5 dicas essenciais para quem planeja morar no exterior

por Malena Oliveira | 10/05/2019

5 dicas essenciais para quem planeja morar no exterior

Morar no exterior faz parte dos sonhos da vida de muitas pessoas. A inquietude e o desejo de encher a bagagem com novas experiências são ingredientes essenciais para quem quer trilhar novos caminhos a quilômetros de distância.

Neste post vamos falar sobre os desafios de morar no exterior e apresentar 5 dicas que devem ser consideradas para quem quer viajar com tranquilidade e ter a sensação de ainda estar em casa!

Decidi morar no exterior, e agora?

Existe um ditado que diz: “O mundo é grande demais para nascer e morrer no mesmo lugar”. Pra quem o apego material ou o medo da mudança não é um problema, mudar de país é uma possibilidade de transformar e enriquecer tanto o currículo, quanto a própria existência.

A ideia é instigante e, se você é uma pessoa sonhadora e gosta de desafios, já possui alguns dos requisitos para morar fora do Brasil. Mas, como nem tudo são flores e uma mudança dessas não é ir logo ali, se planejar é fundamental para que o sonho não acabe se tornando um pesadelo.

5 dicas para você considerar antes de morar no exterior

1. Faça um planejamento financeiro

Se uma viagem de férias já exige um planejamento, como um roteiro e guardar dinheiro, imagine quando se trata de uma viagem definitiva, com uma mudança tão grande, sem tantas certezas do que será encontrado.

Veja algumas questões que você deve levar em consideração quando for se planejar financeiramente:

Moradia

Mesmo que você tenha amigos ou parentes morando no país que escolher e consiga se hospedar sem precisar pagar por isso, ainda assim, terá outras diversas despesas. Até que encontre um meio de bancar os custos, vai precisar recorrer às suas economias.

Tipo de visto

Se o seu visto for de estudante, não terá muitas horas disponíveis para exercer uma atividade remunerada, já que a carga horária autorizada para o trabalho costuma ser de apenas de 20h semanais.

Se o seu visto for de trabalho, a menos que saia do Brasil já empregado, pode ser que demore um pouco para se inserir no mercado de trabalho local e precise custear a estadia por um prazo superior ao que você tinha em mente.

Emprego

A falta de fluência do idioma, do conhecimento regional específico ou de legalidade do visto para contratação pode dificultar a conquista de um posto de trabalho e comprometer todo o dinheiro de que você dispõe no momento.

Por todos esses motivos, é preciso montar um planejamento da sua mudança, de maneira geral. Assim, mesmo que alguma coisa ou outra dê errado, você vai manter a calma e saber como agir!

Para começar seu planejamento financeiro, veja alguns custos essenciais que você vai precisar arcar quando for morar em outro país:

  • passagens aéreas;
  • visto e documentos;
  • primeiro aluguel;
  • previsão de aluguel – 6 meses;
  • despesas básicas iniciais – água, luz, telefone, internet;
  • alimentação;
  • transporte;
  • médico e remédios – custo preventivo.

2. Defina os possíveis países onde se quer morar

Há uma infinidade de países que você pode escolher como sua nova casa, mas é preciso saber avaliar bem a sua escolha. Considere todas as variáveis, e isso inclui o custo de vida, o clima, qualidade da educação, gastronomia, cultura e lazer.

É fundamental pesquisar como o país escolhido recebe e apoia os imigrantes. Não basta um discurso de aceitação e incentivo, mas também uma mínima certeza de que você vai se inserir tanto na cultura, quanto no mercado de trabalho sem sofrer o isolamento.

3. Estude o mercado de trabalho e os requisitos profissionais de cada país

Você tem a intenção de conseguir um emprego logo que aterrisar em terras estrangeiras? Então já saia do país com informações sobre o mercado de trabalho e tudo que a sua área profissional exige como requisito para preenchimento da vaga.

Dessa forma, ou você pode de algum modo se preparar melhor antes de partir, ou saberá o que deve fazer para conquistar uma vaga assim que der entrada oficial como imigrante no outro país.

Não se esqueça de que ficar ilegal em um país e exercer atividade de trabalho é considerado crime, e você pode não só passar por diversos transtornos, como ser deportado e perder o direito de entrar novamente no país.

4. Conheça a cultura e os costumes de cada país

Nada pior do que chegar a um país sem conhecer os hábitos, os costumes e principalmente a personalidade dos nativos. No Brasil, a amabilidade (intimidade, toque, participação em eventos sem convite formal) é uma característica que não incomoda ou causa desconforto na maioria.

Em alguns países, esse é um comportamento que precisa de um tempo longo de contato formal, para só depois se estabelecer um grau de confiança e ao final um vínculo de maior intimidade. Para que tudo dê certo, é preciso respeitar o tempo da população local e até mesmo o seu para se adaptar a esse mundo novo.

5. Guarde e invista dinheiro para morar no exterior

A menos que você tenha tido a sorte de nascer em berço esplêndido ou já adquiriu um patrimônio suficiente para promover uma mudança de país, será preciso guardar dinheiro para investir no novo projeto.

Vale lembrar que, dependendo do país que você escolher, a conversão da moeda reduz drasticamente o poder de compra da nossa moeda. Cotações em dólar ou em euro estão cada vez mais altas e você precisará de uma boa quantia para comportar o planejamento de gastos dos seis primeiros meses, por exemplo.

Quem vai estudar pode ter a chance de um financiamento ou uma bolsa de estudos concedida pela universidade do país pretendido e, ainda assim, os gastos costumam ser elevados para se manter durante o período.

Mesmo que você saia do Brasil com uma proposta de emprego, tenha sempre um alerta ligado, afinal, você não tem a certeza do que vai encontrar pela frente e pode não se adaptar ao novo emprego e precisar pedir demissão sem ter outra oportunidade em vista.

Faça os cálculos do quanto vai precisar para se estabelecer e de quanto tempo precisará para juntar o dinheiro necessário. Depois, avalie quanto você poderá guardar por mês e quais são as linhas de investimento para fazer o dinheiro render até a retirada final.

É essencial definir um tipo de investimento que você não consiga — na hora do aperto ou da ansiedade — retirar para outras despesas. Só assim, à medida que você for retendo dinheiro, mais próximo ficará do objetivo.

Procure no mercado empresas especialistas em auxiliar na realização de sonhos por meio de investimentos que combinam melhor com o seu perfil.

E, ao final, se morar no exterior representar para você um estilo de vida e a abertura de oportunidades, com um bom planejamento não será difícil alcançar a meta com sucesso! 

Desenhe todos os passos e construa seu pequeno patrimônio para voar alto e realizar uma das melhores experiências da vida. Boa viagem!

Você curtiu este post com as 5 dicas essenciais para quem planeja morar no exterior? Então, continue a visita a nosso blog e descubra como alcançar objetivos financeiros!

Luciano

Malena Oliveira é jornalista especializada em Finanças Pessoais e redatora na Magnetis.

Avaliar o post