nome diz, ela é uma parte separada do seu dinheiro que serve para te socorrer caso alguma coisa fora dos planos aconteça.

Mas ela não deve ser confundida com o dinheiro que você guarda todo mês no envelope dos seus investimentos. Se você viu o segundo vídeo dessa série, sabe do que eu estou falando.

E aqui vão três motivos para você começar a construir agora mesmo a sua reserva de emergência:

Motivo 1: Proteção contra imprevistos

Uma reserva de emergência é, antes de qualquer outra coisa, um colchão. É isso mesmo, ela serve para amortecer os impactos da vida.

É uma quantia que vai te amparar caso você perca o emprego, fique doente, precise arrumar a bicicleta ou tenha qualquer outro gasto imprevisto.

Alguns especialistas recomendam que você tenha uma reserva que banque pelo menos seis meses dos seus gastos mensais.

Mas a verdade é que só você é capaz de definir qual deve ser o tamanho do seu colchão financeiro.

Se você já tiver feito uma radiografia dos seus gastos (aquele exercício do nosso segundo vídeo) e tiver disciplina para manter cada um deles no seu devido lugar, fica mais fácil saber qual deve ser o tamanho da sua reserva de emergência - ou, se preferir, reserva de conforto. É aquele dinheiro que está guardadinho para você ficar na paz se algo inesperado acontecer.

Motivo 2: Reserva para oportunidades

Se você ganhasse na loteria hoje, o que você faria com o dinheiro?

Hoje você até pode ter mais consciência de que precisa investir. Mas tenho certeza que, com muito dinheiro disponível, você gastaria bastante com itens para o seu conforto imediato: como carro novo, casa nova, facas ginsu e kamikaze [sacou a referência?]

A reserva de emergência também vai te ajudar a realizar esse tipo de sonho, mesmo que você não ganhe na loteria.

Imagine que hoje surja uma oportunidade imperdível, uma pechincha mesmo, para você comprar um carro em que você já está de olho já faz um tempo. E se faltasse só aquela quantia pequenininha para a conta fechar? Você conseguiria realizar o seu sonho sem se endividar?

A reserva de emergência também serve para isso: para você aproveitar boas oportunidades quando elas vêm!

Imagine só a frustração que seria não conseguir fechar um bom negócio só pela falta de um pouquinho mais de dinheiro…

Veja mais: Confira todos os episódios da série "12 passos para mudar a sua vida financeira"

Motivo 3: A reserva de emergência é o primeiro passo para começar a investir

Não sabe muito bem por onde começar a investir? São muitas as opções? Seus problemas acabaram!

Se você não tinha ideia de como fazer os seus investimentos, a reserva de emergência é uma ótima maneira de dar o primeiro passo.

Mas não existe nenhuma aplicação financeira que venha rotulada como reserva de emergência. Justamente por isso, ela pode ser criada como você quiser.   

As principais características de uma aplicação desse tipo são:

  • segurança: tem que ser uma aplicação financeira conservadora, estável, que não está tão exposta ao sobe e desce do mercado;

  • liquidez: o dinheiro tem que poder ser resgatado a qualquer momento ou levar no máximo um dia para estar disponível na sua conta.

Isso te lembra alguma coisa? Mas não, nem pense em deixar o seu dinheiro na poupança a essa altura do campeonato!

Existem aplicações financeiras tão seguras quanto a poupança e que servem exatamente para você montar a sua reserva de emergência. Um exemplo é o Tesouro Selic, no Tesouro Direto.

Isso nós vamos ver mais detalhadamente nos vídeos específicos dessa série sobre como funciona cada tipo de aplicação financeira.

Por enquanto, o que você precisa saber é que a desvantagem de toda reserva de emergência é render menos do que uma aplicação de prazo mais longo.

Também é normal que ela tenha uma performance inferior aos investimentos que oferecem menos liquidez.

Essas coisas acontecem porque, ou o banco deixa o dinheiro disponível para você resgatar a qualquer momento (e para isso existe um custo), ou ele rentabiliza esse dinheiro de outras formas para te entregar um valor maior no futuro.

É daí que vem a lógica: quanto maior for o prazo da aplicação, maior tende a ser a sua rentabilidade.

Viu como é simples o conceito de reserva de emergência? Agora comece você mesmo a pensar em como construir a sua. É fácil e não dói!

Se você quiser saber mais sobre investimentos, inscreva-se no nosso canal e confira os outros vídeos dessa série.

Até lá!

Mariana Congo, da Magnetis

Mariana Congo é Gerente de Comunicação da Magnetis e jornalista especializada em finanças pessoais.

[Vídeo] Reserva de emergência: como montar? – 12 passos para mudar sua vida financeira
3 (60%) 2 vote[s]